Advertisements

Os ‘interventores’ da Casa Bandida

A ilibada Justiça da Barra da Tijuca, quintal de Ricardo Teixeira, manteve o padrão ao nomear interventores da CBF o presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, e o da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos.

O rubronegro é frequentador da Justiça Criminal.

Em São Paulo, foi condenado por fraude à licitação, escapando da punição apenas na segunda instância.

Agora, o MPF garante que ele é gestor fraudulento.

O presidente do Flamengo teria lesado, ao menos, três Fundos de pensão (Funcef, Petros e Previ), enviando o suposto fruto de suas apontadas malandragens, ilegalmente, ao Exterior.

Módicos R$ 100 milhões.

Landim, que antes era o ‘menino de ouro’ do criminoso Eike Batista, agora é uma espécie de interlocutor de Bolsonaro no esporte.

Reinaldo Carneiro Bastos é notório espertalhão do esporte.

Na gestão Caboclo, recebeu R$ 1 milhão da Casa Bandida na condição, curiosíssima, de ‘consultor’.

Em sendo compra de voto – porque a FPF, presidida por Reinaldo, é eleitora da CBF – trata-se de quantia considerável.

Bastos, antes de assumir a Federação, pintou e bordou no Vale do Paraíba, principalmente nos bastidores da arbitragem.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: