Advertisements

Diego Alves, em manhã histórica, garante o Supercampeonato Brasileiro para o Flamengo

Após empate em dois a dois, o Flamengo sagrou-se bi-campeão da Super-Copa do Brasil ao vencer o Palmeiras por seis a cinco numa disputa de penalidades épica, com Diego Alves defendendo três cobranças e contribuindo, com a catimba, para outro erro palestrino.

Foi um jogaço!

Nem bem começou a partida e Raphal Veiga, no primeiro minuto, fez um gol espetacular, após receber a bola de costas, driblar Willian Arão, de calcanhar, numa meia-lua ‘a lá Edmundo’ – no Mundial de Clubes 2000, concluindo com a parte externa do pé para o fundo da rede.

O Flamengo sentiu o baque e demorou para engrenar.

Aos poucos, porém, os cariocas foram se soltando e criando algumas oportunidades, enquanto o Verdão, que marcava bem, arriscava-se no contragolpe.

Melhor em campo, o rubro-negro empatou aos 22, quando Filipe Luiz fez grande jogada pela esquerda, bateu no gol, a bola pegou na trave e, no rebote, Gabigol não perdoou.

Daí por diante o jogo ficou equilibrado, com volume maior do Flamengo, mas o Palmeiras bem perigoso no ataque.

Aos 28, Diego salvou o tento palestrino, em cima da linha, após batida de Breno Lopes que havia driblado Diego Alves.

Dez minutos depois, de maneira irresponsável, o treinador do Palmeiras, Abel Ferreira, depois de vários ‘chiliques’, conseguiu sua expulsão do banco de reservas.

No minuto 40, Vuaden, equivocadamente, assinalou pênalti para o Verdão, quando Isla derrubou Wesley na entrada da área, mas o VAR tratou de corrigir o problema.

Com o Flamengo pressionando, aos 48, Arrascaeta carregou a bola de dentro para fora da área, escolheu o canto e, com enorme categoria, desempatou.

Dois a um.

O Palmeiras voltou do intervalo pressionando, com Danilo no lugar de Felipe Melo, que estava amarelado desde os 9 minutos, e Gabriel Menino no de Zé Rafael.

Aos 63, Veron quase marcou numa cabeçada que passou a centímetros da meta flamenguista.

Rodrigo Caio, aos 71, de maneira infantil, puxou a camisa de Rony dentro da área, cometendo pênalti.

Dois minutos depois, Raphael Veiga bateu bem e empatou a partida.

O Palmeiras jogava acima do que vinha apresentando habitualmente, enquanto o rendimento do Flamengo caiu demais no segundo tempo.

Apesar disso, aos 86, Vitinho recebeu a bola na entrada da área, bateu rasteiro, a bola pegou na trave e voltou nas mãos de Weverton, que, agradecido, a beijou.

Nos minutos finais, o Flamengo partiu para cima e Gabigol, aos 93, chutou forte, Weverton defendeu em dois tempos, o segundo com a bola quase ultrapassando a linha de gol, com direito a confirmação pelo VAR.

O tempo normal terminou e vieram as penalidades.

Raphael Veiga, quase no meio do gol, 1 a 0 Palmeiras.

Arrascaeta, canto direito baixo, 1 a 1.

Gustavo Gomes, meio do gol, 2 a 1.

Filipe Luis, com paradinha, no travessão.

Scarpa, forte no canto direito, 3 a 1.

Matheuzinho bateu na direita e Weverton defendeu.

Diego Alves defendeu a cobrança de Luan, que bateu mal.

Vitinho, goleiro num canto, bola no outro, 3 a 2.

Diego Alves catimbou e e Danilo bateu na trave.

Gabigol, com paradinha, 3 a 3.

Vinha, com pancada no canto esquerdo, 4 a 3.

João Gomes, canto direito alto, 4 a 4.

Diego Alves defendeu penalidade mal cobrada de Gabriel Menino.

Weverton não deixou por menos e defendeu cobrança fraca de Pepe.

Veron, canto alto direito, 5 a 4.

Michael, meio do gol, 5 a 5.

Maike bateu no canto esquerdo e Diego Alves, sensacional, defendeu.

Rodrigo Caio, com enorme categoria, assinalou o gol do título.

6 a 5.

O Flamengo, com dificuldades maiores do que se esperava, ratificou sua superioridade e conquistou o primeiro título do que promete ser uma série deles em 2021.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: