Advertisements
Anúncios

Galo massacra o Tricolor no ritmo de Jô

O São Paulo foi arrasado pelo Atlético/MG, por quatro a um, no Independência, classificando-se para as quartas de final da Libertadores.

Jô fez uma partida irrepreensível, enquanto a o São Paulo, sem Osvaldo, praticamente inexistiu dentro de campo.

A primeira etapa pode ser resumida como um massacre de futebol atleticano perante um atônito Tricolor, que sequer conseguia acertar dois passes seguidos.

Logo de cara, Ronaldinho Gaucho colocou a bola no travessão de Rogerio Ceni, aos 2 minutos, sendo que um minuto antes Jô quase marcou em batida perigosa.

As chances foram se sucedendo até que numa bela trama do ataque mineiro, Jô bateu seco, da entrada da área, no canto esquerdo de Rogerio para abrir o marcador.

O São Paulo tentou sair um pouco mais do campo de defesa, mas esbarrava na fortíssima marcação adversária.

O Atlético perderia ainda novas oportunidades, uma delas salva em cima da linha por Rafael Toloi, após batida de Bernard.

Não seria nenhum exagero dizer que o lucro da equipe paulista foi muito grande ao não sair para o vestiário goleado.

O segundo tempo começou com o Atlético cozinhando o jogo, esperando para a iniciativa do Tricolor, que voltou com o estreante Silvinho no lugar de Paulo Miranda.

Mesmo assim, o primeiro perigo foi criado num chute impressionante de Jô, no travessão de Rogério Ceni.

Aos 9 minutos, o São Paulo enfim conseguiu vencer a marcação adversária quando Luis Fabiano fez boa jogada pela direita, a bola sobrou para Ganso que mesmo atrapalhado pela zaga deu o gol para Silvinho que bateu na orelha da bola, para fora.

Daí por diante, a tônica do jogo foi o Tricolor buscando criar alternativas de ataque com muita dificuldade, e o Galo, com extrema rapidez, levando perigo nos contra-ataques.

Mas a vaca do São Paulo foi definitivamente para o brejo quando, aos 17 minutos, Leandro Donizeti deixou Jô sozinho para fazer o gol no meio das pernas de Rogério Ceni, e, um minuto depois, Rafael Toloi tentou recuar e deu a bola de presente para Tardelli encobrir o Mito Tricolor.

Três a zero.

Não demorou para Ronaldinho, aos 24 minutos, fazer grande jogada pela esquerda e rolar para Jô fazer o terceiro dele no jogo, o quarto do Galo.

Meio que sem querer, aos 31 minutos, Carleto bateu cruzado pela esquerda, Vitor defendeu e a bola bateu em Luis Fabiano antes de morrer no fundo das redes.

Gol de honra Tricolor.

Houve tempo ainda para Ronaldinho Gaucho fazer jogada espetacular, passando por quatro jogadores, sendo um drible humilhante em Douglas, mas errar o gol na hora da conclusão.

Após o apito final, a goleada atleticana premiou não apenas a melhor equipe do campeonato, até o momento, como também foi a conta exata da diferença técnica dos clubes na noite de hoje.

Enquanto o Galo segue favoritíssimo ao título continental, o São Paulo, com duas eliminações em menos de uma semana, terá realmente que repensar muita coisa em seu departamento de futebol.

EM TEMPO: Após o apito final, Carleto agrediu Rosinei que revidou. Ambos foram expulsos.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

×
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: