Anúncios

Coluna do Fiori

fiori - dicunto

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“Ah… Seria maravilhoso ver a Humanidade se confraternizando pelo grandioso fato de existir”

  1. L. Santos – pensador

——————————————————————

Confraternização 

Lembrando

Entendo que possamos e devemos colocar de lado todas as divergências, vez que, com ou sem as mesmas, foram anos de convivência.

Contato

Imperativo informar comparecimento através e-mail: encontrodearbitros@terra.com.br

Aos mal-intencionados

Afianço que minhas opiniões continuam as mesmas, nada mudou ou mudará, vez que, para fazermos jus ao termo seres racionais, antes de tudo, mesmo divergindo, se faz necessário que nos respeitemos

Escala referente às partidas de volta das Semifinais da Série A1 do Paulistão 2017

Sábado 22/04

Palmeiras x Ponte Preta

Árbitro: Raphael Claus

Assistente 01: Bruno Salgado Rizo

Assistente 02: Luiz Alberto Andrini Nogueira

Castigo

Para uns e premiação para outros

Clareio

No dia 23/02/017 Thiago Duarte Peixoto arbitrou a contenda entre Corinthians x Palmeiras, no item técnico, trabalho aceitável; no disciplinar, informado que houvera errado, fez pé firme, mantendo a expulsão do corintiano Gabriel.

Punido

Através imagem da TV, Thiago Duarte Peixoto foi punido por 60 dias

Recompensado

Por volta de 15 dias quando da disputa Guarani x Portuguesa de Desportos, alusiva a Serie B do Paulistão, Raphael Clauss aprontou o diabo no item técnico, ou seja: na maior cara dura, por três ocasiões transgrediu as leis do jogo, mesmo assim foi “sorteado” para atuar na contenda acima citada

Lava Jato

Por esta e várias outras situações continuo aguardando minuciosa verificação na administração da CBF, federações, clubes e entidades de classe, em especial, as entidades dos árbitros de futebol

Partidas de ida da Série A1 do Paulistão 2017

Domingo 16/04

Ponte Preta 3 x 0 Palmeiras

Árbitro: Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza

Assistente 01: Tatiane Sacilotti dos Santos Camargo

Assistente 02: Daniel Paulo Ziolli

Item Técnico

Durante o transcurso da contenda o principal representante das leis do jogo deixou de marcar faltas, culminando com a não marcação da penalidade máxima cometida por Fernando Prass, goleiro do Palmeiras, no oponente Pottker

Item Disciplinar

Foram advertidos corretamente com cartão amarelo 04 defensores da Ponte Preta e 03 palmeirenses, mesmo assim, deixou passar batido alguns, por atos indisciplinares

São Paulo 0 x 2 Corinthians

Árbitro: Luiz Flavio de Oliveira

Assistente 01: Danilo Ricardo Simon Manis

Assistente 02: Miguel Cataneo Ribeiro da Costa

Item Técnico

No momento que recebeu a redonda e a mandou profundo da meta são-paulina, sem a menor dúvida, via TV, no ato, observei a posição de impedimento do corintiano Jô, inexplicavelmente, o assistente 01 não ergueu a bandeirinha

Item Disciplinar

Correto na advertência com o amarelo, sendo: 02 defensores são-paulinos e 03 corintianos

Politica

Um pelego de aluguel

Lula vendia o controle das greves que liderava ao patriarca da empreiteira Odebrecht

Para qualquer sindicalista, da direção ou da base, que militasse nos anos 70 no movimento operário, a mais forte condenação feita a um adversário era chamá-lo de pelego. Afinal, de acordo com o Dicionário Houaiss, a palavra designa “agente disfarçado do governo que procura agir politicamente nos sindicatos”. O sentido original do termo remete à “pele de carneiro com a lã, colocada sobre os arreios para tornar o assento do cavaleiro mais confortável”. Ou, por extensão, “indivíduo servil e bajulador, capacho, puxa-saco”.

Dificilmente alguém que conhecesse, então, a fama de Luiz Inácio da Silva, o Lula, eleito presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema (hoje do ABC) em 1975 com 92% dos votos e principal líder das greves da categoria na virada dos 70 para os 80 do século 20, o desqualificaria dessa forma. Afinal, foi eleito com o apoio do então presidente Paulo Vidal, fundador do chamado sindicalismo autêntico, contra os pelegos comprometidos com a máquina estatal desde o Estado Novo e seus adversários comunistas, leais à linha moscovita do marxismo-leninismo. Reeleito por força própria em 1978, também com quase a unanimidade de votos, construiu sua biografia alheio à herança populista de Getúlio e com fama de líder operário que não dava trégua ao patronato.

Dá, portanto, para imaginar o espanto nacional ao ver e ouvir, no último fim de semana, de um dos mais poderosos e agora sabidamente corruptos e corruptores burgueses brasileiros, Emílio Odebrecht, “patriarca” da empreiteira herdada do pai, Norberto, e passada para o filho, Marcelo, que a empresa lhe pagou propina sistemática (por isso, corruptora) nestes últimos 37 anos. Com dinheiro furtado da Petrobrás e de outras estatais (daí, corrupta), a construtora contratada para prestar serviços financiou campanhas eleitorais do ex-dirigente sindical nas disputas políticas para presidente da República. Isso após haver conseguido os favores dele na condução de greves da categoria em seu Estado, a Bahia.

À noite, em redes nacionais de televisão, de manhã nas edições dos jornais e ao longo de todo o dia nas emissoras de rádio, o empreiteiro bilionário contou um caso de assustar todos os brasileiros. “Foi uma greve que estava perdurando, com problemas seriíssimos. E eu sei que ele não só me ajudou, como criou uma relação diferenciada com o sindicato na área da Bahia, do petroquímico em particular. Isso, para nós, foi importante, tendo em vista o crescimento do petroquímico e tal. Então, você tem um processo de convívio com ele, quase que institucional. De quando em quando, duas, três, quatro vezes… talvez até em determinados anos mais”, disse Emílio Odebrecht literalmente, sem tugir nem mugir.

Brasileiros de todas as regiões, fés religiosas, idades e convicções políticas têm sido informados “noturna e diuturnamente”, como diria sua discípula favorita e sucessora, Dilma Rousseff, de que para manter o seu Partido dos Trabalhadores (PT) no governo o herói proletário permitira o diabo sob sua gestão. E não apenas para ganhar eleições, mas para ficar no poder. Sob sua égide, a referida senhora e seu vice, Michel Temer, protagonizaram a maior fraude eleitoral da História, que está sob julgamento no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). E pelo que foi apurado até agora dá para perceber que, nos três mandatos e meio dos petistas, nenhum cofre da República ficou incólume: todos foram esvaziados.

O delegado Romeu Tuma Jr., filho do homônimo ex-diretor do Dops e da Polícia Federal, revelou em seu livro Assassinato de Reputações (Topbooks, 2013) que o mais popular líder político da História do País foi informante de seu pai nos movimentos sindicais. Pode até não ser verdade. Só que até agora ninguém desmentiu oficialmente os argumentos usados pelo policial, ex-secretário de Segurança do Ministério da Justiça no primeiro mandato do indigitado.

Os depoimentos dos 78 executivos e ex da Odebrecht, já chamados de delação do fim do mundo e agora também do mundo todo, de vez que abrangem todo o espectro ideológico e político do País, trazem novas informações e documentos que jogam no pântano sua pretensão a ser o brasileiro mais honesto de todos os tempos. E conforme foi revelado agora, constata-se seu papel de “pelego enrustido” (apud Houaiss, dissimulado), eis que sempre atuou a serviço daqueles que publicamente execrava nas assembleias, nos palanques, nos meios de comunicação e nos pronunciamentos oficiais. Emílio contou que a Odebrecht participou da redação do documento mais importante da campanha histórica que levou ao poder pela primeira vez na História do Brasil um operário braçal, ele próprio: a Carta ao Povo Brasileiro.

E não ficou nisso. No livro O que Sei de Lula (Topbooks, 2011), registrei a versão muito comum, disseminada por empresários que conviveram com um dos ideólogos do golpe militar de 1964, o general Golbery do Couto e Silva, de que o metalúrgico teve a carreira apadrinhada por este. Fê-lo para evitar que seu inimigo, Leonel Brizola, encampasse os sindicatos de esquerda na redemocratização. Emílio Odebrecht contou o seguinte: “Eu fui pedir ajuda ao Golbery, conversar essas coisas todas para lhe pedir uma orientação e na conversa vai, conversa vem, vem o negócio de Lula. E ele chegou e fez um negócio que me marcou. ‘Emílio, Lula não tem nada de esquerda’. Foi-lhe, então, perguntado: ‘Nada de esquerda?’ E Emílio explicou: ‘Nada de esquerda. Ele é um bon-vivant. Olha, e é verdade. Ele gosta da vida boa’.” Pois é.

Réu em cinco processos na Justiça e alvo de mais seis petições remetidas pelo relator da Lava Jato no STF, Edson Fachin, a várias varas da primeira instância, Lula já tem problemas de sobra para enfrentar. Só faltava a revelação de que o herói da classe trabalhadora nunca passou de um pelego enrustido, alugado pela corrupta burguesia nacional.

Publicado no Estadão do dia 19/04/2017 – Autor: José Nêumanne – Jornalista, poeta e escritor

—————————————————————–

Finalizando

“Aqueles que seguem por caminhos sinuosos, jamais serão felizes”

Píndaro – foi um poeta grego

—————————————————————–

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP22/04/2017

Ouça abaixo os programas “COLUNA DO FIORI”, desta semana, que foram ao ar pela rádio Rock n’ Gol

*A coluna é também publicada na pagina Facebook:  “No intervalo do Esporte”

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: