Advertisements

Esposa de empresário de Campo Limpo Paulista, investigado por estelionato, também está sendo procurada pela Justiça

A polícia de São Paulo tem procurado, há algum tempo, o empresário Diego ‘Di’ Agiani, que prometeu erguer uma ‘Feirinha da Madrugada’ na cidade de Campo Limpo Paulista (apesar de não possuir os direitos sobre o negócio), para que preste depoimento em inquéritos pelos quais é investigado pela prática de estelionato.

Preocupado, o autoproclamado ‘Bispo’ tentou ‘habeas-corpus’ preventivo, negado, recentemente, pela Justiça.

O Blog do Paulinho descobriu, porém, que não apenas ele estaria com problemas.

Deise Carolina dos Santos Agiani, esposa de Diego, talvez, em determinados casos, agindo na condição de sua preposta, vem sendo procurada, e, assim como Diego, não encontrada.

A 1ª dama está sendo processada em Campo Limpo Paulista e também em Jundiaí – além de investigada noutras praças.


Jundiaí

No dia 25 de março de 2019, Deise assinou contrato de locação com a Sra. Cristiane Latorre do Amaral Gurgel, comprometendo-se a pagar R$ 12 mil mensais pela utilização de imóvel situado à Rodovia João Cereser, Km 66 – Casa F7 – Condomínio Quinta das Paineiras – CEP 13.214-470 – Jundiaí/SP.

Como garantia de pagamento, a esposa de Diego assinou três notas promissórias: duas no valor de R$ 2.280 e uma no de R$ 12 mil.

O relato da Sra. Cristiane, no processo, é absolutamente esclarecedor:

“Ocorre, porém, que a ré (Cristiane Agiani) desocupou o imóvel na data de 20 de maio de 2019, às escondidas, sem efetuar o pagamento dos aluguéis devidos e ainda deixando as contas de consumo de energia elétrica, água, Imposto Predial e Territorial Urbano, Taxa de Condomínio e Taxa de utilização de dependências em comum, não pagas”.

“Cabe enfatizar que a executada, quando do inadimplemento da primeira parcela da locação, emitiu cheque no valor de R$ 14.280,00 (quatorze mil, duzentos e oitenta reais), de sua conta corrente de nº 107854, junto ao Banco Bradesco, agência 0566, o qual, após regular apresentação pela exequente, foi devolvido pelo motivo 11 (onze), ou seja, por insuficiência de fundos”

O valor atualizado da dívida é de R$ 32,7 mil.


Campo Limpo Paulista

No dia 19 de dezembro de 2019, a FACCAMP – Faculdade Campo Limpo Paulista, ingressou com ação de cobrança contra Deise Agiani, por calotes diversos em mensalidades da instituição.

A dívida, atualizada, cobrada há mais de seis anos, é de R$ 8,9 mil.

Deise chegou a assinar, em 18 de novembro de 2014, acordo para quitação das pendências, que nunca foi honrado.

Em 07 de janeiro de 2020, o juiz Marcel Nai Kai Lee, da 2ª Vara Civil de Campo Limpo Paulista, determinou 72 horas para o pagamento da dívida e, se não efetuado, a penhora de bens da devedora.

Desde então, os oficiais de justiça não conseguiram efetivar a citação.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: