Coluna do Fiori

fiori - dicunto

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“A grandeza de uma pessoa está em saber reconhecer sua própria pequenez”

Blaise Pascal – foi um filósofo, físico, matemático e escritor francês

—————————————————————-

1

Limite de Idade para árbitros

FIFA

No inicio do ano 2015 a entidade máxima do futebol mundial elevou de 45 para 50 anos o limite de idade para a continuidade dos árbitros internacionais desde que cumpram as exigências clinicas e físicas

Todos os países

Seguem o regulamento FIFA, incluso a CA-CBF, assim como, maioria de suas filadas, salvo a:

CA-FPF

Por imposição do diretor e ex-árbitro Domingos Roberto Domingues, não aceitando a inscrição dos árbitros com 45 anos, não condiz com a época presente

Frustrado

Convenço-me que proceder do diretor da CA-FPF Domingos Roberto Domingues expõe sua frustação por não ter chegado quando na arbitragem nos degraus que arrogantemente expunha ter direito

—————————————————————————-

Quartas de Final da Copa São Paulo de Futebol Júnior – 2017

Terça Feira 17/01

Paulista 1 x 0 Chapecoense

Árbitro: Salim Fende Chavez

Item Técnico

Durante a contenda inverteu e deixou de marcar falta. Quanto aos assistentes, observei erros inaceitáveis:

– Evandro de Melo Lima, assistente 01, errou na sinalização de lateral

– Leonardo Augusto Villa, assistente 02: estando na mesma linha, por duas ocasiões, errou e feio apontando impedimento do ataque da equipe da casa

Item Disciplinar

Aceitável. Três amarelos para defensores do Paulista e dois para Chapecoense

Quarta Feira 18/01

Botafogo-RJ 0 x 0 Batatais

Árbitro: José Cláudio Rocha Filho

Tempo normal

Botafogo-RJ 0 x 0 Batatais

Decisão por pênaltis

Vitória da equipe do Batatais: 3×2

Itens Técnico

Inversões e não marcação de faltas, pouca noção de colocação durante o transcurso da refrega

Disciplinar

01 amarelo para defensor do Botafogo, como também, pro Batatais

No todo

Muito papo e pouca ação

Quinta Feira 19/01

Juventus 1 x 0 Bragantino

Árbitro: Daniel Bernardes Serrano

Item Técnico

Duas ou três indevidas leis de vantagem, como principal, aos 30 minutos da segunda etapa, não marcou falta quando de um ataque do Juventus; na sequência, bola ficou com oponente, e jogo seguiu

Item Disciplinar

Menos que meia boca – 03 cartões amarelos para defensores de cada equipe

No todo

Não gostei

Corinthians 2 x 1 Flamengo

Árbitro: Thiago Duarte Peixoto

Item Técnico

Por volta do 35º minuto da segunda etapa, estando de frente pro lance, na cara dura, Thiago Duarte Peixoto deixou de marcar claríssima penalidade máxima, cometida por um defensor do Bragantino, no momento que a redonda se encontrava dentro da área, próxima da linha de fundo, lado direito do ataque adversário

Item Disciplinar

Acertou por ter advertido com cartão amarelo 01 corintiano e 02 rubro-negros

Concluo

Tecnicamente foi bem. No entanto, durante o transcurso da refrega por diversas oportunidades se portou de maneira arrogante, não viveu a partida, ou seja, não vibrou, com isso, nos fez entender, que ali estava, por obrigação, mais descontente

Política

1

HIPOCRISIA E AMNÉSIA:

Teori não foi este santo, ele foi um juiz que abraçou as causas petistas

Ao me deparar com inúmeras postagens sobre a canonização póstuma do ministro Zavascki, confesso que fiquei surpresa.

Parece que os brasileiros sofrem de “memória curta na forma aguda”.

Logicamente que sua prematura morte foi uma perda para seus filhos, família, amigos e companheiros do STF e de ideologia. Óbvio que me condoo com a dor alheia, mas sei exatamente diferenciar a perda humana da perda institucional.

Teori Zavascki na minha humilde opinião, não passará para a história como um herói brasileiro ou como aquele que tentou moralizar a República através de seu ofício. Zavascki era um homem alinhado com a esquerda e seus ideais. Foi um ministro que não poupou esforços para dar uma interpretação forçosamente benevolente quando os réus partilhavam da sua mesma orientação político-ideológica.

Lembram dos famosos “Embargos Infringentes“ na ação penal do Mensalão ? __Lá estava ele, firme e forte na interpretação pró-quadrilha petista.

Lembram da ação para garantir a quase impunidade para José Dirceu e Delúbio Soares?

__Lá estava ele a postos para entender o comportamento destes criminosos e apressar suas saídas do xilindró.

Lembram do caso do áudio escandaloso envolvendo o ex-presidente Lula e sua criatura Dilma Rousseff?

__Ele foi uma voz destoante para censurar a conduta irrepreensível do juiz Moro e sua atuação profissional, a fim de proteger a dupla das garras da justiça.

Lembram do processo, em que poderia ter culminado com a prisão de Luiz Inácio Lula da Silva?

__Ele fez questão de abortar esta possibilidade e garantir que o acusado respondesse pelos crimes em completa liberdade, apesar das inúmeras e graves acusações existentes e que autorizariam uma eventual prisão preventiva.

Ele acertou também! Proferiu votos significativos e relevantes, mas muito longe de ser um expoente impar da nossa magistratura. De uma forma geral, ele, Teori, foi um juiz que abraçou a causa petista e em razão dela foi escolhido para atuar. Fez questão de ser discreto, mas não o suficiente para esconder suas tendências ideológicas, que muitas vezes se viram refletidas em suas decisões.

Portanto, muita hipocrisia e amnésia neste momento tentar fazer dele um herói da República, um magistrado perfeito e que apenas atendia aos interesses do país e da justiça, quando na verdade tinha nítidas preferências partidárias e se deixou influenciar por elas.

Respeito à dor de seus entes queridos, mas não compactuo com a comoção histérica da morte de um herói inexistente. Tribunais não são locais indicados para a política.

Publicação Zero83 do dia 20/01/2017 – Autora: Por Claudia Wild

——————————————————————

Finalizando

“Sempre notei que as pessoas falsas são sóbrias, e a grande moderação à mesa geralmente anuncia costumes dissimulados e almas duplas”

Jean-Jacques Rousseau – foi um importante filósofo, teórico político e escritor suíço

——————————————————————-

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-21/01/2017

*A coluna é também publicada na pagina Facebook:  “No intervalo do Esporte”

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Ouça abaixo as duas edições do programa COLUNA DO FIORI, desta semana, que foram ao ar pela rádio Rock n’ Gol (http://rockngol.com.br)

 

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.