Advertisements

Para salvar o Corinthians, torcida precisa se mobilizar pelo impeachment de Andres Sanches

Nas últimas eleições, o presidente do Corinthians, Andres Sanches, foi eleito com apenas 30% dos votos (aproximadamente).

Os demais 70% foram divididos entres os adversários.

Destes, porém, o empresário Paulo Garcia, apesar de apresentar-se como opositor, era, em verdade, aliado.

Sua candidatura foi lançada com objetivos claros: dividir votos na oposição, garantindo a vitória de Andres, e formar bom número de conselheiros, que lhe proporcionariam poder de barganha.

Garcia sonha em ser presidente do clube e espera contar com o apoio de Sanches.

Nos últimos dias, após as revelações de documentos entre o acordo de Corinthians e CAIXA, para o empréstimo de R$ 400 milhões junto ao BNDES, em termos absolutamente lesivos ao clube, a ‘batata’ do mandatário alvinegro começou a assar no Parque São Jorge.

Opositores querem seu impeachment, no mínimo, por gestão temerária.

Resta, porém, diante da atual composição do Conselho Deliberativo, convencer os que votam ‘sem ideologia’ – obedecedores do comando de Paulo Garcia, a aderir a esse desejo.

Até o próximo dia 30, data em que teremos uma reunião extraordinária para que Andres Sanches tente explicar o inexplicável, o dono da Kalunga precisa decidir o que fazer.

Acreditar no apoio de Sanches, ainda que cada vez mais capenga em credibilidade, pelo sonho, pessoal, de ser presidente ou, em respeito ao Corinthians, ao menos liberar seus comandados para que votem de acordo com suas consciências.

É pouco provável que grupos de oposição encontrem acolhimento de Paulo Garcia em sua luta, sem que exista a exigência de contrapartida política, razão pela qual cabe aos torcedores do Timão pressioná-lo pela definição.

Em passado recente, por razões justas, mas bem menos graves, grupos organizados juntaram-se num movimento que acabou por esclarecer associados e imprensa de diversos desmandos administrativos do Corinthians, resultando na queda do então presidente, Alberto Dualib.

Muitos destes, lamentavelmente, sucumbiram à tentação e aderiram à gestão de Andres Sanches.

Doze anos após, talvez outro levante popular, com novas pessoas, possa, como ocorreu à referida época, livrar o clube de seus captores.

É certo que se não conseguir retirar o grupo de Sanches do poder, enraizado no Parque São Jorge sob o manto de práticas e costumes quase mafiosos, o Corinthians seguirá no caminho da insolvência, falta de transparência e desmoralização.

Advertisements

Facebook Comments

1 comentário em “Para salvar o Corinthians, torcida precisa se mobilizar pelo impeachment de Andres Sanches”

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: