Ditado popular e o encontro do “mecenas” com deputado investigado na Arena do Corinthians

Marcio Seboso, Paulo Garcia, Antonio Rachid e Andres Sanches (PT)

Marcio Seboso, Paulo Garcia, Antonio Rachid e Andres Sanches (PT)

Ontem, num dos camarotes da Arena de Itaquera, encontraram-se, com direito ao registro fotográfico acima, o mecenas, Paulo Garcia e seu agraciado, o deputado federal Andres Sanches (PT), a quem doou R$ 600 mil para campanha eleitoral.

O parlamentar, vale a pena lembrar, é investigado por diversos crimes, inclusive pela “Operação Lava-Jato”, que prendeu seu ex-chefe de gabinete, André Negão, acusado de receber R$ 500 mil em propina da Odebrecht.

Com eles estavam seguidores antigos, entre os quais, Marcio Seboso (que “trabalha” no gabinete de Sanches) e Antonio Rachid (aliado de Garcia), num ambiente aromatizado pelos diretores Donato “da erva” e Fabrício Vicentim, ex-Fora Dualib, também presentes.

Todos, em diversos momentos, inclusive recentes, já se trataram (algumas vezes publicamente) pelos mais desairosos adjetivos, entre os quais: “pilantra”, “ladrão”, “safado”, “corrupto”, etc.

Há dezenas de testemunhas destas conversas.

Até pouco tempo atrás, diziam opor-se politicamente no Corinthians, um porque “Garcia quer ser dono do clube”, ou “Rachid fazia as “coisas” para Dualib”, outro porque “Sanches era do baixo-clero”, “Sanches ganha a vida com o clube”, e por ai vai.

Em regra, lamentavelmente, a honra sai pela porta dos fundos quando a política adentra na sala, quase sempre acompanhada da falta de vergonha, ou como no episódio de ontem, no camarote (que, por sinal, até hoje não se tem certeza se foi pago, a quem se pagou e quanto custou).

Existe um ditado popular que diz: “Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão”.

Levando-se em consideração a explicitada aproximação e os termos (em que a palavra “ladrão” frequentemente era incluida) com que os amigos se tratavam (não se sabe de de maneira verdadeira ou em simples brincadeira), talvez a frase, difundida popularmente, para explicar a união de gente que pensa (e se comporta) de maneira semelhante, seja bem adequada ao singelo momento.

ATUALIZAÇÃO: (foto abaixo) no mesmo dia, horas antes, Andres Sanches esteve em São Miguel Paulista com o ex-bicheiro André Negão (candidato a vereador pelo PDT) e o Dep. Luiz Moura (acusado pelo MP de integrar facção criminosa da Capital).

andres, negão e luiz Moura

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.