Anúncios

Jornalista esportivo consulta livros da especialidade?

Por FRANCISCO MICHIELIN*

Em adendo às pertinentes observações do meu caro amigo José Renato, devo, antes de mais tudo e de mais nada, dizer que com ele compartilho em gênero e número. Não há como não deixar de concordar.

Eis que também andei escrevendo meus livros sobre futebol – um deles, aliás, absolutamente único, na época, quando se deveria ter comemorado com o alarde necessário o cinquentenário da primeira conquista brasileira, na Copa do Mundo da Suécia. Produzi um livro que recebeu inúmeros elogios, inclusive no estrangeiro e que obteve citação em diversos sites da literatura esportiva internacional.

Em troca, no nosso país, recebi, sim, importantes e significativos reconhecimentos. Poderia citar cronistas de renomada competência que assim procederam. Da mesma forma – e foi a maioria – mesmo notificados, preferiram o silêncio ou ignorar o lançamento. Aqui, também, eu poderia mencionar seus nomes. Para ambos os casos, guardei as respectivas condutas. Com alegrias de um lado e com mágoas – sem rancores – de outro.

Pessoas do ramo me passaram suas opiniões, expondo seus argumentos. Bem coerentes e prudentes. Em primeiro lugar, o descaso por não terem sido “eles”, os tais, a terem se dedicado ao tema. Ciumeira? Não sei. Mas, depois que compulsei um livro com a pretensão de apontar os “cem melhores jogadores de todos os tempos” e não encontrei nenhuma citação, por exemplo, excluído e marginalizado, do grandíssimo Ademir Marques de Menezes, o famoso “Queixada”, artilheiro da Copa do Mundo de 1950 e nosso maior goleador numa única competição desse porte, com nove gols, enquanto constavam da lista jogadores de muitíssimo menos prestígio, cheguei à conclusão de que a boçalidade está acima da seriedade.

Registrei aos dois autores a minha decepção. Um deles, educadamente, me respondeu, embora sem me convencer. O outro, que julga saber tudo o que é detalhe, referindo minutos de jogos, nem sequer se dignou a postar a mais mísera resposta.

O mesmo aconteceu com outro desses da “Mídia Superior” ao comentar a Copa do Mundo de 1962, em cujas primeiras cinquenta páginas incorreu em seis crassos e absurdos erros. Inclusive citando que Garrincha “se deu ao luxo de perder um pênalti contra a Inglaterra”. Mas de onde esse senhor terá tirado essa heresia? Além de outras derrapadas históricas, comprometendo o texto, algumas fotos não correspondem a quem realmente se referem.

Por sinal: registrei essas informações para a editora responsável, a fim de se redimir e se desculpar perante eventuais leitores, apresentando a necessária “Errata” e, evidentemente, fui escorraçado. O pior é para quem lê, crente, acreditando piamente que por ter sido o “fulano” que escreveu que se pode confiar e dar fé.

Incrivelmente, no chamado “País do Futebol” a produção literária é de uma escassez inadmissível. Dir-se-á que não é da nossa cultura, mas as livrarias europeias estão abarrotadas de textos sobre qualquer assunto ligado ao futebol. E, depois, como vai se criar o costume da leitura se não existem quem se habilite a pesquisar e publicar? Com raras e honrosas exceções.

Nós que gostamos de ler e de escrever, mas que não pertencemos a nenhum órgão da mídia maior ou menor, sabemos o quanto é difícil botar um livro de futebol na vitrina. Muitas editoras têm receio de apostar e investir num autor desconhecido do grande público. Outras, temem entrar nesse segmento. E os jornalistas que mais deveriam nos apoiar se calam e nos fecham as portas. Nenhuma notícia, entrevista, então, nem sonhar.

*FRANCISCO MICHIELIN é médico e amigo do escritor José Renato Satiro Santiago

Anúncios

8 Respostas to “Jornalista esportivo consulta livros da especialidade?”

  1. Onyas Says:

    É muito difícil achar literatura sobre futebol no “país do futebol”. Que coisa…

    Digo mais, é difícil encontrar sobre qualquer esporte. E isso é muito triste para nós que realmente gostamos do esporte, e não o temos apenas como um bibelô social.

  2. Vitor Says:

    W Torre, a verdadeiro dono da Allianz Parque.

    Agora vamos falar desta matéria, muito boa.

  3. Vitor Says:

    W Torre, o verdadeiro dono da Allianz Parque.

    Agora vamos falar desta matéria, muito boa.

  4. H@milton Says:

    SCCP E ESPM INOVANDO!

    http://www.meutimao.com.br/noticia/123466/espm_e_corinthians_parceria_inedita_para_a_formacao_de_profissionais

  5. dododabahia Says:

    Querido Paulinho

    No paragrafo onde citas o do “esquecimento” da imprensa em saudá-lo como o grande jogador que realmente foi, é o fato óbvio do mesmo ter defendido com enorme galhardia o CLUBE DE REGATAS VASCO DA GAMA!

    Uma imprensa esportiva que tinha como ícone o ridículo, como locutor esportivo e comentarista, é claro,, Ari Barroso, grande compositor popular.

    Um abraco

  6. Paulo Cesar Says:

    Não é difícil chegar a uma conclusão sobre o assunto, tampouco indicar uma resposta convincente para o dito “Pais do futebol”, e chega a ser ridícula.
    “EDUCAÇÂO”
    Os mais desinformados dirão: Tá louco. O que tem uma coisa com a outra.
    Simples, o consumidor de futebol brasileiro, só esta interessado em fatos acontecidos com seu time, no curto prazo, corrobora com isso, o nível dos programas esportivos de tv.
    Não é nenhuma novidade, para qualquer pessoa minimamente conhecedora do cotidiano, sabe que as disciplinas de humanas estão sendo literalmente extintas do currículo escolar.
    Isto posto, conclui-se que qualquer pessoa educada fora das humanidades, não compartilha de qualquer visão histórica, seja ela de qual corrente for.
    É evidente que dirão que sou elitista, que minha opinião é a mesma da classe dominante, dai o meu discurso, contudo, Raul Seixas dizia que é preciso ter cultura, pra cuspir na estrutura, portanto já adianto que sou estudante de História, tardio, pois ja passo dos quarenta e sou perfeitamente capaz de separa o joio do trigo.
    É claro que a maior parte dos consumidores do produto futebol, não se interessem por história do próprio produto. Este tipo de comportamento leva a comparações completamente esdruxulas, como por exemplo, Robinho e Pelé, Paulinho e Tostão, e por ai vai.
    Esta claro também que com esse nível de conhecimento, as editoras não estão preocupas em verificar as fontes que o autor usou para escrever tais livros.
    Falando sobre fontes, e apesar de não compartilhar da opinião de que só o historiador tem condições necessárias de interpretar o passado, graças a sua bagagem teórica, fica evidente que um trabalho sério feito por jornalistas só é aceito depois que muito acadêmico bate palmas, diferente do que vejo nos documentários enlatados feito em cima de trabalhos de historiadores interessados na problemática do esporte.
    Particularmente não conheço o trabalho em questão, e também não é meu foco, a questão da midia superior, sendo que ela nem é superior, mas os reais interessados em trabalhos de qualidade, não é nem de longe os principais consumidores do produto futebol, e ai restam somente fofocas a serem contadas.

  7. Onyas Says:

    Paulo Cesar,

    o que você disse é triste, mas é a mais pura verdade. Quem se interessa, de fato, pelo esporte, como é o meu caso, vive de migalhas, enquanto a mídia de um modo geral dá mais atenção a um “selinho”, ou o novo cabelo de jogador tal, ou o que a esposa de treinador “x” disse no “tuíter”, o com que atriz global tal jogador está saindo.

    Quem gosta realmente do esporte, da sua organização dentro de campo, dos detalhes técnicos de cada passe, cada chute, da história – por sinal, riquíssima – desse maravilhoso esporte, é obrigado a se contentar com pouco, muito pouco, quase nada.

    E concordo com você. Educação tem TUDO a ver com essa questão. Essa e outras que empobrecem nosso rico país…

  8. Desentupidora SJP Curitiba Says:

    Bacana suas dicas de Leitura. Gostei muito do seu blog!

    Visite nosso site:http://www.desentupidorasjpcuritiba.com.br/

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: