Anúncios

Seria mais fácil Rogério Ceni “demitir” Leco do que o contrário

No ano passado, em meio a duro período eleitoral, Leco não pensou duas vezes e aproveitou-se do “Mito” Rogério Ceni, queimando etapas óbvias de preparação para, de maneira irresponsável, alça-lo à treinador do São Paulo.

Esqueceu-se, porém, talvez porque não se tratava do objetivo principal, de fornecer-lhe condições mínimas de trabalho.

Ceni, um iniciante, pegou nas mãos um clube que, dos últimos 32 torneios disputados, desde 2008, venceu apenas a insignificante Copa Sul-Americana (2012), constatação absoluta de fracasso administrativo.

Diante da evidente dificuldade, o treinador, que já não tinha à disposição grupo de jogadores qualificados, tem assistido, resignado, a desmanches orquestrados pela diretoria, que, diferentemente do que é discursado, beneficiam mais a terceiros do que resolvem os problemas financeiros do Tricolor.

É obvio que Ceni tem parcela substancial de culpa pela incapacidade, ainda, de tirar da “pedra” quantidade substancial de “leite” que treinadores com mais rodagem na profissão (por conta de terem subido degraus com parcimônia), caso de Fábio Carille, do Corinthians, fazem com notável competência.

Em seu inegável amor pelo São Paulo, o “Mito” aceitou enfrentar Leões sem armadura, fazendo indireto papel de “santinho” político da cartolagem, quando deveria, até pelo prestígio que possui no clube, ter negado a oferta de emprego, sabedor de que, quando estivesse preparado, bastaria um aceno para que seu desejo de assumir a gestão técnica Tricolor fosse atendido.

O torcedor do clube, atento cada vez mais às mídias sociais, ao menos parece estar entendendo a situação, e tem cobrado muito mais os dirigentes do que a Rogério Ceni, que, dentro de suas limitações, tem se esforçado para dar ao clube, mesmo claramente prejudicado pelas negociatas recentes, a melhor das situações.

Demiti-lo sem contextualizar o caos que lhe fora repassado é dar aval aos que destroem o São Paulo desde 2008.

Pelo que se observa nas recentes manifestações, se possível fosse, seria mais fácil (e justo), com enorme apoio popular, Rogério Ceni dar “cartão vermelho” a Leco e seus parasitas do que o contrário.

Talvez fosse a melhor solução: Ceni na presidência, indicando treinador mais bem preparado, trabalhando pelo bem do clube de seu coração, unindo profissionalismo à utopia, com risco menor de ver arranhada imagem conquistada a duras penas durante décadas de respeito à camisa Tricolor.

EM TEMPO: para abafar manifestações contrárias à sua gestão, Leco renovou ontem, à contragosto, o contrato de Lugano, ídolo do clube, tratando de realizar, ele próprio, a devida propaganda do “feito” em mídia social.

Anúncios

4 Respostas to “Seria mais fácil Rogério Ceni “demitir” Leco do que o contrário”

  1. Luiz Carlos Luchetta Says:

    Com todo o respeito, que porcaria.

    Só duas ou três coisas:

    .A eleição foi neste ano, 6 meses depois da contratação de Ceni.

    .A proposta do São Paulo FC para a renovação do contrato do Lugano estava com o jogador desde o início da semana passada. Teria sido o último jogo dele pelo São Paulo no domingo. Ele resolveu aceitar.

    .O Carile não está assim tão à frente do Ceni, mesmo profissionalmente. A diferença entre os dois é que a torcida e a imprensa jogam juntos com o timegov. Ah, os árbitros também.

    . Se o elenco do São paulo fosse tão ruim, como os “analistas” dizem, não teria desmanche, ainda mais que somados, o valor das vendas passa da centena de milhões de reais.

    . Percebo na imprensa não só vontade, mas também uma campanha, para que o técnico caia. São os mesmos que criticam os dirigentes quando mandam treinadores embora antes do término do contrato.

    . Tem torcedores e torcedores. Torcida organizada e alguns blogs que mais se parecem de não sãopaulinos, não servem como termômetro da torcida. Aqueles modinhas e politiqueiros não nos representam. Óbvio que a torcida quer vitória e está impaciente e irritada. Eu também estou.

    . Uma pequena análise: o time vinha muito bem até a fatídica semana de jogos contra o Cruzeiro e o timegov. Foram jogos trágicos. O time ainda conseguiu se recuperar nos dois jogos de volta, mas o estrago já havia sido feito. Frise-se que foi roubado nos dois jogos contra o timegov. Depois disso, Cueva se machucou e nunca mais voltou a jogar bem, nem mais ou menos. O time teve muitos jogadores contundidos. Some-se a isso erros grotescos de zagueiros que, felizmente, estão sendo vendidos. O maior erro está na preparação física que compromete o desempenho em campo e facilita as contusões.

  2. Alan Cézar (@EUABSOLUTIS) Says:

    Parabéns Paulinho.

    O Ceni é um amador, mas a soberba e a incapacidade (mesmo sendo inteligente e com vasta experiência como bom goleiro que foi, mas não tem como técnico) em aceitar a realidade de que NÃO é técnico de futebol nem de várzea, não consegue “baixar a bola” e fazer como o ótimo e realista Zidane.
    Zidane, que teve oportunidade para fazer um curso curto na Espanha, mas por não ser soberbo e saber usar sua inteligência dentro da realidade, foi para a França fazer um curso mais longo e mais profundo sobre como ser técnico de futebol.

    Após o curso, foi humildemente e de forma inteligente, sem soberba, treinar o Real Madrid B, foi auxiliar técnico, ou seja, aprendeu de fato, e não se lançou em aventura sem a menor condição.

    http://brasil.elpais.com/brasil/2016/01/04/deportes/1451923171_733379.html

    Podem colocar 15 jogadores de seleção e, não será muito diferente do que é hoje.

    Azar do São paulo nosso ETERNO freguês, apanha desde uma das dezenas de fundações (nem ele sabem a data de fundação, são tantas), mesmo quando era time de governos (Adhemar-Porfirinho-Natel e mais um monte de tranqueira) apanhou muito. Atualmente, tenho dó quando vencemos os coitados.

    Fico imaginando o sofrimento que teve o Tite ao perder quase 20 jogadores em menos de seis meses, e como devem ter sofrido os outros que o substituíram e, mesmo assim o time não foi tão mal. Com o profissional Carille que, está anos luz à frente do Ceni e com jogadores razoáveis – não que os outros tenham jogadores muito diferentes, talvez em duas ou três posições – faz um ótimo trabalho, por conhecer a profissão de técnico, coisa que o Ceni (um bom goleiro) não conhece, ele acha que conhece.

  3. Luiz Carlos Luchetta Says:

    Em quase 87 anos de confronto o timegov tem 22 vitórias a mais nos confrontos com o São Paulo.

    Como é o time da imprensa de São Paulo e como houve, realmente, uma pequena sequencia de vitória há pouco, criou-se o mito, ou melhor, a mentira, que o São Paulo não ganha do timegov.

    O São Paulo já derrubou mais de 14 técnicos, após derrotas, do timegov.

    Esse número de técnicos demitidos é muito mais significativo que a diferença de vitórias. E bota significativo nisso.

    Quando o São Paulo nasceu, porque o Paulistano não aceitou a profissionalização, o timegov já havia sido campeão paulista várias vezes (amador), inclusive contra time de moradores da Lapa.

    Só tem uma coisa, a imprensa não engana mais ninguém e, por consequência…

  4. Luiz Carlos Luchetta Says:

    Em tempo1: o São Paulo nasceu pobre, sem mecenas, sem sede. Porfirio da Paz perdeu tudo que tinha para conseguir alguma coisa para o time. Sim, era apenas um time. Usam o fato, que deveria ser motivo de orgulho, para depreciarem o maior do mundo, quando deveria ser o contrário. Nasceu pobre e se tornou um gigante. Um orgulho para todo são paulino.

    Hoje é o maior do Brasil e um dos maiores do mundo.

    Em tempo2: time grande não cai. Gigante, como somos, menos ainda.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: