Advertisements

São Paulo massacrou o Bolivar no Morumbi

Sem nenhuma dificuldade, o São Paulo cumpriu sua obrigação, goleando a fraquíssima equipe do Bolivar por cinco a zero.

Jogará agora na altitude boliviana com a importante vantagem de poder perder por quatro gols de diferença.

Ou seja, está classificado.

O primeiro tempo do Tricolor foi apenas razoável, embora com bem mais posse de bola do que os bolivianos, que, durante quase todo o tempo, procuraram apenas se retrancar.

Com mais velocidade no início, chegou até a envolver com facilidade a zaga adversária, como, por exemplo, aos 3 minutos, em jogada erguida por Jadson na área, que Aloisio tentou cabecear, mas a bola pegou em seu ombro, encobriu o goleiro e beijou o travessão.

Aos 7 minutos, Osvaldo recebeu a bola na entrada da área, do lado esquerdo, bateu cruzado e marcou um golaço, no ângulo alto esquerdo do goleiro.

Depois inexplicavelmente o São Paulo marcou bobeira em duas oportunidades, aos 11 minutos, quando Rogerio Ceni fez milagre em cabeçada à queima-roupa, dentro da pequena área e aos 12 minutos, num voleio bonito de Ferreira.

Daí por diante o Tricolor não foi mais incomodado, porém, encontrou alguma dificuldade em criar oportunidades de gol.

Mas, com o adversário abaixo da crítica, quando chegava, levava perigo.

Como aos 20 minutos, quando Aloisio fez grande jogada pela direita e rolou rasteiro para Luis Fabiano marcar o segundo.

E também aos 46 minutos, novamente com o Fabuloso aproveitando-se de rebote do goleiro em batida de Jadson.

Na segunda etapa, o Tricolor passou a administrar o resultado, deixando o Bolivar correr atrás da bola, e, de vez em quando, também realizando seus ataques.

O primeiro, aos 9 minutos, quando Osvaldo recebeu boa bola na entrada da área, mas bateu à direita do gol.

Aos 14 minutos, Lucio ultrapassou o meio campo, lançou para Osvaldo na esquerda que cruzou para Jadson marcar mais um.

Dois minutos depois, Osvaldo ganhou na corrida do zagueiro que o derrubou dentro da área.

Pênalti.

Um minuto depois, com enorme categoria, o mito Rogerio Ceni converteu a cobrança, marcando o gol do seu aniversário de 40 anos.

A cereja do bolo.

Daí por diante, o Bolivar, desanimado, se entregou e o Tricolor fez o que quis dentro do gramado.

Ganso substituiu Jadson, perto dos 30 minutos, quando o ritmo da equipe do Morumbi, por motivos óbvios, já estava mais cadenciado.

Rogerio Ceni, depois do gol marcado, voltou a pegar na bola apenas aos 36 minutos, numa batida despretensiosa de Ferreira, e aos 38 minutos, num chute de fora da área dos bolivianos.

Houve tempo ainda para Luis Fabiano, aos 47 minutos, levar um cartão amarelo absolutamente desnecessário, reclamando de jogada de escanteio não marcada.

No final a justa vitória do São Paulo serviu para espantar a zebra da altitude, garantindo mais uma equipe brasileira na fase de grupos da Libertadores 2013.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: