Advertisements
Anúncios

Para funcionar, “nova Libertadores” tem que ser administrada pelos Estados Unidos

Discute-se, desde já, a incorporação de equipes dos EUA e do México, a partir de 2020, na Copa Libertadores, encorpando-a no dinheiro e, possivelmente, em qualidade.

Fala-se até na disputa final, que a partir do ano que vem será em jogo único, na cidade de Miami, reduto notório da população latina.

Nada disso funcionará, porém, se a administração do torneio permanecer à cabo da ineficiente e corrupta Conmebol.

Tanto a organização quanto a movimentação financeira precisam estar nas mãos dos Estados Unidos, país imbatível nestes dois quesitos, seja para fins esportivos ou de entretenimento.

Do contrário, o caos vigente terá apenas novas equipes vitimadas.

Se tocada pelos americanos, a Libertadores atingirá o tão sonhado patamar de Champions League (fora de campo), deixando de lado o ar varzeano que cerca o torneio há diversas décadas.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: