Advertisements

Confira, na íntegra, o laudo final da Comissão que manteve a interdição do Engenhão

Num episódio absolutamente vergonhoso, que demonstra bem a incapacidade de nossos governantes, o até então estádio mais moderno do Brasil, o Engenhão, construído para o Pan de 2007, está interditado por falta de segurança.

Além disso, já foi descartado para a Copa do Mundo e dificilmente será utilizado nas Olimpíadas de 2016.

Segundo observação dos engenheiros da Comissão de Avaliação Especial do Engenhão, a cobertura do estádio foi mal projetada e corre o risco de cair.

Assinado pelos engenheiros Carlos Dantas de Campos, Nelson Szilard Galgoul e Sebastião Arthur Lopes de Andrade, o relatório, de 26 páginas, é minucioso.

Há fotos dos principais focos dos problemas, e indicação de como devem agir os governantes para resolvê-los.

Selecionamos, como destaque, as recomendações da Comissão e também as Considerações Finais, que sintetizam problemas e soluções para o estádio.

Ao final, basta clicar no link disponibilizado para ter acesso ao Relatório, na íntegra, dos engenheiros.

RECOMENDAÇÕES DA COMISSÃO:

Diante das considerações expostas e da avaliação de toda a documentação disponibilizada (ver “Bibliografia), esta comissão entende que o reforço estrutural imediato da cobertura do estádio é imprescindível para que possa ser utilizado com os níveis mínimos de segurança exigidos pela legislação vigente.

Para a definição de um plano completo de intervenção na estrutura da cobertura, recomenda-se:

– Desenvolver um estudo do escoramento da estrutura, associado à elaboração de um procedimento compatível de transferência de cargas tanto no escoramento como no descimbramento;

– Estudar novos travamentos dos arcos de modo a evitar deslocamentos horizontais excessivos;

– Definir uma forma mais eficiente de transferência das cargas horizontais da cobertura e que não produzam grandes esforços no centro dos tirantes;

– Estudar um reforço estrutural dos arcos e tirantes, e dos pendurais caso necessário;

– Estudar um reforço das tesouras e dos respectivos travamentos destas, visando a substituição mínima de joists de modo a colocar entre as tesouras elementos estruturais mais robustos, em termos de resistência e rigidez estrutural, necessários para os travamentos no plano da cobertura. Alternativamente pode ser previsto um sistema independente para travamento lateral das tesouras, deixando para as joists somente o papel de terças.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

As estruturas dos arcos e tirantes, e as treliças, da cobertura do Estádio Engenhão apresentam não-conformidades de projeto com reflexos já visíveis sobre o estado da estrutura, pelo que os níveis de confiabilidade estrutural prescritos pela norma NBR-8800/08 não são atendidos.

Há necessidade urgente de colocação dos arcos numa posição estruturalmente correta, ou seja, cada arco em funcionamento deve estar contido no seu plano ressalvando-se as tolerâncias de deslocamentos previstas em norma que são da ordem de vão/1000 a vão/500.

No presente caso estes limites máximos são da ordem de 220 a 440 mm para os arcos dos setores Leste/Oeste e de 160 a 320 mm para os arcos dos setores Norte/Sul.

Adicionalmente o desvio de alinhamento de qualquer trecho dos arcos entre duas seções de travamento através de pendurais não deve ser maior que 40 mm.

Qualquer que seja a metodologia de intervenção para a reabilitação estrutural, deve-se sempre procurar uma solução que requeira o menor prazo de execução de modo a devolver o equipamento público à população.

Rio de Janeiro, 06 de junho de 2013

CARLOS DANTAS DE CAMPOS

CREA-RJ 1988105974

O/SUBOP/CGP

NELSON SZILARD GALGOUL

CREA-RJ 22.065/D

NSG ENGENHARIA

SEBASTIÃO ARTHUR LOPES DE ANDRADE

CREA-PR 4534/D

PUC-RIO

No LINK ABAIXO, ÍNTEGRA DO RELATÓRIO DA COMISSÃO ESPECIAL DE AVALIAÇÃO DO ENGENHÃO

Comissao.Especial.de.Avaliacao.do.Engenhao..LaudoFinal

Advertisements

Facebook Comments

18 Responses to “Confira, na íntegra, o laudo final da Comissão que manteve a interdição do Engenhão”

  1. Lampião Says:

    CAMPANHA

    Curicanos no Engenhão!!!

    __________________________________

    Em breve o governo brasileiro organizará um jogo entre Curica e Flamengo!
    As duas torcidas mais “apaixonadas” juntas no Engenhão!!!
    Quando o jogo iniciar, a torcida escutará uma explosão e tudo cairá!!!
    O Brasil comemorará!!!!
    As duas torcidas dos clubes que mais locupletam o erário extintas!!!!!

  2. Gustavo Leite Says:

    Implode esta bosta de estádio!!!

  3. Euclydes Garrastazú Says:

    Temos que transformar o Engenhão numa prisao.

  4. João Paulo Says:

    Não conheço nada de engenharia, não sei se é ou não possível o conserto da cobertura do estádio até 2016, mas que é uma oportunidade de ouro de políticos e empreitares ganharem mais uma grana é.

    Se por ventura o estádio não puder receber as olimpíadas, onde serão realizadas as provas de atletismo? Derruba o maracanã e faz uma pista lá?

    A chance de construir um novo estádio é ENORME. Durma com esse barulho!

  5. Ailton Says:

    Cheiro de reforma com dinheiro público!!!
    Lamentável… Sérgio Cabral e Eduardo Paes, nomes q devem ser esquecidos pelos cariocas nas eleições. Daqui a pouco o Eike receberá a concessão do Engenhao. A máfia no RJ, com toda ajuda da GLOBO, parece ser a mais sordida do Brasil.

  6. Thais Ribeiro Says:

    O Lampião está certíssimo!! Assim deveria ser.

    O caso do engenhão é latente, e talvez só vão fazer algo após a Copa do Mundo pra não irritar o povo nas ruas… Só falta mesmo depois de pronto, ou re-pronto, o engenhão sofrer problemas com ingressos caros abusivos como em Minas:

    http://copadomundo.uol.com.br/noticias/redacao/2013/06/26/torcedores-com-ingresso-mais-caro-da-final-ganham-assentos-ruins-e-detonam-a-fifa.htm

    Fala sério! 418 reais pra ficar num lugar que não dá pra ver nada?!?Eu não pagava nem 50!

  7. Marcio Wilk Says:

    E o nome da empreiteira e o nome dos engenheiros que assinaram a obra, a empresa que fez a cobertura, o nome do engenheiro responsável e respectivo nº no CREA responsável continua em segredo??

  8. Jose Silveira Says:

    No Brasil quando uma construtora vence uma licitação e faz a construção de um estadio num da garantia da obra não. Pq faz muito pouco tempo que esse estadio foi feito. Usaram barro foi?

  9. Ricardo Says:

    Esta aí uma ótima oportunidade para os politicos e instituicoes públicas darem uma resposta à população: coloquem na cadeia quem fez essa palhaçada! As provas e evidencias estão todas aí……

  10. MOSQUETEIRO Says:

    Lamparina Disse:

    É Lamparina, tome cuidado que praga de bambi bate e volta, nao esqueça que o trambolhao esta com os amortecedores vencidos, e cheio de infiltraçoes no reboco, instalaram as cadeirinhas vermelhas pra disfarçar o aspecto de concreto cheio de mofo.

  11. SemPapoFurado Says:

    Lampião,

    aproveite esse jogo e passe as barricas pela arquibancada, pois vcs estarão ao nosso lado por direito. Lembra CT em Cotia, pista de Atletismo, CT em terreno publico, Estadio Adhemar de Barros ditadura, Canindé, patrocinio de estatal nos anos 80 etc…

  12. jorge Says:

    Querem moralisar o Brasil , entregue o nome da empreiteira os engenheiros e quem era o secretário de obra do Estado
    na época. Não esquece de falar com a dona receita federal, que o Leão dela só come cristão pé de chinelo!

  13. EU - ABSOLUTIS VERITAS Says:

    MOSQUETEIRO Disse:
    junho 26, 2013 às 11:46 am

    Quando fizerem uma vistoria REAL por lá, perceberão que é caso de DEMOLIÇÃO mesmo.

  14. Clayton Tricolor Says:

    São Paulo lidera ranking de receita com aproveitamento do estádio

    Ainda sem um local próprio, Corinthians fica na quarta posição, atrás de Grêmio e Inter. Flu, campeão brasileiro, sequer aparece entre 15 primeiros

    A arrecadação foi de cerca de R$ 500 milhões. Entre bilheteria, programa de sócio-torcedor e exploração de camarotes, lojas e estacionamento, este foi o valor que os clubes brasileiros conseguiram chegar em 2012 com o aproveitamento dos estádios. Os números foram divulgados por Amir Somoggi, especialista em marketing e gestão esportiva, com base nos balanços financeiros das agremiações no ano passado. O líder é o São Paulo, que alcançou R$ 65,2 milhões em receitas com estádios. Como comparação, o Barcelona faturou 148,2 milhões de euros (R$ 433 milhões) em 2012.

    – Os números no Brasil estão crescendo, mas isso representa meio por cento do que se movimenta no mundo (com estádios). Vamos ter que evoluir muito para explorar as arenas. Será um grande desafio. Nem todas as receitas das arenas vão ficar com esses clubes – analisou Amir Somoggi sobre a arrecadação total dos clubes de R$ 500 milhões,r somados.

    Segundo Amir Somoggi, um dos trunfos do Tricolor é a utilização, por exemplo, dos camarotes no Morumbi, além da venda de produtos nas dependências do estádio. O crescimento aumentou consistentemente na temporada de 2009, um ano depois da sequência de três títulos no Campeonato Brasileiro.

    Na ocasião, o valor passou de R$ 39,9 milhões para R$ 58 milhões e não parou de crescer até atingir os números atuais. Soma-se a isso o aluguel do estádio para shows, como os de Lady Gaga, Madonna e Roger Waters, no ano passado. Em 2012, a segunda maior média de público do Brasileirão foi são-paulina, com 24.298 pagantes, fora a boa participação na Copa Sul-Americana, que terminou com o título e a consequente lotação do Morumbi.

    Porém, o que mais chamou a atenção de Amir Somoggi foi a capacidade de arrecadação dos clubes gaúchos com receitas relacionadas aos estádios. Grêmio, com R$ 63,5 milhões, e Inter, com R$ 51,5, estão logo abaixo na lista. É importante destacar que Olímpico (estádio utilizado até o ano passado pelo Grêmio) e Beira-Rio pertencem aos clubes. E o programa de sócios é um ponto forte dos gaúchos, os líderes no ranking.

    Na quarta colocação, aparece o Corinthians. Mesmo se inserisse as receitas com sócios aos dados da bilheteria – entraram como premiações, loterias e outras receitas -, o Timão não mudaria de posição. O crescimento não ultrapassaria a casa dos R$ 10 milhões, o que o manteria em quarto. A expectativa é que este número aumente quando o Itaquerão for inaugurado, abrindo a possibilidade de explorar outras áreas, como estacionamento e camarote. Como o Pacaembu pertence à Prefeitura de São Paulo, o clube paga um aluguel, além de não ter a possibilidade de explorar mais as dependências do local.

    Campeão brasileiro decepciona

    Na parte inferior do ranking, estão os cariocas. Dono de São Januário, o Vasco é o 13º colocado. O Botafogo é o melhor entre os times do Rio de Janeiro, ocupando apenas uma posição acima. O Flamengo, apesar de ter a maior torcida do país, é o 15º. O Fluminense é o caso mais curioso: sequer aparece na lista. A soma do valor arrecadado foi de R$ 5,8 milhões, apesar dos títulos do Campeonato Carioca e Brasileiro.

    O Flu esbarrou em dois obstáculos. O primeiro foi a falta de um estádio próprio – o Engenhão foi a sua casa durante todo o ano passado. E nesse caso vive problema semelhante ao do Timão, tendo de pagar o aluguel (em média R$ 20 mil por jogo, de acordo com o clube) e encontrando dificuldade para explorar itens como estacionamento, camarotes e lanchonetes – o que é feito pelo Botafogo, locatário desde 2007. Além disso, a média de público não foi muito favorável: os 12.644 pagantes representam a oitava maior no Brasileiro, logo atrás de Sport e Náutico.

    – O torcedor geralmente não vai ao estádio, principalmente ao Engenhão. Se pegar a história do Fluminense, o torcedor só vai em grandes momentos, sejam os mais perigosos, como 2009 (na luta para não ser rebaixado), ou em decisão de campeonato. No restante dos jogos ele não vai ao estádio quando tem dificuldade de acesso e atendimento; é o perfil do torcedor – analisou o superintendente executivo do Fluminense, Jackson Vasconcelos.

    O dirigente aproveitou para apontar uma possível solução para o clube:

    – Uma coisa fundamental, que quem estuda isso deve estar concluindo, é que o clube precisa ter um estádio, ter a motivação de ser a casa dele. É como ter religião e não ter um templo. Tem que ter uma casa. E o Fluminense não tem essa casa. Isso prejudica muito.

    http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2013/06/sao-paulo-lidera-ranking-de-receita-com-aproveitamento-do-estadio.html

  15. Devilla Says:

    paulinho: será msm q tudo isso tem o engenhão? estranho né, as entidades brasileiras q conhecem do assunto liberaram o engenhão. Será q seriam tão irresponsáveis assim? Cheirinho forte de politicagem-sujeiradas política nisso aí..

  16. Fred Says:

    Foi a Odebrecht q construiu o Engenhão

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    coitadas das Galinhas da quase rural Itaquera

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  17. Pedro Antunes Says:

    E aquela história, reproduzida no seu blog, contada por um médico, de que havia uma motivação política em interditar o Engenhão, entre outras bizarrices?

  18. atila Says:

    agora estou ligando os pontos, o engenhao só foi interditado, para que os clubes no rj nao tivessem onde jogar e fossem obrigados a fechar contrato com o maracana

Deixe uma resposta


%d blogueiros gostam disto: