Anúncios

Odebrecht pagava propina para Andres Sanches em troca de aditivos para elevar preço do estádio

andres, lula e alexandrino alencar

Executivos da Odebrecht, em delação premiada, combinaram a versão de que a construtora, em vez de pagar propina ao deputado federal Andres Sanches (PT) – crime mais grave – “apenas” agraciou-o com doação de campanha (R$ 2,5 milhões) pagos por intermédio de Caixa 2 – crime de menor apenamento.

Outro que mentiu foi o dono da empresa, Emílio Odebrecht, ao dizer que o estádio de Itaquera tratava-se de “presente ao presidente Lula”.

Fica a impressão de que a Odebrecht fez caridade a todos (Corinthians, Andres Sanches e Lula), sem nada receber de contrapartida.

Que vantagem teria a empresa (coincidentemente construtora do estádio em Itaquera) ao financiar, com valores expressivos, a campanha de um candidato ao parlamento sem a menor expressividade ?

As “doações”, pagas em dinheiro na casa do vice-presidente e chefe de gabinete André Negão, eram, em verdade, dissimulações de pagamentos de propina para Andres Sanches – que sempre foi a palavra final do clube nos negócios envolvendo o Itaquerão – em troca de “aditivos”, ou seja, dele facilitar as constantes alterações contratuais que elevaram, gradativamente, o preço do estádio, orçado inicialmente em R$ 335 milhões (fixos), para o R$ 1,25 bilhão conhecido (com juros, mais de R$ 2 bilhões).

O cronograma de aumento do preço do estádio de Itaquera (sem juros, correções e demais empréstimos) é o seguinte:

  • 16 de setembro de 2010: R$ 335 milhões;
  • 03 de setembro de 2011: R$ 820 milhões;
  • 02 de setembro de 2014: R$ 985 milhões;
  • 05 de fevereiro de 2015: R$ 1.213.773.000,00

Abaixo documentação comprobatória de toda essa operação:

Conselho Deliberativo, em reunião realizada no dia 16 de setembro de 2010, aprovou a construção do estádio do Corinthians em Itaquera, pela Odebrecht, com orçamento fico de R$ 335 milhões:

rosenberg

Em 03 de setembro de 2011, Andres Sanches assina contrato com a Odebrecht, ao lado de Lula, Emilio e Marcelo Odebrecht, além de Alexandrino Alencar (operador de propinas da construtora) com valor final do estádio acrescido (sob justificativa da Copa do Mundo), mas “congelado” em R$ 820 milhões (quase o triplo do valor aprovado pelo CD) – no link abaixo, a íntegra do contrato:

https://blogdopaulinho.files.wordpress.com/2016/12/contrato-corinthians-odebrecht-c3adntegra.pdf

ÍNTEGRA DO CONTRATO DE REPASSE DO EMPRÉSTIMO DO BNDES (R$ 400 MILHÕES) INTERMEDIADO PELA CAIXA EM REPASSE AOS ADMINISTRADORES DA ARENA EM ITAQUERA – COM ANEXOS, ENTRE OS QUAIS OS CONTRATOS DE SEGUROS (para baixar clique no link abaixo)

Contrato de Financiamento CAIXA – CORINTHIANS – BNDES (Com Anexos)

O arquivo contém:

(Pagina 01-49)

CONTRATO DE FINANCIAMENTO MEDIANTE REPASSE No 447.355-11, CONTRATADO COM O BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL – BNDES QUE ENTRE SI CELEBRAM A CAIXA ECONÔMICA FEDERAL E A ARENA ITAQUERA S/A, NA FORMA ABAIXO

Assinaram pelo Corinthians o então presidente, Mario Gobbi Filho e o diretor financeiro, Raul Corrêa da Silva.

estádio 2

(Página 50-53)

ANEXO I -MATRÍCULA DO IMÓVEL ALIENADO FIDUCIARIAMENTE AO AGENTE FINANCEIRO

(Página 54-56)

ANEXO II – MATRÍCULA DO IMÓVEL HIPOTECADO AO AGENTE FINANCEIRO

(Página 57-58)

ANEXO III – QUADRO DE USOS E FONTES

estádio 1

(Página 59-168)

ANEXO IV – SEGUROS DE CONSTRUÇÃO DA ARENA

Contrato de Seguro com a Chartis Seguros Brasil S/A (AIG SEGUROS) intermediado pela OCS ODEBRECHT ADMINIST. E CORRETORA DE SEGUROS LTDA.

Todas as corretoras ganham comissionamento neste tipo de negócio.

Valor total segurado:

  • R$ 820 milhões
  • Mão de Obra: R$ 164 milhões

70% garantido pela Chartis Seguros; 30% pela Zurich Brasil Seguros.

Custo do Seguro:

  • R$ 391.728,54, pagos em quatro parcelas (0+4) por emissão de carnê para a Chartis Seguros;
  • R$ 1.201.884,10 pagos à Zurich Seguros

estádio 5

estádio 4

estádio 6

 

PRIMEIRO ADITIVO (para baixar clique no link abaixo)

Contrato de Financiamento CAIXA – CORINTHIANS – BNDES (1º Aditivo)

Em 02 de setembro de 2014, a Odebrecht enviou o último “boletim de avanço” ao FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII, com cópia a Rodrigo Martins Cavalcante, da gestora BRL TRUST, e ao presidente do CORINTHIANS, o delegado Mario Gobbi, atestando que as obras do “Fielzão” foram, oficialmente, concluídas em agosto de 2014.

O blog deu publicidade ao ato e à documentação, com exclusividade, em 27 de junho de 2015.

https://blogdopaulinho.com.br/2015/06/27/odebrecht-encerrou-obras-do-fielzao-em-setembro-de-2014-confira-valores-oficiais-do-negocio/

É por conta desta papelada (comprometedora para construtora e a dirigentes alvinegros), que a Odebrecht tem se recusado a colaborar com auditores contratados para reavaliar a obra.

Tacitamente, o Corinthians, que já havia aceitado o termino das obras antes da Copa do Mundo, novamente o fez ao não se contrapor ao documento, que, em anexo, no item “saldo das obras a executar”, indica, claramente, que nada mais necessitava ser feito.

O valor final, R$ 985 milhões (sem juros e correções), mas com sobrepreço sobre o inicialmente previsto (R$ 820 milhões) ficou assim detalhado:

– Manutenção e Operação do Canteiro: R$ 135.660.000,00

– Projetos: R$ 52.770,339,00

– Serviços Preliminares e Drenagem: R$ 22.988.759,00

– Terraplenagem: R$ 20.502.801,00

– Contenções: R$ 12.504.841,00

– Fundação: R$ 32.447.745,00

– Estrutura de Concreto: R$ 124.866.182,00

– Acabamento: R$ 280.849.801,00

– Instalações: R$ 135.734.492,00

– Acessos e Estacionamento: R$ 9.867.193,00

– Cobertura: R$ 107.192.080,00

– Campo de Futebol: R$ 1.824.769,00

– Galerias: R$ 10.297.715,00

– Urbanização e Paisagismo: R$ 37.493.283,00

estadio conta 3

estadio conta 4

O relatório (de conclusão do estádio), porém, é uma fraude, que os dirigentes do Corinthians, tudo indica, em conivência lesiva ao clube, aceitaram.

Basta observar que apenas dois meses antes deste documento, a mesma Odebrecht havia enviado outro “boletim de avanço” de nº 37, especificando a real situação da obra, demonstrando que faltavam R$ 87 milhões a serem concluídos, destes:

– R$ 10 milhões (manutenção e operação do canteiro)

– R$ 77 milhões (acabamento)

estadio conta 1

estadio conta 2

Depois deste período, o estádio foi entregue ao Comitê da Copa do Mundo, posteriormente ao clube, sem que um prego sequer fosse alterado (excetuando-se a retirada das arquibancadas provisórias que acabaram por deteriorar ainda mais o que já estava concluído).

Ou seja, o relatório acima trazia a real condição do estádio de Itaquera, que persiste até os dias atuais, com o agravante da falta de manutenção e a perda substancial de recursos (além do que precisará ser gasto para conclusão das obras – oriundos do caixa do Corinthians, que deu aceite à conclusão do contrato) impossíveis de serem auferidos devido à não possibilidade de utilização, adequada, de diversos setores da Arena.

SEGUNDO ADITIVO (para baixar clique no link abaixo)

Contrato de Financiamento CAIXA – CORINTHIANS – BNDES (2º Aditivo)

O segundo aditivo contém a alteração do valor do estádio, que passa a custar R$ 1.213.773.000,00.

Consta também os empréstimos:

  • R$ 128,7 milhões (Odebrecht)
  • R$ 400 milhões (emissão debentures)

estádio 7

Surge também o ANEXO VIII – MINUTAS DE GARANTIAS DOS DIREITOS REMANESCENTES, que são os contratos assinados entre os participantes do FUNDO II, regulamentando a participação de cada empresa no negócio (Páginas 201-277).

CONTRATO DE SUPORTE DE ACIONISTA E PATROCINADOR

Assinado pela CAIXA, Jequitibá Patrimonial S/A, Odebrecht Participações e Investimentos S/A, Odebrecht S/A, Arena Itaquera S/A e Corinthians.

O banco comunica aos parceiros direitos e deveres que devem ser seguidos à risca sob penalização de rompimento de contrato ou execução sumária da dívida.

Contrato de Suporte de Acionista e Patrocinador

CONTRATO DE SUPORTE DE ACIONISTA E PATROCINADOR (1º Aditamento)

Contrato de Suporte (1º Aditamento)

CONTRATO DE SUPORTE DE ACIONISTA E PATROCINADOR (2º Aditamento)

Contrato de Suporte (2º Aditamento)

 

Anúncios

8 Respostas to “Odebrecht pagava propina para Andres Sanches em troca de aditivos para elevar preço do estádio”

  1. Gustavo Leite (@gleitelourenco) Says:

    Tudo farofada pra não pagarem o estádio!!!

  2. Alan Cézar (@EUABSOLUTIS) Says:

    Ótima notícia, paga-se ao BNDES os R$ 400 milhões o que estiver acima tem que ser revisto.

    Como qualquer pessoa normal e com mais de dois neurônios como é o meu caso, sei que, o Corinthians deve ao BNDES empréstimo autorizado e que está negociando prazos, para que fiquem iguais aos dados a outras Arenas da Copa. Empréstimo que tem que ser pago sem contestação.

    Se não tiver que pagar, que não paguem à construtora, mas ao BNDES nem pensar em ficar sem pagar.

    Espero que a WTorre pague ao BB empréstimo que tem como garantias as edificações da Arena Parque Antárctica, assim como o Corinthians tem a que pagar ao BNDES.

    Com relação ao que a construtora lá colocou, tudo tem que ser revisto, todos os contratos renegociados e tudo tem que ser auditado. Enquanto não for feito isso, nada de pagar à construtora.

    E ainda tem inocente que acha que foi presente e, ao mesmo tempo diz que o Corinthians não vai pagar, este raciocínio dúbio é normal para os baixo portadores de neurônios.

    Deveriam usar o que disse o Sr. Emílio que foi um presente e não pagar nada para eles.

  3. Corinthians e Odebrecht: agrado… aditivo | Blog do Paulinho Says:

    […] – Jornalismo com Credibilidade – « Odebrecht pagava propina para Andres Sanches em troca de aditivos para elevar preço do estádi… […]

  4. Odebrecht pagava propina para Andres Sanches em estádio  | BerriNews Says:

    […] https://blogdopaulinho.com.br/2017/02/23/odebrecht-pagava-propina-para-andres-sanches-em-troca-de-ad… […]

  5. tavares41 Says:

    Na verdade quem assinou foi o Mario Gobbi!!!!!!!

  6. L.A,R,G,A/O\O,S,S,O (@woops47) Says:

    Esse cara fez e ainda tá fazendo muito mal para o Corinthians!

  7. – E o caso dos 2,5 milhões de reais a André Sanches, abafado pelo Derby? | DISCUTINDO CONTEMPORANEIDADES Says:

    […] Entenda a picaretagem direto do blog que mais entende de Corinthians e seus bastidores, o “Blog do Paulinho”, em:  https://blogdopaulinho.com.br/2017/02/23/odebrecht-pagava-propina-para-andres-sanches-em-troca-de-ad… […]

  8. Odebrecht pagava propina para Andres Sanches em estádio  | Luciano Nunes Says:

    […] https://blogdopaulinho.com.br/2017/02/23/odebrecht-pagava-propina-para-andres-sanches-em-troca-de-ad… […]

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: