Senadores evitam oficialização da “lavagem de dinheiro” ao rejeitarem regulamentação dos “jogos de azar”

Resultado de imagem para jogatina

Treze senadores pertencentes à Comissão de Constituição e Justiça, contra dois votos de cooptados, rejeitaram regulamentar a exploração de “jogos de azar” e a reabertura de Cassinos no Brasil.

Estão de parabéns.

Evitaram, assim, a oficialização da “lavagem de dinheiro”, além da facilitação à incitação de um vício (da jogatina) que, segundo pesquisas diversas, faz tão mal à saúde (inclusive a financeira) quanto o consumo de entorpecentes.

“Ah! Mas é hipocrisia… os jogos existem independentemente da regulamentação… estão retirando impostos do país…”, argumentam alguns.

Tem que ser bem inocente para acreditar que os donos de jogatinas emitirão Notas Fiscais de seu ganhos ou que as, por ventura, apresentadas, serão objeto “apenas” do que foi arrecadado do bolso dos jogadores.

O tráfico de drogas, em exemplo, também existe, mas nem por isso ponto de cocaína deve ser estimulado.

Em tempo: a notícia desagradou ao diretor de futebol do Corinthians, Duílio “do Bingo”, e ao clã dos “Monteiro Alves, que tinham como certa a aprovação.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.