Advertisements
Blog do Paulinho

Conselheiros acusam ‘gestão irregular e temerária’ da diretoria do Corinthians, mas não avançam além da internet

O ‘Movimento Corinthians Grande’, que já se autodenominou ‘Corinthianos Obsessivos’, possui, entre seus membros, conselheiros e postulantes ao cargo de presidente do Timão, parte deles dissidentes de gestões anteriores – ligadas aos atuais cartolas.

Anteontem, em comunicado publicado nas redes sociais, acusaram:

“O Estatuto do clube, em seu parágrafo segundo, artigo 122, OBRIGA a divulgação mensal no site da entidade das demonstrações financeiras”

“Da mesma forma o artigo 25, inciso VIII da Lei 13.155/15 (Profut) diz que a não divulgação de forma transparente de informações de gestão aos associados e torcedores caracteriza gestão irregular ou temerária, passível de afastamento imediato e inelegibilidade de todos os dirigentes”

“Há quatro meses o clube não divulga suas demonstrações financeiras!”

“Desde setembro, coincidentemente o mês que começaram a chegar importantes reforços, que a diretoria não divulga informações financeiras, incorrendo em prática continuada de gestão irregular e temerária”

O texto, na íntegra (republicado abaixo), além das acusações, lista diversas obscuridades da gestão Duílio ‘do Bingo’, muitas delas levadas a conhecimento público, em primeira mão, pelo Blog do Paulinho.

A questão é, como sempre foi: qual o objetivo real dessa postagem?

Há quinze anos o Corinthians é administrado pelo mesmo grupo, com participação, em alguns períodos, dos que agora se demonstram contrariados.

O comportamento da gestão sempre foi o mesmo.

Enquanto aliados do poder, os membros do ‘Corinthians Grande’ não só fechavam os olhos para as barbaridades – alguns até lucravam com elas, como as defendiam, sob as mais diversas argumentações do ‘juridiquês’.

Fora do poder, passaram a revelar o óbvio, apesar de somente após publicado pela imprensa.

De prático, porém, nunca avançaram os limites da internet.

Embora instruídos juridicamente e com as facilidades óbvias dos relacionamentos no setor, inexiste, entre eles, alguém capaz de notificar os órgãos competentes, sejam criminais ou cíveis, para adoção, no mínimo, de investigações oficiais.

Elas se fazem necessárias diante da correta análise de falta de transparência na prestação de contas, da óbvia conivência dos departamentos fiscalizadores internos, mas, também, da covardia de conselheiros que tremem ao primeiro grito – e eles acontecem – em sala de reunião do Conselho Deliberativo.

De ‘nota’ em ‘nota’ na internet, o ‘Corinthians Grande’ parece querer apenas isentar-se do óbvio caos que está por vir – embora tenha contribuído para ele, ‘faturar’ politicamente, sem, porém, comprometer-se com a obrigação, intrínseca a qualquer cidadão, de agir, efetivamente, contra a prática criminosa no momento em que constatada.

Saber de tudo, mas apenas falar sem tomar atitude – interna ou externamente – é ser conivente, novamente, mas desta vez por omissão.


NOTA OFICIAL

Desde o início da atual gestão do Sport Club Corinthians Paulista, nós conselheiros e membros do Movimento Corinthians Grande estamos acompanhando com grande atenção e apresentando diversos requerimentos e sugestões para que o clube melhore suas práticas administrativas.

Mas passados 13 meses do início dessa gestão, que não deixa de ser a continuidade da última, AS PROMESSAS DE TRANSPARÊNCIA E DE CONFORMIDADE, que foram feitas durante a campanha, continuam a ser somente promessas, razão pela qual entendemos que é o momento de voltarmos a cobrar publicamente a diretoria.

Não foram poucas as reuniões e pedidos para que o clube tenha TRANSPARÊNCIA e CONFORMIDADE.

Na verdade não foram simples pedidos. O Estatuto do clube, em seu parágrafo segundo, artigo 122, OBRIGA a divulgação mensal no site da entidade das demonstrações financeiras.

Da mesma forma o artigo 25, inciso VIII da Lei 13.155/15 (Profut) diz que a não divulgação de forma transparente de informações de gestão aos associados e torcedores caracteriza gestão irregular ou temerária, passível de afastamento imediato e inelegibilidade de todos os dirigentes.

Há quatro meses o clube não divulga suas demonstrações financeiras!

Desde setembro, coincidentemente o mês que começaram a chegar importantes reforços, que a diretoria não divulga informações financeiras, incorrendo em prática continuada de gestão irregular e temerária.

Inacreditável que no início da gestão o clube divulgou a contratação de importantes empresas de consultoria como a Falconi e a KPMG, bem como anunciou e comemorou o início do processo de instalação de um programa de compliance em parceria com um escritório de advocacia.

Não foram detalhados o real escopo de cada projeto, qual sua abrangência em termos de número de profissionais, horas, por quais áreas começariam, prazos. Passado todos esses meses, não se sabe quais dívidas foram negociadas e baixadas do balanço patrimonial, quais os valores comprometidos, quais as orientações e políticas adotadas? Existe um relatório de cada uma dessas atividades? Será que as renomadas empresas ainda estão lá? Será que Falconi e KPMG também são coniventes com a total falta de transparência ? Por que ainda não foi iniciada a política de compliance, com canais de denúncia, mapas de riscos, manuais de conduta, campanhas, treinamentos?

Dois dos principais pilares de qualquer programa de governança passa por TRANSPARÊNCIA e SUPORTE DA ALTA ADMINISTRAÇÃO (o tom vem de cima ou tune at the top). Infelizmente, até o momento, tem-se apenas o discurso.

Vamos para o OITAVO ano da Arena Corinthians, agora Neoquímica Arena. NUNCA foi divulgado qualquer balancete ou demonstração financeira da sua operação.

É o terceiro Presidente do clube que recebe o pedido do Movimento Corinthians Grande de transparência com relação ao nosso estádio e não nos atende.

Solicitamos incontáveis vezes que as contas da arena sejam prestadas ao Cori mensalmente e ao CD semestralmente, publicadas no site, como se a operação inteira estivesse no CNPJ do clube (como é feito com as nossas contas): (i) As contas e evolução dos contratos de financiamento com a Caixa, BNDES, Odebretch, as movimentações financeiras dos CID’s e demais valores envolvidos; (ii) As contas referentes às despesas ordinárias de manutenção com departamento pessoal, prestadores de serviços e valores envolvidos, bem como as receitas detalhadas não só de borderô, como também das negociações de propriedades.

As misteriosas e obscuras negociações com Omni, Indigo, IBM, empresas de limpeza e segurança, camarotes. Quando que isso vai ser esclarecido?

Por que continuar a esconder?

O que as renomadas consultorias contratadas falam sobre essa “caixa preta”?

Ainda sobre o estádio, o clube não paga uma prestação da dívida desde a parcela vencida em 15 de fevereiro de 2019. Vão completar 3 anos sem qualquer amortização do saldo devedor.

Por outro lado, há mais de ano fala-se que o acordo com a Caixa está feito, “só falta assinar”. Com todo respeito, não é possível que uma questão envolvendo quase R$ 2 bilhões entre Corinthians, Caixa e Odebrecht esteja “tudo certa” oralmente. Muita irresponsabilidade e amadorismo. Logicamente que é uma negociação complicada, sigilosa, mas o corinthiano não pode continuar a ser enganado com falsas afirmações.

Além da dívida com a Caixa que está em fase de execução judicial, esqueceu-se da dívida com a Odebrecht Participações e Investimentos que está em Recuperação Judicial. No passado falou-se em quitação, depois esclareceram que a quitação era com a Odebrecht Construtora mediante a troca dos CID’s, e que com a Odebrecht Participações e Investimentos persistiria uma dívida. De quanto? As atas do Conselho falam em R$ 160 milhões? É isso? Nada disso que foi falado foi demonstrado.

A questão fiscal também é objeto de muita preocupação. Foram anos sem pagar os impostos corretamente, prática que perdura na atual gestão. Além de não recolher, pior, retém o imposto de renda e o INSS e não repassa o que é crime de apropriação indébita.

Sabemos que no final do ano o clube logrou êxito em transacionar parte desse passivo, mas porque o clube não divulga? Ainda assim o clube continua na lista de devedores de impostos. Aqui mais um ato de gestão irregular e temerária que pode levar a consequências graves aos diretores (que pelo jeito não estão preocupados) e, principalmente, ao clube. A consulta é pública, basta acessar o site e/ou o aplicativo do governo.

Temos observado um aumento na arrecadação financeira do clube, com novos parceiros comerciais, o que é muito bom. Porém, os custos que deviam ter diminuídos só aumentaram!

E não adianta ficar “bravinho” com os profissionais da imprensa e os consultores especializados em finanças esportivas, porque os números não mentem.

Já com relação aos novos parceiros, quando serão expostos e explicados os valores dos contratos e as contrapartidas oferecidas? Seria de suma importância que isso seja esclarecido para evitar qualquer frustação da torcida como já houve num passado recente, quando divulgaram um patrocínio de R$ 30 milhões que se descobriu depois que era de R$ 12 milhões. A fiel não tolera mais ser enganada por esse grupo gestor.

Por fim, mas não menos importante, já avisamos que não aceitaremos retrocessos democráticos no clube. A diretoria patrocinar pedido de alteração do Estatuto, antes de completar sequer 12 meses no cargo, para a própria reeleição é uma VERGONHA. Que se manifestem sobre essa excrescência também e, se for o caso, que retirem o pedido.

Não vamos deixar os resultados de campo embaçar nossa visão crítica sobre as ilegalidades e as irregularidades cometidas pela Diretoria.

Vai Corinthians!

MOVIMENTO CORINTHIANS GRANDE

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: