Advertisements

Guarani estuda entrar na Justiça para anular partidas em que Davó teria atuado de maneira irregular no Corinthians

Andres Sanches, Fernando Garcia e Paulo Garcia

No dia 08 de julho, a 9ª Vara Civel de Campinas tornou ineficaz a contratação de Matheus Davó pelo Corinthians, que foi acusado, em sentença, de concorrer, junto com o agente Fernando Garcia (intermediário do negócio) para fraude à execução, razão pela qual o caso foi direcionado à investigação do MP-SP e também da Receita Federal.

Ou seja, em tese, todo o procedimento envolvendo o caso está anulado.

Os direitos econômicos seguem penhorados para quitação do credor, RDRN – responsável pelo processo – e os federativos retornam ao Guarani.

Apesar de ciente da decisão judicial, que foi mantida, após recurso do Bugre, em sentença do dia 22 de julho, o presidente do Corinthians, Andres Sanches, de maneira, no mínimo, imprudente, permitiu que Davó figurasse na súmula da partida contra o Palmeiras, disputada no dia 22, quatorze dias após o atacante não mais pertencer ao clube de Parque São Jorge.

Pior ainda aconteceu no último domingo (26), quando o atleta entrou em campo, faltando apenas quatro minutos para terminar um jogo em que o clube vencia por dois a zero, ou seja, sem a necessidade de defender ou alterar o resultado.

A defesa do Corinthians é a de que Davó, por constar no BID, apresentava situação regular.

Ouvida pelo Blog do Paulinho, a advogada Gislaine Nunes, especialista em direito desportivo, discorda:

“A sentença da Justiça de Campinas se sobrepõe a qualquer decisão administrativa da CBF, que, em mantendo o jogador no BID, concorreu para a irregularidade do Corinthians”

“O jogador entrou em campo em situação irregular”.

Segundo art. 214 do CBDJ:

“Incluir na equipe ou fazer constar na Súmula ou documento equivalente, atleta em situação irregular para participar de partida, prova ou equivalente”, acarreta “perda do número máximo de pontos atribuídos a uma vitória, independentemente do resultado da partida”.

Ou seja, em comprovada a irregularidade de Davó, o Corinthians perderia seis pontos.

Na atual configuração da tabela do Paulistinha, o Guarani seria beneficiado e se classificaria para as quartas-de final, e o Timão, com os três pontos que o Oeste herdaria do confronto direto, seria rebaixado à segunda-divisão, porque ao juntar-se com 11 pontos a Água Santa e Botafogo/SP, perderia no critério ‘número de vitórias’ para a equipe de Ribeirão Preto.

Independentemente disso tudo, ainda que o clube se de bem em eventual reclamação na Justiça, fica a dúvida: por que Andres Sanches, ciente da decisão judicial em desfavor do Corinthians, aceitou correr tamanho risco pela escalação de um jogador que sequer foi aproveitado ao longo do torneio?

Trata-se de enorme irresponsabilidade da qual sequer existia benefício possível ao alvinegro, porém, talvez, aos intermediários envolvidos no negócio.

Diante desse quadro, o Guarani, desde ontem, estuda a possibilidade de, juridicamente, anular as partidas em que Davó foi inscrito pelo Corinthians quando, em tese, o jogador lhe pertencia.

O que motivaria o clube campineiro a comprar essa briga, além da questão de Direito, em si, seria, financeiramente, embolsar, no mínimo, R$ 400 mil de premiação, além de expor, ainda mais, uma lambança realizada pelo grupo político oposto ao dos atuais gestores do Bugre (embora alguns digam que são farinhas do mesmo saco).

Durante toda a noite de ontem, soubemos, Sanches tem ligado para pressionar os possíveis beneficiados com a punição ao Corinthians para que desistam de qualquer iniciativa à respeito.

Conseguiu, até o momento, a ‘adesão’ do Oeste, em que o presidente do clube preferiu, ao que parece, trocar a possibilidade manter a equipe na divisão principal pela preservação dos lucrativos negócios, pessoais, com o cartola do Timão.

23 jogadores do Corinthians ‘sambaram’ entre o clube de Barueri e o Corinthians nos últimos anos (André Vinicius, filho de Andre Negão, mantém contrato em vigor até o final de 2020, apesar de não estar sendo relacionado para as partidas).


Súmula em que Davó permaneceu no banco contra o Palmeiras:

Súmula em que Davó jogou contra o Oeste:


ATUALIZAÇÃO: Guarani decide não brigar com o Corinthians, na Justiça, pela vaga às quartas de final do Paulistinha

Guarani decide não brigar com o Corinthians, na Justiça, pela vaga às quartas de final do Paulistinha

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: