Advertisements
Anúncios

Palmeiras já deveria ter multado WTorre – que não tem dinheiro para finalizar Arena – desde 2010

6d627-paulonobre

Diferentemente do que Walter Torre Junior vem dizendo, sem verdade, em sua conta de twitter, “que nunca entregou obras com atraso”, a regra para a WTORRE, empresa que sequer consegue alimentar adequadamente seus funcionários, é bem diferente.

Todas as suas obras, sem exceção, tiveram problemas.

A maios recente, a do Shopping JK, ficou meses atrasada pelo descumprimento da construtora a normas acertadas com o MP, levando lojistas a prejuízos incalculáveis.

Noutros casos, assim como ocorreu no estádio palmeirense, além do descumprimento de prazo, houve até mortes de trabalhadores, quando a empresa, mesmo embargada judicialmente, operou na clandestinidade, sem requisitos mínimos de segurança.

Sem contar o empreendimento do Dique Seco, realizado de maneira “suspeita” em terras desapropriadas a preço elevado, na cidade de Rio Grande (RS), e que pertenciam a então diretora da Petrobrás, Dilma Rousseff.

Licitação vencida, segundo notícias à época, por uma “laranja”, que depois foi incorporada pela WTorre, com facilitação do PT, e que resultou numa obra desastrada, que precisou ser toda refeita, custando aos cofres públicos o dobro do que havia sido orçada.

Não poderia se esperar, obviamente, que as coisas corressem conforme combinado, na Arena Palestra.

Desde 2010 a construtora promete entregar o estádio ao Palmeiras.

Depois passou para 2011, 2012, 2013, 2014 e, agora, sabe-lá quando as coisas serão, de fato, finalizadas.

A grande verdade é que a Wtorre atravessa dificuldades financeiras – previstas anteriormente não apenas por esse espaço, mas por qualquer pessoa que minimamente pesquisou o mercado – e não possui recursos, no momento, para cumprir o que prometeu.

Razão pela qual inventa brigas e problemas, mascarando a realidade financeira.

Toda a obra da Arena Palestra, até o momento, foi paga com empréstimos tomados pela WTORRE, sejam bancários ou por emissão de debentures, no intuito de, com o funcionamento do estádio, quitar a pendência.

Não deu certo.

Os credores agora batem a porta da construtora para receber, e a situação tem ficado cada vez mais insustentável.

Resta ao Palmeiras executar o contrato, cobrar as devidas multas, desde 2010 – sabe-se lá o motivo de nunca terem sido executadas – e tentar ainda – com certeza a melhor solução – transferir o empreendimento para uma construtora de porte, que devolverá a Walter Torre tudo o que já foi gasto até o momento.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

45 comentários sobre “Palmeiras já deveria ter multado WTorre – que não tem dinheiro para finalizar Arena – desde 2010

  1. Engraçado, só o Fielzão não será do Corinthians. O Chiqueirão, mesmo sem previsão de conclusão, será da Associação Portumeiras de Desportos e o Panetone, construído com dinheiro público em terreno público, é do SPFW.

  2. O projeto é MÁGNIFICO, mas a construtora é de QUINTA CATEGORIA, mas não é possível que agora que está chegando ao final da obra vai começar a desandar.
    Os Shows da banda one direction que estão marcados para MAIO, estão sendo anunciados em quase todas as rádios FM, inclusive com vendas de ingressos, caríssimos por sinal, o mais barato é $300, a tendência é a obra ficar pronta mesmo com todos esses problemas, ou o prejúizo será ainda MAIOR, pra WTORRE LÓGICO, O Palmeiras só tem á GANHAR.

  3. Poutzzz, que merda…… logo cheirei algo assim pelo tempo que levou para demolirem o antigo estádio e seguir com esse a passos de tartaruga…

    Achar uma construtora de porte para seguir o projeto?? Precisa ter nome limpo na praça também ?? Pois eh, que bela epopeia será essa não….

