A confusão política do São Paulo

roubo spfc

O que era absolutamente esperado confirmou-se ontem, em decisão do STF, que deu ganho de causa ao conselheiro do São Paulo, Francisco de Assis de Vasconcellos, que pedia a anulação de todos os atos administrativos do Tricolor desde o ano de 2004.

Ou seja, em tese, o atual presidente do clube, Leco, estaria em situação irregular.

A Lei prevê a nomeação de um interventor, além doutras consequencias (sobre contratos, etc) que precisão ainda ser devidamente avaliadas.

O clube, sabedor de que isso aconteceria, correu para aprovar novo estatuto, em fevereiro de 2016, que estava em desconformidade com a legislação, porém caberá ao STF ratificar a legalidade ou não do procedimento, apesar do São Paulo, em nota dizer que “tem convicção que cumpriu a decisão proferida em 1ª Instância, de 2004, tendo em vista que promoveu uma Reforma Estatuária por meio de Assembleia Geral de Sócios, em estrito cumprimento ao Código Civil”.

Não tem.

A indefinição, herança de sucessivas gestões arrogantes, acostumadas a ter a vida facilitada por aproximação com juízes e desembargadores (muitos conselheiros do clube), prejudicará, indubitavelmente, os bastidores tricolores, não apenas pela proximidade eleitoral (não se sabe se o eleito terá os poderes que deseja), mas também pela necessidade de ambiente tranquilo para a remontagem, pelas mãos de Rogerio Ceni, do departamento de futebol.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.