Advertisements
Anúncios

Se o Palmeiras fosse uma empresa? O caso Rebaixamento

palmeiras segunda

Por JOSE RENATO SATIRO SANTIAGO

Ações equivocadas ao longo de certo período tempo costumam provocar prejuízos a qualquer organização.

Difícil que apenas um erro possa impactar tão negativamente uma empresa.

Por mais que o erro seja enorme.

Alguns indícios costumam ser notados.

A verdade é que desde o rebaixamento anterior, em 2002, havia alguns indícios que a entidade palestrina não andava tão bem.

A conquista da Copa do Brasil no primeiro semestre acabou por mascarar algumas coisas.

Em uma organização isto também pode ocorrer.

O sucesso em um determinado projeto pode indicar que tudo está bem.

Algumas vezes, são erros inocentes.

Outras, nem sempre.

Anos atrás vimos empresas com graves problemas em seus balanços, frutos de ações desonestas por parte de organizações que auditavam os mesmos.

Dolo grave, que quebrou muitas delas.

No caso da empresa Palmeiras, não há qualquer indicio efetivo que ações de mesma natureza tenham acontecido.

Mas certamente faltou governança.

Faltou alguém com olhar profissional.

A resposta a isto já foi dada.

O presidente não se reelegeu.

Um choque de gestão era necessário.

Não sei se ainda houve, no entanto, notam–se alguns progressos.

A manutenção de um técnico para que um trabalho de maior prazo fosse desenvolvido é um bom sinal.

A fuga de altos investimentos também.

Semana passada um de seus jogadores propôs um aumento de salário de R$ 40 mil para cerca de R$ 240 mil.

Senão iria embora.

Ao que parece, a proposta foi imediatamente rechaçada.

Sim, há muito a ser feito ainda, mas não há como negar, existe luz no fim do túnel.

E não é um trem na direção contrária.

Uma prova disso é que muitos de seus clientes, os torcedores, voltaram a acreditar.

Seus concorrentes, outras empresas, sabem disso.

O Palmeiras voltará a ser forte.

Ano que vem ainda haverá a inauguração da Nova Arena.

Um exemplo de modelo de negócio que deveria ser seguido por toda entidade que deseja construir seu estádio ou arena.

Sem o uso de dinheiro público.

Um exemplo!!!

Apenas um cuidado a ser tomado.

Sua direção não pode achar que está tudo indo bem.

A situação ou impressão de crise ajudará seus comandados a se manterem atentos.

É necessário.

É essencial.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: