Advertisements
Anúncios

Bolsonaro e o Fluminense

Em mais uma de suas atrapalhadas entrevistas, o presidente Jair Bolsonaro, ao ser questionado sobre como avaliava seus primeiros meses de Governo, comparou-o à partida entre Fluminense e Grêmio, vencida, epicamente, pelo clube das Laranjeiras por cinco a quatro.

“Não é fácil, não! Zebras acontecem. Você pode ter o time lá embaixo, quem diria o Fluminense, depois de estar perdendo por 3 a 0, fosse para cima do Grêmio? Teve muito gremista que no intervalo foi tomar o seu refrigerante, sua cerveja, e não viu mais o jogo, quando começou aquela avalanche de gols do Fluminense”

Convenhamos, nada a ver com o que, de fato, tem ocorrido no Planalto.

Diferentemente do Flu, que, apesar de possuir limitação de elenco, tem em Fernando Diniz um comandante ousado e adepto do futebol bem jogado, Bolsonaro é um presidente inábil, “retranqueiro” e compromissado com o atraso.

A única comparação possível deste Governo com o Fluminense seria a virada de mesa que retirou a equipe carioca da Série C do Brasileirão diretamente para a Série A, décadas atrás, semelhante ao acordo, indecente, proporcionador de um cargo no STF ao Ministro Sergio Moro, tudo indica, em troca de inconfessáveis ações jurídicas em meios às últimas eleições.

Bolsonaro, com a ajuda do então magistrado, agora “Super-Ministro”, além do auxílio político, proporcionado pelo destrambelhado que lhe esfaqueou (neste caso, sem seu consentimento), saiu da Série C do Congresso, local que infelicitou durante quase três décadas de baixo-clero, para a Série A do Planalto, ainda assim, como é notório, sem “futebol” suficiente para sustentar-se neste patamar.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: