Yan Perin, ex-Internacional, é agenciado pela dupla Severino/André Negão, no Corinthians

yan Perin

Com apenas 17 anos de idade, o jovem jogador Yan Perin, dispensado pelo Internacional, faz parte agora da categoria de base do Corinthians.

Filho de um ex-atleta da equipe gaúcha, chegou ao clube, ano passado, pelas mãos de Severino, pai do jogador Willian, ex-motorista de ambulância do conselheiro vitalício do Corinthians, André Negão, de quem hoje é sócio em intermediação de atletas.

Ação que, por sinal, é proibida pelo estatuto do clube.

Assim que chegou ao Corinthians assinou contrato profissional, mesmo sendo ainda juvenil, com aval dos atuais dirigentes da base, o dono de estacionamentos Fernando Alba e seus amestrados da torcida “organizada”.

Conversamos rapidamente com o pai do garoto, Eddie Santos, pelo facebook, que nos procurou preocupado com as matérias em que descrevemos a maneira de agir da dupla Negão/Severino.

“Você disse todas aquelas coisas do Severino, pai do Willian, agora estou cabreiro pois ele é empresário do meu filho que joga no Corinthians !!! E agora?”, questionou-nos o pai.

Em resposta, alertamos pela periculosidade em manter vínculo com a dupla, perguntando ainda se o acordo com Severino, o preposto de Negão, estava ou não documentado.

“Sim, meu filho tem contrato com o Corinthians, mas com Severino não tem contrato, estamos somente na palavra”, respondeu Eddie.

Essa é exatamente a maneira de agir da referida dupla, sem deixar vestígios, porém condicionando o sucesso do jogador dentro do clube ao vínculo com eles firmado.

Assim como o jovem Yan, que, dizem, é até bom jogador, outros mais, no Parque São Jorge, estão em situação semelhante, nas garras do que há de pior no mundo do esporte, em claro conluio de conselheiros e empresários, lucrando com o esquema que facilita a vida de atletas parceiros.

Yan provavelmente nem precisaria disso para se dar bem no Corinthians, pelas vias normais, o problema é que sem entrar na “panela”, certamente seria excluído do clube, ou nem teria entrado, independentemente do talento demonstrado.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Esta entrada foi publicada em Sem-categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

26 respostas para Yan Perin, ex-Internacional, é agenciado pela dupla Severino/André Negão, no Corinthians

  1. Mario Guallyer disse:

    Não conheço um jogador que Andre Negão colocou no Corinthians que emplacou, incluindo seu filho que é fraquinho, Mane da carne é Andre Negão, são especialistas em boca livre é rolo, mas de futebol não sabem nada.

  2. Fielzão 2013 disse:

    Como andam os casos de aliciamentos de jogadores do SPFW? Alguma novidade?

  3. Wilson Azevedo disse:

    É demérito a profissão que alguém exerce. O tem de pejorativo ser açougueiro, dono de estacionamento, motorista de ambulancia, feirante ou motoboy?

    Paulinho: Quem depreciou foi vc…. apenas disse que um dono de estacionamento cuida da galinha dos ovos de ouro do clube, cargo que deveria ser exercido por um especialista

  4. Luiz disse:

    Paulinho, me permita Vc. é um afamado Jornalista independente, sério, honesto, que enfrentou as maiores ameaças das Máfias Internacionais, complôs de toda ordem.

  5. Ronaldo disse:

    Todo mundo no PSJ sabe que quem so joga na Base
    tem que ser empresariado pelo ANDRE DA SORTE,
    ANDRE CAMPOI ou MANÉ DA CARNE…………..

    Lá so joga indicados por esses tres patetas………….
    Quem joga muito e não quer assinar com esse trio
    é dispensado sem cerimonia……………….
    Temos que limpar a base desses sangue-sugas……

    ANDRE DA SORTE, MANÉ DA CARNE e ANDRE CAMPOI
    não entendem porcaria nenhuma de futebol………

    Acorda MARIO GOBBI……..
    Vamos limpar a base para que realmente quem sabe jogar
    jogue…não somente os indicados por esses vermes……

  6. CARLINHOS disse:

    JUVENAL JUVÊNCIO VIVE DO QUE ? DE SPFC ? ENTÃO TÁ BOM.

  7. EVANGELISTA disse:

    ronaldo ! gostaria de conhecelo, liga para mim, quero pagar um almoço, em uma churrascaria dar um abraço, estou esperando, um bôa pascoa.

  8. EVANGELISTA disse:

    bando de covarde, mostre a cara f d p .

    mario guallyer . ronaldo . seus covarde sujeito HOMEM que é HOMEM , NÂO SE ESCONDE QUANDO ACHA QUE DIZ A VERDADE , NEM FICA NO ANONIMATO, SEUS COVARDE , MOSTRE A CARA SEUS MARICAS, SE TIVER FAMILIA ESSA FAMILIA DEVE TER VERGONHA BANDO OTARIO.

  9. yuri camargo disse:

    Baita blog, tá nos favoritos a partir de agora….

    Saudações tricolores

  10. —> Diretoria vendeu até a marca “Corinthians” para a Odebrecht <—-

    Não é de hoje que a informação dos procedimentos de dirigentes alvinegros para viabilizar a construção do “Fielzão” preocupa os torcedores e conselheiros mais esclarecidos do clube.

    Primeiro descobriu-se que o projeto aprovado no Conselho Deliberativo, que previa estádio para 48 mil pessoas, no valor de R$ 350 milhões, a custo zero para o Timão, não era o mesmo acertado com a Odebrecht.

    A elevação dos valores para mais de R$ 1 bilhão levaram a questionamentos sobre a engenharia financeira necessária para que o Corinthians um dia possa quitar as pendências.

    Ontem, reportagem do R7, assinada por Gilberto Nascimento, furando a revista VEJA, que trabalhava a mesma pauta, revelou alguns detalhes já conhecidos, além de outros, absolutamente alarmantes.

    Por 30 anos, tempo acrescido dos iniciais 16 previstos, toda a receita do “Fielzão”, assim como sua administração, ficará a cargo da Odebrecht, cotista principal do fundo de investimentos criado para gerir a obra.

    Mas não para por ai.

    Para ter certeza de que o dinheiro investido seria retornado aos seus cofres, a construtora deixou os dirigentes alvinegros de joelhos.

    Além de ter que quitar a pendencia dos valores da construção, seja por empréstimo do BNDES ou pelos CIDs da Prefeitura (que também deverão ser pagos), toda a renda do Corinthians, nos próximos 30 anos, estará comprometida, inviabilizando seu crescimento e a montagem de boas equipes de futebol.

    Documentos a que tivemos acesso, e que deverão ser publicados pela imprensa, nos próximos dias, dão conta dos seguintes absurdos:

    – a marca “Corinthians”, nome e símbolo, inclusive, avaliados pela empresa RCS, do próprio diretor financeiro alvinegro, Raul Correa da Silva, em R$ 1 bilhão, será explorado pela construtora por 30 anos.

    – se o clube não quitar todas as suas pendências no referido prazo (empréstimo da Odebrecht, outros empréstimos bancários, BNDES, etc.), o fundo que administra o estádio será dono do “Fielzão”.

    – Toda a bilheteria dos jogos do Corinthians pertencerá ao fundo gerido pela Odebrecht, com o Corinthians nada recebendo e sendo ainda obrigado, por contrato, a realizar 90% de suas partidas como mandante no “Fielzão”.

    – Toda a receita com placas, publicidade, cadeiras, lojas e até “naming rights” são de propriedade da Odebrecht, por intermédio do fundo já citado, nos próximos 30 anos.

    – Os direitos sobre a utilização do terreno de Itaquera foram repassados nos mesmo moldes acima, com o agravante da cessão do terreno pela Prefeitura ao Corinthians findar também neste prazo, podendo então, em caso muito provável do clube não honrar suas dívidas perder não apenas o “Fielzão”, mas também o espaço em que foi construído.

    Embora o Corinthians alegue ser cotista minoritário do fundo, como se isso refrescasse a situação, a grande verdade é que a empresa “Arena Itaquera” tem como proprietários registrados a BRL Trust e a Jequitibá Patrimonial, estranhamente, todas, estabelecidas no mesmo endereço.

    Desnecessário, após a exposição dos fatos acima, tamanho o desfavorecimento a que o Corinthians foi submetido, decorrer não apenas sobre a incompetência de seus gestores, como também pela evidente “má-fé” das atitudes, que se diferenciam, e muito, do discurso apresentado.

    Tanto para os torcedores, quanto para conselheiros.

    O que importa, daqui por diante, é saber quem ressarcirá o Corinthians de mais este escândalo, num desastre anunciado, há tempos, pela parte séria da imprensa deste país.

  11. ———-> Corinthians cede terreno, estádio e renda do Itaquerão a fundo que bancará obras <———-

    Para fazer parte do Arena Fundo de Investimento Imobiliário, que será dono do Itaquerão, o Corinthians teve de ceder o terreno que ganhou da Prefeitura e onde está sendo feita a obra, o estádio que será construído e todos os direitos comerciais futuros, “chamados de direitos emergentes", incluindo renda, naming rights, placas de patrocínio e alugueis de lojas.

    O fundo imobiliário (FII) é fechado e controlará as finanças da arena de Itaquera, nos próximos 16 anos, até a quitação total dos compromissos assumidos, a começar pelo empréstimo contraído com o BNDES no valor de R$ 400 milhões.

    Essas informações constam de documentos oficiais a que o UOL Esporte teve acesso com exclusividade. A Odebrecht e a BRL Trust, administradora do FII, serão as principais cotistas do fundo e proprietárias de fato do Itaquerão.

    Teoricamente a participação corintiana no fundo é avaliada em R$ 280 milhões. O custo oficial da obra deve ficar na casa dos R$ 820 milhões e, para fechar a conta, a construtora terá dois caminhos básicos: buscar o financiamento padrão no BNDES e ganhar dinheiro com a venda dos títulos emitidos pela Prefeitura de São Paulo (CIDs) com valor máximo de R$ 420 milhões.

    Os títulos municipais poderão ser adquiridos no mercado mobiliário e serão usados para quitação de ISS e IPTU, em 2014. A emissão dos títulos e outras isenções tributárias são alvo de inquérito no Ministério Público do Estado.

    Em uma linha operacional, o BNDES repassa o dinheiro ao Banco do Brasil, que o empresta à sociedade para fins específicos, formada por Odebrecht e BRL Trust.

    A SPE usa os R$ 400 milhões emprestados e adquire cotas do FII. O dinheiro captado pelos CIDs também será investido no fundo imobiliário.

    O fundo contratará a construtora Odebrecht para fazer o estádio e pagará todas as despesas decorrentes nos 16 anos futuros, incluindo serviços administrativos, manutenção predial e telefônica.

    “Essa engenharia é necessária porque nenhum clube brasileiro pode pedir dinheiro emprestado aos bancos”, explicou um analista ouvido pelo UOL Esporte, mas que concordou em opinar sobre a situação na condição de anonimato.

    Estamos diante de uma ilegalidade manifesta: o dinheiro é público e não cabe sigilo bancário nessa operação junto ao BNDES
    José Roberto Pimenta, procurador da República, ameaçando entrar com ação contra o financiamento do Itaquerão

    O empréstimo no BNDES, que tem a intermediação do Banco do Brasil, está aguçando a curiosidade do Ministério Público Federal de São Paulo. O MPF ameaça o BB com ação civil pública para obter informações detalhadas do negócio.

    Segundo depoimento de Luis Paulo Rosenberg, vice-presidente corintiano, ao Ministério Público do Estado, o BB seria, inicialmente, cotista do fundo imobiliário (que é o proprietário do novo estádio) junto com a construtora Odebrecht.

    Mas os documentos obtidos por UOL Esporte contradizem essa informação arquivada no MPE. Pela engenharia financeira, o terreno e as operações do futuro estádio (rendas, patrocínios internos e naming rights) entraram no negócio para agilizar o balanço dos ativos disponíveis para a execução da obra. Tudo o que o novo estádio arrecadar deverá ser transformado em cotas do fundo imobiliário, nos próximos 16 anos.

    “O Fundo será dono e a Odebrecht oferecerá todas as garantias necessárias ao Banco do Brasil para que o empréstimo de R$ 400 milhões seja fechado com o BNDES”, explicou um executivo financeiro que participa das negociações.

    O mesmo executivo fez questão de dizer que “a Odebrecht terá de oferecer garantias sobre tudo, até mesmo se, no futuro, o clube não puder pagar o financiamento”.

    Dentro da construtora já se admite que a margem de ganho operacional líquido talvez não passe dos 5%. “O break even operacional (empate financeiro) não está afastado”, disse outro analista financeiro que também participa das negociações.

    Na última terça-feira, a Odebrecht divulgou que a obra atinge os 30% previstos pelo cronograma da engenharia. A arena do Corinthians deve ser concluída em dezembro de 2013 e abrir a Copa do Mundo em meados de 2014.

  12. ——-> Ex-dirigentes consideram dívida do Corinthians pelo estádio como impagável <——-

    Só de juros, Corinthians vai arcar com outros R$ 450 milhões – ao ano, serão R$ 61 milhões

    Se aprovado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o fundo administrado pela BRL Trust deve funcionar como uma empresa de capital aberto para erguer e explorar o novo estádio do Corinthians, em Itaquera. No fundo de investimento imobiliário, há uma carteira com diversos donos – os cotistas. O estádio, dado como garantia, passa ser propriedade desses cotistas.

    “O fundo vai captar recursos para levar adiante a construção do estádio. E o clube terá que pagar os cotistas que vão querer o seu lucro. Se não forem ressarcidos, o imóvel passará ao patrimônio do fundo”, explica Waldemar Pires, presidente do Corinthians entre 1981 e 1985, durante o período da Democracia Corintiana. “Ninguém vai entrar com dinheiro para aplicar se não tiver um retorno e uma remuneração”, afirma.

    Pires, especialista em finanças, é presidente da corretora Walpires, há 42 anos no mercado. Na noite da segunda-feira 12, ele participou do programa Estação Futebol, do canal Net Cidade, ao lado dos também ex-presidentes corintianos Alberto Dualib e Marlene Matheus, e de Osmar Stábile, candidato a vice na chapa de oposição que disputará as eleições no clube em janeiro, onde o tema foi debatido.

    Pires manifesta preocupação com a possibilidade de o Corinthians não conseguir saldar o empréstimo do BNDES. Mesmo com os juros subsidiados do banco do governo – em torno de 9% -, o clube terá de pagar, caso o prazo seja definido em dez anos, por exemplo, outros R$ 450 milhões só de juros. “Serão necessários R$ 1 bilhão para saldar a dívida. Isso é impagável”, prevê.

    Nas contas de Osmar Stábile, os juros ao ano somarão R$ 61 milhões. Em 2010, de acordo com conselheiros corintianos, o clube arrecadou R$ 182 milhões, mas teve despesas no total de R$ 179 milhões. O superávit foi de apenas R$ 3 milhões.

    Alberto Dualib, que administrou o clube entre 1993 e 2007, aponta outro problema: o fato de o Corinthians não ser o dono do terreno onde será construído o estádio. “Como alguém vai por dinheiro num negócio do qual não pode ser o dono?”, questiona o ex-dirigente, hoje com 92 anos.

    “Não pode haver comercialização de uma área que é pública. Se o terreno é da prefeitura, como será possível vender o título de algo que não existe”, indaga Dualib. Para Marlene Matheus, o Corinthians é prejudicado hoje “em razão dos interesses pessoais que estão se sobrepondo aos do clube”. A direção do Corinthians foi procurada, por meio de sua assessoria, para se manifestar sobre o assunto, mas não retornou.

  13. Arena ou Estádio?… Sou mais o bom e velho Morumbi!

    Os anos passam, chegam novas Arenas, novos estádios, e o bom e velho Morumbi, gigante cinquentão contestado por muitos e criticado por vários, vai dando razão ao ditado mais usado por Juvenal Juvêncio quando diz que “o tempo é o senhor da razão”. Como acontece com os vinhos, a medida que os anos se acumulam, sendo bem tratado e com sua manutenção em dia, o Sacrossanto continua a ser o mesmo grandioso estádio de tantas glórias, mas cada vez mais modernizado e confortável com as novas e boas mudança que recebe. A postura do SPFC na época que tinha seu estádio como candidato à sede da Copa do Mundo, mantendo a história e tradição de sua casa a frente de qualquer exigência da FIFA, foi e ainda é muito criticada por vozes jogadas na multidão muitas vezes sem conhecimento técnico suficiente pra fazer tal avaliação, mas suportando a todo tipo de crítica e até o quase total esquecimento da mídia, o imponente Cícero Pompeu de Toledo vai cravando ainda mais sua importância e peso na história do futebol brasileiro, brigando de igual pra igual com as novas “Arenas”.

    Apoiados no clima do “imagina a festa”, os novos estádios brasileiros que estão sendo construídos, levam o nome da moda atual de “Arenas”, buscando alcançar falsamente status e patamares de modernos e tecnológicos estádios Europeus e Norte Americanos, mas a história não é bem assim. A tecnologia embarcada, métodos construtivos e produto final ficam muito aquém do “vendido” ao público, que sem informação correta aceita cegamente soluções paliativas que não trazem nenhuma grande inovação aos campos brasileiros e ainda são vistas como modernidade absoluta. Estádios novos feitos na Europa para as Eurocopas de Portugal e Ucrânia, e Copa do Mundo da Alemanha, são exemplos muito distantes dos projetos brasileiros. A Copa da África do Sul em 2010 trouxe uma falsa impressão que a tecnologia poderia chegar junto com o maior campeonato de futebol do mundo e agregar valor à construção civil do país, mas assim como na África, o Brasil vem demonstrando que a história não passa na realidade de uma bela maquiagem mas já agrada a muitos que estão acostumados com um nível muito baixo. A Copa de 2014 no Brasil fará com que Arenas sejam construídas ou reformadas com conceitos importados mas com mentalidade e execução que não acompanham o mesmo nível. Os projetos para os Mundiais da Rússia e Catar, mesmo faltando 5 e 9 anos respectivamente, são muito mais modernos e ousados que os tupiniquins, apresentando inovações tecnológicas e belas obras, assim como acontece nos EUA, que frequentemente estão construindo novos palcos esportivos buscando sempre novidades no mercado ou até criando e executando o e antes parecia impossível.

    Os estádio brasileiros construídos ou reformados para a Copa, sofrem com obras feitas a toque de caixa e valores exorbitantes, ou seja, “orçamentos caros e obras baratas”, que na maioria dos casos deixa o principal de lado que é a segurança e conforto do torcedor. Engenhão, Arena Grêmio e Mineirão são exemplos de novos estádios que vendem uma imagem de ultra modernos mas que apresentam problemas simples de acabamento e até de segurança. O Engenhão, que assim como a Arena Grêmio, está localizado numa região de difícil acesso e com infraestrutura deficiente, tem um projeto ultrapassado e de gosto duvidoso se comparado aos grandes e novos estádios do mundo. Construído para ser o palco principal do PanAmericano do Rio em 2007, foi interditado por oferecer risco aos usuários devido graves problemas de estrutura, principalmente em sua cobertura, que é o maior vão em arco sobre concreto do mundo mas que corre até risco de desabamento. Com menos de 6 anos de existência, o estádio carioca escancara uma situação vexatória pra construção civil brasileira.

    Arena Grêmio e Mineirão sofrem após suas recentes inaugurações com problemas de acabamento e falta de segurança como no caso do acidente ocorrido no estádio gaúcho durante a tradicional “avalanche” feita pelos torcedores gremistas. As duas Arenas tem grades e revestimentos faltando, soltos e até caindo, mesmo tendo pouquíssimo tempo de existência, o que não chega a ser o fim do mundo, uma vez que ajustes pós obras sempre são comuns mas que evidenciam uma falta de cuidado com o detalhe tanto na execução quanto a concepção do projeto. Outras Arenas sofrerão com isso também e mais problemas devem vir a tona, mas o que importa para opinião pública é que os estádios estão reformados ou novos, não se importando de ir mais a fundo no conceito de “Arenas” e analisar qual a relevância das obras executadas.

    O Morumbi, mesmo velhinho, apresenta um padrão de conforto e acabamento que talvez não seja encontrado em 90% dos novos palcos do futebol brasileiro (como comprovado no post sobre as cadeiras novas) e ainda propõe inovações que não são levadas em consideração nos novos projetos como a Arena25, que importa o verdadeiro conceito de Arena, criado no estádio do Ajax da Holanda e que rendeu a “grife” Arena ao estádios que eram reformados ou construídos em alusão à modernidade dos mesmo. O sistema a ser construído no Morumbi para a criação da Arena25 é inédito no Brasil e no mundo em tamanho e operação, e aí que está a essência do termo modernização. Todos os projetos de estádios novos do Brasil prevêem instalação de grandes telões, o que o torcedor brasileiro não está acostumado a ver, mas mais uma vez o SPFC foi além e buscou algo novo em seu projeto tentando viabilizar um telão/placar central acima do campo e painéis eletrônicos em toda volta dos anéis intermediário e superior, deixando o Sacrossanto com uma capacidade de exploração e exposição de mídia enorme. O Concept Hall instalado no anel inferior da casa tricolor, é outro item genuinamente explorado do real conceito e Arena, diferente de como é pensado no Brasil, transformando o estádio de futebol em um ponto de encontro, ponto turístico, local de compra e lazer não só pra assistir futebol mas também pra frequentar com a família e amigos a qualquer dia da a, independente do jogo de seu time.

    Inovação e aplicação correta do conceito de arena, aliados à um acabamento de alto padrão, credenciam o Morumbi a ter um produto final de alta qualidade, podendo aí sim ser comparado aos novos concorrentes. Diferente do que muitos dizem, a maquiagem na verdade não está sendo feita no Morumbi, mas sim no conceito de Arenas modernas que se vende ao povo brasileiro. O estádio sãopaulino mantém suas tradições, história, e ainda se moderniza de uma forma muito mais real que a maioria dos estádios verde amarelo, tudo isso localizado numa região consolidada de relativo fácil acesso (obras de mobilidade urbana já estão em curso para melhorar o acesso à região), dotada de infraestrutura e com verba própria sem perder o controle de seu patrimônio por décadas como no caso do Itaquerão, Arena Grêmio, Arena Palestra e outros mais que serão verdadeiros inquilinos dentro de sua própria (não tão própria) casa.

    Quando se trata de pessoas, a casa dos 50 anos é a entrada pra chamada “melhor idade”, no caso do Morumbi a recíproca é verdadeira e podemos dizer que o Sacrossanto entra na melhor idade também, pois após a conclusão das obras ele será um cinquentão com corpinho de garotão. A longevidade e vida própria financeira serão seu segredo para reinar por mais 50 anos pelo menos, carregado de glórias e história. Quem esperar não se arrependerá, pois se o processo está demorado para o avanço efetivo da reforma, trata-se infelizmente da burocracia existente no Brasil pra quem quer fazer as coisas de forma correta e de forma legal, sem precisar ficar fazendo chantagem na mídia em troca de pressão por favorecimentos do governo… O bom e velho Morumbi provará que realmente o tempo é o senhor da razão!

    http://www.botecodomorumbi.com/2013/03/arena-ou-estadio-sou-mais-o-bom-e-velho.html

  14. ———> A verdadeira história do Corinthians que eles e a mídia tentam esconder <———–

    – 1910: São fundados para ser um time de várzea, e não para ser profissional (como é até hoje), com nome inspirado em um time inglês que atualmente é chamado Corinthian Casuals (a matriz) que usa uniforme cor de rosa e chocolate. O primeiro presidente foi um costureiro.
    – 1910: O primeiro uniforme do Corinthians era rosa e chocolate em alusão ao do time inglês. Há uma réplica do uniforme do time inglês no Memorial do Parque São Jorge.
    – 1910: A primeira sede foi um salão de cabeleireiros.
    – 1910: Após a fundação já mudaram de escudo e alteraram oito vezes, uma histórica falta de convicção, tradição e originalidade.
    – 1913: Por imposição do presidente e da diretoria troca o uniforme rosa (contra a vontade da sua torcida) pelo bege, para não distanciar muito a cor da camisa mãe do clube (a replica foi vendida no ano do centenada corintiano).
    – 1913: Perdeu na primeira partida oficial disputada na capital por 3×1 para o Germânia (que atualmente é o Esporte Clube Pinheiros).
    – 1914: Após dissidência, dirigentes e jogadores, principalmente por causa de dívidas e que discordavam da administração se rebelam e fundam outro clube rival. A história da traíragem é conhecida.
    – 1915: O Corinthians faliu. Resolveu abandonar a LPF para tentar participar do Campeonato promovido pela APEA, não obteve êxito e quando tentou retornar à LPF e não foi aceito, desta maneira o Clube apenas participou de amistosos neste ano, e os seus jogadores resolveram procurar outros clubes para jogarem, fato que contribuiu para dificuldades financeiras, o que ocasionou inclusive o embargo da sede do clube, o proprietário do local, fechou as portas com todos os bens do Corinthians dentro e o clube era ameaçado por cobradores de penhor e o deram como falido, só que retornaram as suas atividades normais no ano de 1916 mudando até o escudo e na base do velho e conhecido calote.
    – 1916: O Estádio da Ponte Grande foi a primeira casa. O local ficava próximo da Ponte das Bandeiras, onde hoje está localizado o Clube de Regatas Tietê. A área foi concedida ao clube em 1916 pela prefeitura de São Paulo por intermédio do político Alcântara Machado. Machado atuou a favor do clube para que o terreno fosse transformado em uma praça de esportes. Primeiro favorecimento público.
    – 1928: foi campeão por W.O sobre a Portuguesa. Após gol irregular de Gambinha, a Lusa não quis prosseguir no jogo, que terminou antes do fim. Começava aí o famoso apito amigo.
    – 1933: Sofrem três goleadas históricas no paulistinha para os três rivais do estado: 0x6 Santos, 1×6 São Paulo, 0x8 Palmeiras. Resultado, a sede foi invadida, atearam fogo e toda a diretoria se demitiu.
    – 1938: Com um gol de mão de Carlinhos, ganham o Campeonato Paulista em cima do São Paulo;
    – 1948: O Palmeiras vence por 6×0. Detalhe, na história dos confrontos, perde por 5×2 em jogos de grandes goleadas (de quatro gols ou mais).
    – 1956: Receberam 10 milhões de cruzeiros da prefeitura como incentivo para construção do seu estádio. O projeto de Lei 5066, de 22 de outubro de 1956 beneficiou o clube, assim como São Paulo e Palmeiras. Gastaram todo o dinheiro e até hoje não possuem estádio de sua propriedade.
    – 1957: Após perder o Paulista para o São Paulo a torcida enche o Pacaembu de garrafas, no episódio conhecido como “Jogo das Garrafadas I”;
    – 1961: Chacota dos rivais, são chamados de “faz me rir” por perder sete partidas em 11 no paulistinha.
    – 1966: “Conquistam” o Rio – SP dividindo-o com mais 3 clubes.
    – 1968: Completam 11 anos de freguesia sem vencer o Santos FC. Freguesia recorde!
    – 1971: O Clube viajou à Europa para jogar um amisto (dizem que foi em razão do aniversario do clube). Jogou contra Barbara FK da Noruega (que já faliu). O time havia saído campeão aqui no Brasil, mas perdeu por 12×0 (doze a zero!) para o time local da 4º divisão (quarta divisão!)
    – 1974: Após perderem o Campeonato Paulista para seu arqui-rival Palmeiras, a torcida resolve expulsar do clube o maior jogador de sua história: Rivellino (que nunca ganhou um título pelo Corinthians). O jogador vai defender o Fluminense e, por coincidência ou destino, seu primeiro jogo pelo time carioca é contra o mesmo Corinthians. Ao entrar em campo, uma faixa levada ao Maracanã pelos corintianos com os dizeres: “A Fiel já esqueceu o Ruinzinho do Parque”. Rivellino sai de campo com 3 gols marcados na vitória de 4 a 1 do Fluminense sobre o Corinthians, que já ostentava 20 anos de fila;
    – 1977: Final do Paulista contra a Ponte Preta. O artilheiro ponte pretano Ruy Rei, comprado, sem motivo nenhum dá um pontapé num zagueiro corintiano e é expulso no começo do jogo. Corinthians Campeão saindo da fila de 23 anos (No Paulista!). Misteriosamente, uma semana após o título, Ruy Rei anuncia acerto de contrato com os Travecos;
    – 1977: Batem recorde de publico em jogo no estádio do Morumbi com 146.000 pessoas, comprovado. Detalhe, a capacidade máxima do estádio é de 120.000 torcedores. Os 26.000 tráficos a mais somente caberiam sentando no colo dos demais. O maior público já registrado no Morumbi foi de 163.000 pessoas (43.000 no campo e entorno). Em 1985 quando houve um congresso evangélico. Todos os demais maiores públicos em jogos teve média de 120.000 torcedores (capacidade do estádio).
    – 1978: O terreno onde está sendo construído o estádio hoje foi cedido pela prefeitura para a construção do Itaquerão ou Travecão naquela época. A entrega foi feita no parque São Jorge pelo general Ernesto Geisel que presidia o Brasil, em ato populista na época da ditadura. O terreno é publico. Não é de hoje que o poder público se encarrega de suprir a incompetência administrativa do clube em nome do time da favela
    – 1982: Depois de fazer campanha pífia no Campeonato Paulista de 1981, é obrigado a disputar a Taça de Prata do Campeonato Brasileiro de 1982, correspondente a Segunda Divisão do Torneio.
    – 1987: Terminam a Copa União em último lugar (16º lugar) e só não é rebaixado, pois a mesma havia sido organizada pelo Clube dos 13, e não pela CBF;
    – 1988: A torcida Gaviões entoa o nome do Palmeiras no estádio. O Corinthians precisava vencer o Santos para chegar à final do Paulista, mas torcendo também para que o Palmeiras vencesse o São Paulo no outro jogo. Vencendo por 2×0, os corintianos viram o placar eletrônico mostrar que o Palmeiras havia vencido o São Paulo por 1×0 e o locutor anunciou o resultado. Imediatamente começaram a entoar no Pacaembu o nome do rival Palmeiras.
    – 1990: Ganham primeiro titulo nacional. Após 80 anos de fundação. Vergonha
    – 1991: Revoltados por terem perdido de 2 a 0 para o Flamengo em pleno Pacaembu, pela Libertadores, resolvem encher o campo do Pacaembu de garrafas, no episódio denominado “Jogo das Garrafadas II”;
    – 1993: Viola imita um porco ao fazer o gol da vitória no primeiro jogo contra o Palmeiras na final do Campeonato Paulista. No jogo de volta, um sonoro 4 a 0 dá o título ao Palmeiras;
    – 1994: Globo denuncia no Jornal Nacional o “Esquema Ives Mendes” de arbitragem, envolvendo os dirigentes Mário Celso Petraglia, do Atlético/PR, e Alberto Dualib. O esquema culminou no banimento de Ives Mendes do futebol e no rebaixamento do Atlético Paranaense para a segunda divisão. Ao Corinthians, misteriosamente, nada foi aplicado;
    – 1994: Com o time titular, com Casagrande, Ronaldo, Viola, Biro Biro, perdem a Conmebol para o time juniores do São Paulo.
    – 1996: A prefeitura de São Paulo cede uma área de 18,4 mil metros quadrados ao clube para ser usada como estacionamento de sócios do clube no entorno do parque São Jorge. O local é a avenida Elisabeth de Robiano (absurdo!). Nunca pagaram aluguel à prefeitura pelo uso do local. A prefeitura entrou com ação de reintegração de posse, mas o clube contesta a ação na justiça.
    – 1997: Recorde de 16 partidas seguidas sem vencer ninguém no campeonato brasileiro.
    – 1998: Têm o primeiro jogador de futebol profissional a posar pelado para uma revista G A Y Vampeta.
    – 1998: Jogo do Castrili. Arbitro argentino rouba descaradamente a Portuguesa na semifinal do Paulista anulando 2 gols legítimos da Lusa e marcando um pênalti de mão que não existiu. Só que por moralidade do futebol, na final o São Paulo foi campeão paulista daquele ano em cima da travecada.
    – 1999: Jogadores do Corinthians, irritados por serem eliminados da Libertadores pelo Palmeiras dias antes, resolvem iniciar uma briga generalizada na final do Paulista, no Morumbi;
    – 2000: É convidado, misteriosamente, a participar de um Torneio denominado “Mundial de Clubes”, aqui no Brasil. Detalhes interessantes: o Corinthians não era campeão continental e o patrocinador do Torneio, Traffic, era uma das parceiras do Corinthians. Coincidentemente, só passou de fase por ter um gol validado que não entrou 40 cm;
    – 2000: Sofre uma seqüência de 10 derrotas seguidas e é desafiado pelo Íbis, conhecido como “o pior time do mundo”. AMARELOU para o desafio! Terminou a Copa João Havelange em último e não caiu porque o torneio não foi organizado pela CBF;
    – 2002: Vários erros da arbitragem acabam dando o titulo da Copa do Brasil em pleno Serejão, no Distrito Federal, contra o Brasiliense;
    – 2003: Fazendinha e a sede são penhorados devido a uma ação trabalhista, movida pelo atacante Luizão, ídolo no clube.
    – 2003: São vergonhosamente goleados pelo Juventude de Caxias 22º colocado! Por 6×1 no campeonato brasileiro.
    – 2004: Após campanha pífia no Campeonato Paulista, só não é rebaixado pois o São Paulo vence o Juventus da Rua Javari na última rodada, com gol do Grafite.
    – 2005: Ao vencer a parada GLS da av. Paulista, em pesquisa informal do programa mesa redonda, por 45%, um dos travestis corintianos entrevistados fundam informalmente a torcida organizada Pandora da Fiel (está no Youtube).
    – 2005: MSI, lavagem de dinheiro, máfia russa, jogos anulados e pedidos de desculpas de Márcio Rezende após erro vital no jogo contra o Inter no Pacaembu. Esse foi o Zveitão vencido em 2005.
    – 2006: Efetiva Ademar Braga, reconhecidamente metrossexual e homo, seu técnico.
    – 2006: São rebaixados no carnaval de São Paulo após ficar em últimos na classificação.
    – 2006: Vencem com larga vantagem maioria na parada GLS da av. Paulista.
    – 2006: A torcida estoura o alambrado, tenta invadir o campo do Pacaembu, após vergonhosa eliminação da Libertadores pelo River Plate, mas afinam pra uma dúzia de PM’s;
    – 2006: Têm o 14º técnico demitido pelo São Paulo na historia, um baita recorde para um só time.
    – 2006: Ameaçam, xingam Tevez (argentino que jogava muito pelos Travecos, foi ídolo), chegaram a chutar o carro e ele teve que fugir. Após o episódio ele abandona o time e vai para um clube e torcida mais civilizados na Europa.
    – 2007: Vencem com larga vantagem maioria na parada GLS da av. Paulista.
    – 2007: Dualib ex presidente admite que o titulo de 2005 foi ganho com esquema.
    – 2007: Policia apreende documentos na sede para investigar sonegação fiscal e emissão de notas frias.
    – 2007: A revelação Willian (vendido depois para o Shakhtar) declarou que o Diretor da base levava os moleques para um sítio de Indaiatuba em mais um caso de pedofilia no futebol, mas lá no time da marginal. Afirmou ao Lancenet “todo mundo sabe o que acontecia lá”.
    – 2007: Ao final do ano já são cinco denuncias de pedofilia nas categorias de base com descrição de aliciamentos por parte de seis funcionários gestores. Com uma conduta dessas na base só poderia ser o time dos travecos desde a categoria fraldinha até o profissional. Vergonha repugnante!
    – 2007: Ministério Publico investiga Alberto Dualib ex presidente por transferir bens ao Uruguai para evitar penhora da Justiça.
    – 2007: São rebaixados para a série B do campeonato Brasileiro;
    – 2007: Operação abafa CPI do Corinthians. Após virar alvo do Congresso e Senado no requerimento de criação da CPI do Corinthians, a CBF faz lobe usando apoio político e financeiro para esquecerem o caso. No total 75 deputados e 4 senadores que assinaram o requerimento voltaram atrás. Alegaram que sofreram forte pressão dos estados e CBF, porque a FIFA retiraria a Copa 2014 do Brasil devido ao escândalo. A FIFA desmentiu a alegação através de entrevista do Josef Blatter, mas que estavam acompanhando atentos.
    – 2008: Após Ronaldo se envolver com alguns travestis, os Travecos o contrata como ídolo.
    – 2008: Vencem com larga vantagem maioria na parada GLS da av. Paulista
    – 2008: Efetivam a camisa roxa, remetendo ao primeiro ano de história quando usaram camisa rosa.
    – 2009: Vencem com larga vantagem maioria na parada GLS da av. Paulista.
    – 2009: O vice presidente, Roque Citadini é investigado pela policia federal.
    – 2009: São expulsos do Mundial Interclubes Sub-18, na Espanha. Após estar perdendo por 3×0 para o Real Madrid os travequinhos criaram uma briga generalizada. Estão suspensos da competição por cinco anos. Vergonha para o Brasil.
    – 2009: Vaza na internet um filme pornô intitulado corintiano-chupador, contendo cenas entre homens. Nem vale a pena comentar. Dizem que o marketing corintiano abrange a todos, vai saber.
    – 2009: Vencem a Copa do Brasil mais roubada da história. Os árbitros prejudicaram o Intumbiara (pênalti inexistente), Vasco da Gama (pênalti do Chicão não dado), Atlético Paranaense (dois pênaltis inexistentes) e Internacional (pênalti não marcado).
    – 2010: Ano do centenário, vira chacota de todos os rivais e alvo de peça publicitaria inédita. 100 tenário, 100 estadio, 100 titulos, 100 carater, 100 arbitragem honesta, 100 gols do Ceni, 100 CT, 100 respeito, 100 Libertadores, 100 tenada.
    – 2010: Tiveram a Luz cortada pela Eletropaulo por falta de pagamento.
    – 2010: Destroem tudo inconformados com a classificação pífia no Carnaval 2010, no sambódromo, passou a destruir o local, quebrando cadeiras, agredindo jurados, depredando tudo o que viam pela frente.
    – 2010: Vencem com larga vantagem maioria na parada GLS da av. Paulista
    – 2010: o arbitro FIFA Gutemberg de Paula Fonseca denuncia esquema de favorecimento ao Corinthians no campeonato brasileiro de 2010. No jogo contra o Goias ganho por 5×1 recebeu ligação do Presidente comissão de arbitragem Sergio Correa: “boa sorte, é jogo do timão ein”. Nota: naquele campeonato, houve sete “erros” decisivos que deram a liderança (mesmo assim conseguiram perder!).
    – 2010: No total, 1437 pessoas assistiram ao filme “Todo Poderoso – 100 anos de Timão”. Fiasco retumbante. O Filme recebeu R$ 2,2 milhões do governo federal através do Ministério da Cultura para ser produzido.
    – 2011: São vexatoriamente eliminados pelo desconhecido Tolima na fase de Pré Libertadores. Acontecimento do toliminado.
    – 2011: A Rede de Televisão dos Estados Unidos CNN em seu portal chama de “small club”. Pequeno clube de São Paulo
    – 2011: Tomam o 100º gol do goleiro Rogério Ceni em cobrança de falta.
    – 2011: Vencem com larga vantagem maioria na parada GLS da av. Paulista.
    – 2011: Justiça investiga irregularidades do presidente Andrés Sanchez e empresas fantasmas com laranjas.
    – 2011: O diretor de marketing Luis Rosenberg quis aloprar dizendo que o canal fechado de TV For Man era do São Paulo. Após a declaração, o presidente do comitê GLS repudiou, criticando o uso desse assunto como piada e reconhecendo ser corintiano. Por Érico Santos “eu sou corintiano, torço pelo Corinthians e fiquei triste”.
    – 2011: Após mais de cem projetos e maquetes, tem inicio a construção do Itaquerão ou Travecão, com ajuda do governo federal, estadual, municipal e 85% de dinheiro público.
    – 2011: Alexandre Frota, jogador do time de futebol americano do Corinthians desde 2010 concede entrevista a um repórter falando sobre o filme pornô realizado com um travesti ” Tem muito homem que é louco por uma travesti, mas fica dentro do armário. Eu não. Eu fui lá, fiz o filme”. Não é coincidência que quando há envolvimento de jogador com travestis, o Shemale Club Corinthians Paulista contrata.
    – 2012: O ex jogador Fabinho (Fabio Fontes) é preso por abusar de uma criança de cinco anos. Na confissão a policia ele afirmou que seu desvio de conduta se originou nos vários abusos que sofreu nas categorias de base Terrão em 1990. Vergonha repugnante!
    – 2012: Destroem tudo inconformados com a classificação pífia no Carnaval 2012, no sambódromo, passou a destruir o local, colocando fogo em carros alegóricos, depredando tudo o que via pela frente na Marginal Tietê (marcha dos travecos na marginal).
    – 2012: Elimina o numero 24 do uniforme por natureza de questão sexual duvidosa.
    – 2012: Vencem com larga vantagem maioria na parada GLS da av. Paulista.
    – 2012: Após mais de 100 anos conquistam o primeiro titulo internacional de verdade e atravessam o oceano Atlântico, aleluia. Levaram 9.000 torcedores ao Japão e a mídia e a travecada fala que é 40.000. Daqui há 10, 20, ou 30 anos vão falar que tinham 2 milhões de travecos dentro do estádio de Yokohama.
    – 2012: Ao receber a taça da Libertadores, derrubam e quebram-na. Ainda depois do ocorrido convidam o ex presidente Lula para ver apreciar o sinistro. Depois devolvem a taça remendada para a Conmebol. Vem aí mais uma maldição?
    – 2012: Em dez anos tiveram 14 goleiros, a maioria frangueiros. Incompetência assim só se vê na série B e C. E por isso, vivem morrendo de inveja do Marcos e do Rogério Ceni.
    – 2012: Após ficar sete meses sem conseguir patrocínio o Corinthians recorre a Lula, que se compromete com a Diretoria em ajudar ao término das eleições. Após as eleições municipais terminarem o ex-presidente se mobiliza e consegue acordo com o banco estatal Caixa Econômica Federal (saiu na Veja e em todos os portais). Com suas influencias o ex-presidente alcança patrocínio de R$ 30 milhões/ano com dinheiro público/privado ao clube.

  15. ———> Acusações de pedofilia implodem categoria de base do Corinthians <———–

    O escândalo provocado pela suspeita de casos de pedofilia nas categorias de base do Corinthians provocou um autêntico terremoto dentro do clube.

    O caso, revelado nesta semana pelos jornais "Jornal da Tarde" e "O Estado de S. Paulo", levou a cúpula corintiana a afastar o principal acusado, o ex-gerente de futebol de base Evanir Jesus de Moraes, vulgo Wando, e cinco funcionários ligados a ele.

    OUTROS PROBLEMAS NA BASE
    O trabalho de Cilinho como diretor-técnico das categorias de base do Corinthians não ficará restrito às quatro linhas. Na apresentação do profissional nesta terça-feira, no Parque São Jorge, tanto Cilinho como a diretoria do clube revelaram problemas envolvendo principalmente a equipe B, que será extinta.

    Diante de altos salários recebidos por alguns atletas que sequer atuaram pelos profissionais, Miguel Marques e Silva, diretor-geral do futebol amador, afirmou que há indícios de "caixa 2" e de um esquema envolvendo antigos dirigentes do clube.

    "Já deu para sanar alguma coisa, mas não queremos ser prematuros, é muito pouco tempo para ter idéia do que aconteceu. São muitas coisas profundas, relacionamentos promíscuos de todo tipo", comentou.

    A polícia já está envolvida no caso. Foram denúncias de familiares de garotos que atuam na base do Corinthians, cinco delas registradas no 30º Distrito Policial, no Tatuapé, que despertaram a atenção da direção do clube para o problema.

    "A polícia está apurando e vamos ajudá-los em tudo. As pessoas que tinham qualquer relacionamento com ele, que eram, vamos dizer assim, subordinadas, foram afastadas até que tudo seja apurado", afirmou o diretor das categorias de base, Toni Craveiro.

    "Não tínhamos conhecimento do que acontecia. Aí fomos mexendo, aflorou e descobrimos este problema, que recebemos com perplexidade", disse Craveiro. "O importante é que era algo centralizado, que não gerou frutos", completou.

    O diretor mostrou preocupação em isentar o clube de responsabilidade. "Não pode existir nenhuma suspeita, precisa ficar tudo dentro de uma transparência. O Corinthians não pode pagar por causa de uma pessoa que quis tirar proveito de uma situação", alegou o cartola.

    Segundo relato dos envolvidos, Wando teria levado garotos para um sítio de sua propriedade, na Alameda Mognos, em Indaiatuba, com promessa de churrascos com bebida e comida à vontade.

    Para o diretor, o fato também pode ter influenciado o futuro de muitos garotos. "O processo de formação acabou ficando comprometido. Não dava resultado. Agora sabemos o motivo", finalizou Craveiro.

    O UOL Esporte tentou contato telefônico com o acusado por várias vezes no início da tarde desta quinta-feira, mas as chamadas caíam na caixa postal do telefone celular de Wando.

  16. —————> Preso por pedofilia, ex-jogador denuncia abusos no Corinthians <——————

    Fabinho Fontes passou a noite de segunda-feira toda chorando em uma cela do 26º Distrito Policial, no Sacomã, na zona sul de São Paulo. Aos 37 anos, o ex-jogador corintiano, promessa de craque na década de 1990, não negou que houvesse abusado sexualmente de uma menina de 5 anos, mas confidenciou aos policiais que, na época das categorias de base do Corinthians, sofreu vários abusos que deformaram o seu comportamento sexual.

    O ex-meia está preso desde domingo à noite, pego em flagrante, acusado de estupro de incapaz . A vítima é uma criança de 5 anos, filha de um casal de amigos com quem pegava carona, depois um jogo pelo masters do Corinthians, em Taboão da Serra, periferia de São Paulo.

    No 26º DP, Fontes disse que dirigentes do clube sabiam o que acontecia na base, mas nunca fizeram algo para resolver a situação contra os garotos que atuavam pelo Corinthians no início dos anos 90. E que ele foi um dos que sofreram abusos e chacotas dos cartolas.

    Fabinho não sabe qual será o seu futuro. Mas não perdoou Sergio Alvarenga, assessor da presidência do Corinthians, que desmentiu qualquer ligação dele com o clube, logo que o caso de abuso veio à tona. O ex-meia foi ontem para o Centro de Detenção em Pinheiros. Se condenado, pode pegar 15 anos de prisão.

    Investigação
    O assessor da presidência do Corinthians, Sergio Alvarenga, negou que saiba de qualquer informação sobre os supostos abusos contra os garotos da base nos anos 1990. "Em 1995, eu nem era sócio do Corinthians. Nunca estive próximo das categorias de base. Mas, se as acusações contra os dirigentes da época forem realmente verdadeiras, precisam ser apuradas até o fim pelas autoridades policiais", afirmou.

    Atletas acusaram pedofilia no futebol
    Pelo menos dois jogadores de futebol acusaram abusos ou assédio sexual em categorias de base de grandes clubes do Brasil, após se tornarem profissionais. Um deles foi o goleiro Marcelo Marinho, hoje no Vitória-ES. Em 2005, pelo Corinthians, ele disse que sofreu assédio de diretor quando defendia o Vasco. Na época dos supostos abusos, o jogador tinha entre 12 e 13 anos.

    Dois anos depois, a acusação foi contra um dirigente da categoria de base do Corinthians, que havia trabalhado 30 anos no clube. Em entrevista ao Lancenet!, em 2006, o meia Willian, hoje no Shakhtar, da Ucrânia , afirmou que "todo mundo sabia o que acontecia lá".

    "Nenhum jogador vai falar, mas tenho certeza de que tinha lá. Graças a Deus, nunca fui convidado (para o sítio do diretor da base). E, mesmo que fosse, não iria. Sabia que alguma coisa de ruim podia acontecer", afirmou o jogador.

    Depois das declarações de Willian, o então técnico do Corinthians, Nelsinho Baptista, afirmou que casos de pedofilia no futebol existem desde quando ele jogava, na década de 1970. E disse que o problema é que os clubes não se preocupam em contratar profissionais de gabarito para as categorias de base.

  17. Fred disse:

    Yan Perin PINTO

    Com esse nome, o Severino não poderia deixar passar…..

    Não poderia deixar o seu “filho” na mão….rs

    Logo o mlk estará visitando a chácara de algum diretor da base….

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    O mlk terá q colocar o nome pra funcionar…..Galinhada gulosa

  18. Pedro Felix disse:

    Bom jogador ?????? kkkkkkkkkkkkkkkk piada ….
    O garoto não chegou ano passado e sim ano retrasado…. sequer foi aproveitado em um simples amistoso.

  19. DONmaumau disse:

    Paulinho,pelo que sei o Yan não foi dispensado pelo Inter não….e sim foi levado para o Corinthians com o aval dos pais dele.
    PS:pelo menos foi essa historia que saiu no RS na epoca.

  20. Elsio Arantes disse:

    Esse mlk joga é muito,vai corinthians!!!
    http://www.youtube.com/watch?v=TIs0mqxSnK8

  21. Elsio Arantes disse:

    PO paulinho vc deve tá meio zuado pra dizer que o mlk até é bom jogador,ele joga muito.Gostei da nova aquisição do coringão,muito em breve vamos ter grande craque,vai corinthians…Joga fácil!!

  22. Elsio Arantes disse:

    Muito bom jogador,parabéns ao seu empresário,escolheu bem!

  23. Elsio Arantes disse:

    Esse Paulinho do flog é um treta que se aproveita de pequenas situações as quais só ele critica e tudo mais,não vi ninguém mais fazendo críticas sobre as besteiras q ele publica!!

  24. Cristiane disse:

    O que me consta o Yan Perin saiu do Sport Clube Internacional, porque ele quis. Quem disse que ele foi dispensado pelo clube, está pessimamente informado. Inclusive tentaram convencer o garoto a fica no clube. As informações deveriam ser checadas antes de ser postadas. Cristiane Santos, advogada

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.