  4. A situação é a seguinte:
    O WTORRE levanta para trabalhar e dá um tápa no traseiro rechonchudo deitado ao lado, trajando apenas um babydoll e fala:
    – Palmeiras, levanta e vai malhar esse bumbum que eu não gosto de bunda flácida!
    -Aiii Walter! – responde o Palmeiras entre risinhos e pede pra ele deixar um dinheirinho sobre o criado mudo.
    Assim é o relacionamento entre o guarani da turiassú e seu “buana”, “mecenas” ou simplesmente “tiozão”.

  5. Curioso, vc continua escrevendo MORTES, no plural, quando ocorreu um morte apenas. O que já é muito grave.
    Você perde credibilidade construída com muito esforço de forma rápida, dessa forma.
    Abcs

    Paulinho: Curioso é vê-lo tropeçar na orelha e não perceber que o texto não fala apenas sobre a morte da Arena… Leia sem ódio, talvez perceba o equívoco

  6. Paulinho quem esta em pior situacao financeira, voce ou a Wtorre?

    Paulinho: A WTorre, que deve mais do que arrecada. Minhas contas estão em dia. Agora, quem está em pior situação intelectual, você ou o Mané da CArne ? Já que ambos trabalham para o mesmo patrão…

  7. A arena da morte.Depois da morte de um trabalhador,outros são
    contaminados com comida estragada e alguns estão em estado grave no hospital.Essa construtora não tem dinheiro nem pra uma
    refeição decente para os seus funcionários.Que vergonha!
    O difícil vai ser o porquinho arrumar outra construtora séria e de
    peso pra finalizar as obras.Pra isso é preciso força, prestígio internacional e um time com garantia de retorno financeiro..

  8. pobre bugrinadinha Bi-rebaixada iludidas…… pior na alienação, somente as co-irmãs Gaivotas

  9. A WTorre reformou em 2010 uma das plantas da empresa que trabalho. Em menos de 6 meses teve que refazer todo o piso e até hj quando chove muito saí água por todos os lados, inclusive pelas luminárias.
    Essa é a tal de WTorre!

  10. esse fielzao é retardado alem de não saber ler um texto,ainda escreve coisa sem sentido va se tratar o bestao

  11. A PORCADA JÁ TÁ FALIDA E AINDA PEGA CONSTRUTORA FALIDA?? O CHIQUEIRÃO NÃO VAI FICAR PRONTO NUNCA….

  12. ACABEI DE OUVIR NA RADIO ESTADÃO DE QUE A ALLIANZ E A AEG JA ESTÃO APERTANDO A W TORRE COBRANDO O PRAZO DE ENTREGA DA OBRA POIS JA TEM SHOWS AGENDADOS…….kkkkkkkk….VÃO ACABAR MORRENDO COM UMA MULTA ESTRATOSFÉRICA…!!!!!!!!……BEM FEITO BANDO DE SACANAS….

  13. Isso é apenas uma manobra da WTorre pra tentar recuperar um prejuízo enorme que eles vão ter, pois caso não entreguem a obra nos conformes até abril de 2014 vão ter que pagar uma baita multa ao Palmeiras, a AEG e também a Allianz, pois já tem um calendário de shows agendados na Arena, vendo que não vai dar tempo de terminar a obra eles querem comercializar as cadeiras, assim levantariam lucros pra pagar essas multas previstas em contrato! Se fosse o Walter Torre pegava as 10 mil cadeiras que o Palmeiras está abrindo mão, vendia o mais rapido possível e aceleraria as obras pra evitar pagar as multas, senão a WTorre vai falir, kkkkkkkkk!

  14. AEG e Allianz pressionam a WTorre para acertarem as pendências com o Palmeiras e não atrasarem a obra
    08 de novembro de 2013 |

    Daniel Batista – O Estado de S.Paulo
    SÃO PAULO – Diretamente interessados no acerto entre WTorre e Palmeiras, a AEG e a Allianz estão preocupadas e já pediram para a construtora se entender com o clube o mais rápido possível. A tendência é de que a obra do estádio atrase ainda mais e já se fala na possibilidade de a construção ficar pronta apenas em outubro de 2014, após a data do centenário do Palmeiras, dia 26 de agosto. Oficialmente, a previsão da conclusão da obra continua sendo abril.

    O Estado conversou com representantes da AEG e Allianz e eles deixaram claro que a ideia é não tomar partido na briga – pelo menos por enquanto – entre clube e construtora, mas exigem uma solução rápida para o prejuízo não ser ainda maior para todos os envolvidos. A AEG é responsável pela realização e comercialização de eventos na arena e a Allianz comprou os direitos do nome do estádio por US$ 300 milhões.

    A AEG já contratou a banda inglesa One Direction para dois shows, dias 10 e 11 de maio de 2014, no estádio do Palmeiras, e os ingressos para o primeiro dia da apresentação do grupo estão esgotados. A organizadora do evento diz que vai esperar mais algumas semanas para aguardar um acordo entre Palmeiras e WTorre e, caso não aconteça, deve entrar em contato com os compradores dos bilhetes e comunicar a alteração de local do show. O Morumbi é uma opção.

    “Acreditamos que não seria interessante para ninguém essa demora. Se cada um dos lados ceder um pouco, acho que todo mundo sai ganhando e teremos a arena que, não só os palmeirenses, mas toda a cidade espera”, disse um membro da AEG. A ideia era que antes da apresentação do One Direction fosse realizado um mega show com uma banda ou um astro internacional. Rolling Stones, Jennifer Lopez e Paul McCartney são alguns dos cotados.

    O temor das empresas é que se o acordo entre construtora e clube não sair, a briga vai para Câmara da Fundação Getúlio Vargas (FGV) e isso pode atrasar a obra por até um ano, ou seja, apenas em 2015 os shows e jogos poderiam ser realizados. O ponto de maior divergência está em relação a comercialização de cadeiras. A WTorre alega que é a responsável pela venda de todos os lugares da arquibancada enquanto o Palmeiras diz que a construtora tem apenas dez mil cadeiras sob sua supervisão. A relação pessoal entre Walter Torre e Paulo Nobre é tão ruim que clube e construtora resolveram contratar intermediários para falar em nome das partes nas reuniões de conciliação. E eles ainda contarão com um terceiro negociador, que ficará neutro na discussão.

  15. Paulinho, vi uma notícia que a WTORRE estária interessada em vender a parte dela do Shopping JK, acho que esse dinheiro deverá ser investido no Allianz Parque.

  16. Promessa de entrega pra 2010?? O contrato só foi assinado pelo Tirone em 2011, como eles poderiam entregar uma obra antes? A previsão de entrega era Abril/2013.
    Espero que com a pressão exercida por AEG e Allianz um acordo saia rapidamente e as obras continuem num ritmo que possibilite a entrega ate abril do ano que vem.

  17. Que fase hein!!!!
    E o macumbeiro, será que não consegue reverter a situação fazendo um despachinho hoje, sexta-feira.

    Será que o idiota está procurando emprego lá na França???

    Nota de risco da França é rebaixada. Veja consequências

    Ministro confirmou que a agência reduziu a nota de crédito do país de AAA para AA+

    O governo francês confirmou nesta sexta-feira (13) que seu país teve sua nota rebaixada pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s.

    O ministro das Finanças, François Baroin, confirmou que a agência reduziu a nota de crédito do país de AAA (a máxima possível) para AA+.

    As condições de financiamento do Estado francês correm o risco de endurecer, quer dizer, as taxas dos empréstimos para financiar sua dívida, atualmente de 3,2% para as obrigações a 10 anos, devem aumentar. Cada alta de um ponto percentual destas taxas equivale a cerca de 3 bilhões de euros de custo adicional (cerca de 3,9 bilhões de dólares).

    Uma situação complicada para Paris, que prevê solicitar dos mercados em 2012 cerca de 179 bilhões de euros.

    Nenhuma administração local poderá conservar seu triplo A depois da perda dessa nota a nível nacional, visto que boa parte de seu orçamento procede do Estado. Portanto, estas administrações devem ter mais dificuldades em encontrar financiamento para custear a construção de uma estrada ou de um museu, por exemplo.

    Empresas

    As empresas sofrerão, em primeiro lugar, pelo rebaixamento generalizado do contexto econômico, o que pesará nas cifras do faturamento. Isso as levará a adiar investimentos e contratações.

    Suas atividades também serão freadas por um abrupto estancamento do crédito, sobretudo para as pequenas e médias empresas, que terão muitas dificuldades de financiamento para continuar suas atividades.

    Os grandes grupos franceses, que obtêm a maior parte de seus benefícios fora da França, podem encontrar outras fontes de financiamento no exterior.

    As grandes empresas públicas, como a EDF (eletricidade) ou a Aeroports de Paris (serviços e gestão aeroportuária), verão suas notas serem rebaixadas, visto que o Estado é acionista, com um consequente enfraquecimento financeiro. Sofrerão, além disso, a redução de pedidos públicos.

    Bancos e seguros

    Com o rebaixamento da nota da França, a dos bancos também cairá, aumentando o custo de seu refinanciamento. Isso equivalerá a menos crédito a particulares e empresas e crédito mais caro, especialmente os empréstimos imobiliários.

    Para as seguradoras, o efeito da alta das taxas das obrigações soberanas francesas deve ser nulo, exceto se estas companhias detectarem uma forte queda das contribuições sobre os seguros de vida. Nesse caso, necessitarão de liquidez e se verão obrigadas a vender suas obrigações com prejuízo.

    Já se a arrecadação for satisfatória, as empresas poderão melhorar a remuneração dos contratos de seguros de vida em euros.

    O rebaixamento das notas de vários países europeus pode, contudo, desestabilizar o setor de seguros.

    Particulares

    Se as taxas aumentarem com força, o sobrecusto para o Estado e as administrações locais deverá ser financiado, daí o risco de um significativo aumento dos impostos ou de novas medidas de austeridade orçamentária.

    A deterioração das condições de financiamento e do entorno econômico para as empresas pode ter impacto em seus investimentos e, portanto, nos empregos.

    Os bancos ficarão mais cautelosos, o que pode levar a uma diminuição do crédito, especialmente o imobiliário.

    A perda do triplo A também pode ter consequências mais indiretas. Por exemplo, os passageiros poderiam pagar mais caro por seus bilhetes de trem se a companhia ferroviária for afetada pela decisão das agências de avaliação, já que deve pagar mais por se financiar nos mercados.

  18. O bloguista esqueceu a ligação da empresa com o ex-ministro PALOCCI, noticiada pelo jornal o estado de são paulo.

  19. Fred2 Disse:

    novembro 8, 2013 às 11:10 am

    cade o Lampiona?
    _________________________________

    Resposta:

    Não comentarei muito em posts relacionados a times pequenos…
    Lusa, Palmeiras, XV de Piracicaba, Botafogo de Ribeirao Preto…etc etc etc
    com todo o respeito

  20. ESTOU ME ADIANTANDO…SOU TOTALMENTE CONTRA

    O Palmeiras está perto, enfim, de fechar um patrocinador master para estampar o espaço mais nobre do uniforme em 2014, no centenário. Após meses de negociações, a Caixa Econômica Federal, parceira do rival Corinthians e de outros clubes brasileiros, é a favorita para anunciar no uniforme do Verdão. Segundo pessoas próximas ao presidente Paulo Nobre, o acordo valeria de janeiro a dezembro do próximo ano e renderia entre R$ 25 milhões e R$ 30 milhões aos cofres do clube do Palestra Itália.

    O desfecho está próximo de ser concretizado muito pela influência e contribuição de Gilberto Carvalho, ministro-chefe da Secretaria-Geral da presidenta Dilma Rousseff e um dos principais conselheiros de Luiz Inácio Lula da Silva, do qual foi chefe de gabinete durante oito anos. Palmeirense, Carvalho costuma falar do clube nos bastidores do Palácio do Planalto. Um perfil dele publicado pela revista “Piauí” em setembro de 2011 relata o ministro entoando o hino alviverde nos bastidores políticos da capital federal.

    Leia mais no LANCENET! http://www.lancenet.com.br/palmeiras/Palmeiras-fechar-patrocinio-direito-Lula_0_1025297664.html#ixzz2k4tWSz55
    © 1997-2013 Todos os direitos reservados a Areté Editorial S.A Diário LANCE!

  21. Torço para que o nosso querido porquinho saia desse imbróglio com essa construtora.Eu não gosto ver os pequenos sendo passado pra trás.É muita humilhação ser bi rebaixado e ficar a merce dos mais fortes.Esse estádio será um alento a essa tão sofrida torcida.

  22. Osvaldo SEP em novembro 8,
    2013 às 2:56 pm

    Eu também sou contra, mas se não encontrar uma empresa privada que pague bem, que seja a CAIXA.

    O Palmeiras sempre em PRIMEIRO LUGAR.

  23. A questão não é o Walter Torre querer ou não atrasar as obras…ele simplesmente NÃO PODE. Tanto que as obras continuam, apesar de ele ter tentado blefar, armando uma “operação tartaruga”, mas percebeu que a coisa não funciona assim.

  24. Nada como um dia após o outro e já aparece o demagogo ditadorzinho querendo se aparecer. O negócio do cara é fazer média. Pensei que o babaca tivesse ido procurar emprego na França kkkkkkkkkkkkkkk!!!

  25. Resposta:

    Não comentarei muito em posts relacionados a times pequenos…
    Lusa, Palmeiras, XV de Piracicaba, Botafogo de Ribeirao Preto…etc etc etc
    com todo o respeito

    Obrigado pelo respeito e consideração.

    E tb fica óbvia a aceitação do codinome LAMPIONA.

  26. JUDAS, voce não aceita que eu tenho opinião propria e que toda hora quebro voce, desculpa, voce é hipócrita e defende ladrões.

  27. sobre o possível patrocínio estatal ao Palmeiras, já adianto que sou radicalmente contra.
    O estado tem que interferir o mínimo na economia.
    Com tantos patrocínios, o governo começa, de certa forma, controlar o esporte mais popular do pais, o que significa que os clubes ficarão dependentes do governo petista, que tem uma relação promíscua com a Grobo e CBF.
    Coisa boa disso tudo não vai sair. A lavagem de $$$ nos clubes é enorme, fora a sonegação e calotes.

  28. Eu sou contra um patrocino estatal,para a gambazada,mas como é
    pro palestra,não vejo problema nenhum em um dinheirinho público.
    Avanti Palestra!

  29. E depois aparece um canalha vomitando que PETRALHA é bom, só se for para destruir as coisas e superfaturar

    http://economia.estadao.com.br/noticias/negocios-geral,contrato-da-petrobras-com-a-odebrecht-e-investigado-por-superfaturamento,169716,0.htm

    Contrato da Petrobrás com a Odebrecht é investigado por superfaturamento
    Ainda em vigor, termo de US$ 825,6 milhões fechado na gestão Gabrielli inclui aluguel de três copiadoras por R$ 7,2 milhões e salário mensal de pedreiro de R$ 22 mil

    RIO – A Petrobrás fechou com a construtora Odebrecht, em 2010, um contrato no valor de US$ 825,6 milhões, o qual é investigado por suspeita de superfaturamento. O contrato para serviços na área de segurança e meio ambiente em dez países incluiu pagamento, na Argentina, de R$ 7,2 milhões pelo aluguel de três máquinas de fotocópias; R$ 3,2 milhões pelo aluguel de um terreno próprio e salário mensal de pedreiro de R$ 22 mil nos Estados Unidos, segundo documentos sigilosos da companhia obtidos pelo Broadcast.

    Ainda em vigor, o contrato 6000.0062274.10.2, chamado de PAC SMS, foi fechado pela área Internacional, na gestão José Sergio Gabrielli, e reduzido quase à metade neste ano, na gestão Graça Foster. Grande parte dos 8.800 itens apresentavam indícios de irregularidades.

    O corte interno já realizado, de pelo menos US$ 344 milhões, aconteceu depois de crivo de auditoria interna da Petrobrás, que considerou a contratação equivocada e recomendou sua revisão. A título de comparação, o montante considerado indevido pela própria companhia é quatro vezes maior do que o volume de recursos desviados apurados no escândalo do Mensalão (R$ 170 milhões).

    Mesmo com a redução, fontes disseram que foram mal versados centenas de milhões de dólares gastos nos 2,5 anos de vigência do acordo inicial para ativos na Argentina, Estados Unidos, Paraguai, Uruguai, Chile, Colômbia, Bolívia, Equador e Japão, além de Brasil. “Muito dinheiro já tinha sido gasto quando houve o corte, esse foi o problema”, disse uma fonte da Petrobrás que pede para não ter a identidade revelada.

    A redução do valor havia sido divulgada pelo Broadcast em junho, embora os motivos não tivessem sido detalhados. Na época, a Petrobrás disse que houve venda de ativos, como refinarias e que, portanto, não precisariam mais dos serviços, mas não se alongou sobre o caso. A Odebrecht não comentou. Em agosto, sob novo questionamento, a construtora negou irregularidades, via assessoria de imprensa, e disse “desconhecer o questionamento da auditoria”.

    Ao longo deste ano, a reportagem conversou com sete fontes graduadas que acompanharam direta ou indiretamente o caso, além de fontes do setor. Os documentos coletados mostram indícios de direcionamento na licitação, sobrepreço e falhas contratuais que desprotegeram a petroleira.

    A Petrobrás preferiu não comentar. Gabrielli também não. Em nota, a “Odebrecht nega veementemente qualquer irregularidade nos contratos firmados com a Petrobrás”, dizendo tê-los conquistado legitimamente por meio de concorrências públicas. Disse ainda que “não foi envolvida e desconhece o questionamento da auditoria da Petrobrás”. A construtora diz que o valor contratado foi diretamente afetado pela redução de escopo do contrato decorrente do plano de desinvestimentos da estatal.

    O caso é investigado por autoridades, sob sigilo a pedido da Petrobrás. O Ministério Público Federal no Estado do Rio de Janeiro (MPF) instaurou procedimento investigatório criminal em junho para apurar infrações em contratos da Petrobrás no exterior, incluindo o acordo com a Odebrecht.

    O Ministério Público (MP) junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), que já investigava a compra da refinaria de Pasadena (EUA), pediu em agosto à Petrobrás documentação referente a quatro contratos, incluindo o da Odebrecht. Entregou o caso neste mês ao MPF. O TCU, sob relatoria do ministro José Jorge, também acompanha o caso paralelamente.

    Todas as investigações sobre Pasadena e sobre o contrato com a Odebrecht foram iniciadas após reportagens do Broadcast revelarem irregularidades. A série de matérias sobre Pasadena se iniciou em julho de 2012 e da Odebrecht, em junho de 2013.

  30. prometeu entregar o estádio ao Palmeiras em 2010. Depois passou para 2011, 2012, 2013, 2014. Qual será o valor da multa? E em valor de indenização, quanto o PALMEIRAS perdeu com a receita de bilheteria perdida por não utilizar o estádio em 2010, 2011, 2012, 2013 e 2014?

  31. Wtorres tem reformula projeto faz gestao admistrativa com palmeira busca parceiro como borusia na alemanha com gestao comum ou ate muda o contrato entre todos com isso tudo daria certo como arena corinthians e arena gremio e outros enfrenta dificuldades traga gestores especialista da alemanha e inglaterra e portugal vamos busca gente q sabe trabalha com midia e criando socio torcedor e mais estadio seguro com 100% lugares ocupado confortaveis sem bandido organizado vamos muda futebol vamos trazer gente capaz tecnicos agertinos digentes europeus gestores americanos preparado fisico da australia acaba libertadores e paulista cria uma liga no padrao nba. Ai vc vai ve o messi no palmeiras c7 sao paulo o guardiola no corinthians paulinho e possivel. Paulo andre presidente cbf e zico presidente da liga diretores serios especialista gestao esportiva e publicidade falei!

  32. O que isso Sr. Walter Torre? Afinal o que está acontecendo? Sua obra já matou um pai de família em abril agora estão querendo matar intoxicados vários trabalhadores!

    Isso chama-se incompetência gerencial. Afinal de quem é a culpa? Sua ou de seus gestores?

    A sociedade paulistana está esperando explicações sua.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: