Jilma Tatto (PT), o PCC e sua família de grileiros

andres e tattolandia

“Na verdade, eu não perdi a eleição para um partido político, eu perdi a eleição para uma organização criminosa que se instalou no seio de algumas empresas brasileiras patrocinada por esse grupo político que aí está”.

(Aécio Neves, em entrevista a Globo News)


O Blog do Paulinho, desde sempre, tratou o Secretário de Transportes do Município, Jilmar Tatto (PT) (foto com personalidades do Corinthians), como homem a serviço do PCC, facção criminosa que assombra não apenas os presídios, mas também a população de São Paulo.

Hoje, não há sequer um motorista de Van em São Paulo que deixe de contribuir, voluntariamente, ou não, com parte de sua renda para os caixas da criminalidade.

Quem se recusa, sofre as consequências.

A família Tatto tem diversos veículos rodando no mercado, assim como vereadores ligados a TRANSCOOPER (uma das cooptadas pelo crime).

Mas não é apenas nesse “esquema” que Jilmar Tatto fez fortuna e se criou politicamente em São Paulo.

Desde décadas atrás, sua família, com hábitos de facção, vivem de “grilagem” na região da zona sul da Capital, mais precisamente pelos lados de Santo Amaro.

O golpe é simples: incitam bandidos a invadirem terras que consideram improdutivas, depois, com capangas, tomam posse do terreno, loteiam e vendem para os próprios invasores ou interessados de fora, lucrando uma fortuna, praticamente sem investimento legal algum.

Obviamente, parte do lucro seria destinado ao PCC.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.