Advertisements
Anúncios

A mais deplorável diretoria da história do Corinthians

Vicente Cândido e Andres Sanches

Em 2007, assim que assumiu a presidência do Corinthians, Andres Sanches compôs uma diretoria que unia nomes de passado duvidoso, alguns advogados do grupo “Corinthianos Obsessivos” (por conta de acerto político), mas escondia o nome de dirigentes ligados à criminalidade, não empossados, mas atuantes na gestão.

Com o tempo, diante do encorpamento do grupo, tratado ainda, erroneamente, pela mídia, como “renovadores” e “transparentes”, estas pessoas, nas diretorias subsequentes (Mario Gobbi e Roberto Andrade) foram sendo, oficialmente, reveladas.

Mas nada se compara à deplorável seleção realizada por Andres Sanches neste ano de 2018, após a vitória nas eleições de fevereiro.

Sem a obrigatoriedade agradar grupos que o abandonaram no caminho, o deputado federal empossou a “nata” do Parque São Jorge.

Dentre as nomeações mais relevantes, salta aos olhos a existência de, ao menos, quatro investigados pela Polícia Federal, seja por acusações de recebimento de propinas durante a construção do estádio de Itaquera ou noutros problemas semelhantes:


  • Andres Sanches (presidente);

Investigado pela Operação Lava-Jato por receber vantagens indevidas da Odebrecht e da JBS/FRIBOI e pelo STF, por crimes diversos, entre os quais a prática de “Arara” com empresas da família e sonegações fiscais.

Apelidado “taxinha” no submundo do futebol pela parceria notória com diversos agentes, entre os quais Giuliano Bertolucci/Kia Joorabchian, Carlos Leite e Fernando Garcia

Etc, etc, etc.

  • Vicente Cândido (Diretor de Relações Institucionais e Internacionais)

Deputado federal do PT, acusado de “lobby” para viabilizar a permanência (por asilo) do mafioso russo Boris Berezovsky no Brasil (dono do dinheiro da MSI), investigado em diversas CPIs (inclusive ligadas ao futebol), delatado pela Odebrecht como recebedor de propina para facilitar as obras do estádio de Itaquera, sócio de Marco Polo Del Nero, foragido do FBI, etc, etc, etc.

  • André Negão (Diretor Administrativo)

Contraventor confesso, preso diversas vezes, acusado de bancar Jogo do Bicho e Maquininhas, detido pela Polícia Federal, acusado de receber propina da Odebrecht na construção do estádio de Itaquera, etc, etc, etc.

  • Luis Paulo Rosenberg (Diretor de Marketing)

Mentor econômico de José Sarney no período de “hiper-inflação” brasileira, condenado pelo Banco Central e pela CVM por participar da fraude do Banco Panamericano (oito anos sem poder atuar no mercado, além de pagamento de R$ 500 mil), sócio oculto da Poá Têxtil (ao lado de Andres Sanches), empresa acusada de diversos desvios de conduta, etc, etc, etc

  • Alexandre Husni (vice-presidente)

Acusado, em escutas oficiais da Polícia Federal, pela prática de compra de sentenças de juízes no TJ-SP; dono de duas empresas de atividades suspeitas em Miami/EUA (“Bonerdalle Of Flórida, Inc” e “Alevera Properties, LLC”), etc, etc, etc.

  • Duílio Monteiro Alves (Diretor de Futebol)

Vulgo “Duílio do Bingo”, protagonista de ações criminais e cíveis por conta da pratica de jogatina em bingos da família; “parceiro” de Andres Sanches em negócios nebulosos no futebol, entre os quais a compra de Alexandre Pato, fomentadora de comissões diversas pagas em paraísos fiscais e transformadas, depois, em imóveis e empresas em Miami/EUA, etc, etc, etc.


Entre os menos relevantes ou apenas prepostos de gente da própria diretoria listada acima (vários já apresentados pelo Blog do Paulinho), estão alguns mais conhecidos deste espaço, como os “Fora Dualib” Donato “da erva” Votta (Diretor de Esportes Terrestres) e Fabrício Vincentim (Adjunto de Esportes Aquáticos), além do Dr. Carlos Roberto Elias, tratado por alguns como “Dr. Viola do Meretrício”, ex-advogado de André Negão e Mané da Carne, flagrado em matéria da Rede Globo como procurador jurídico de empresa que, supostamente, aplicaria golpe em aposentados.

Por falar em Mané da Carne, apesar de ainda assessor de Andres Sanches no gabinete federal, explicitou-se o desprestígio, sabe-se lá por quais razões, de quem chegou a ser chefe do parlamentar nas categorias de base, não só por ter ficado de fora da diretoria, como também ao ver empossado um desafeto notório, o Dr. Kalil, na diretoria de futebol.

Os outros diretores são:

Edna Murad (vice-presidente), Jorge “Totó” Kalil (adjunto de futebol), Wesley Melo – ligado ao “Fora Dualib” (financeiro), Fabio Trubilhano – ligado a Rosenberg (jurídico), Pedro Luis Soares (adjunto jurídico), Eduardo Caggiano Freitas – acusado de facilitar compra de votos nas eleições, ligado a Andre Negão (adjunto administrativo), Aurélio de Paula (Patrimônio e Obras), Leandro Martins da Silva (adjunto de patrimônio e obras), Wellington dos Santos Raso Cardoso (social), Luis Wagner Alcântara (adjunto esportes terrestres), Marcão – ligado a André Negão (esportes aquáticos) e Michele Weinberger – ligada aos “Fora Dualib” (adjunta cultural).

Não foi anunciada, ainda, a diretoria do futebol de base, que segue, por enquanto, sob comando do bicheiro Jaça.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: