Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

METODOLOGIA CONHECIDA

O procedimento praticado pelos dirigentes da CONAF, deixando de convocar árbitros federados capazes, com idade acima dos trinta e cinco anos, é inadmissível; vez que, ao mesmo tempo, possivelmente, por injunções políticas, continuam selecionando para “sorteamento” alguns, com poucas condições físicas e técnicas, que passaram dos quarenta.

Fora a idade, observo que os dirigentes da CONAF estão copiando métodos antigos, ou seja, dependendo do interesse na pontuação, como também, na influencia política, escalam o árbitro, para cada tipo de partida.

Exemplo

Time mandante, ou, visitante, ligado ao poder, com necessidade de não perder, colocam árbitros disciplinar e tecnicamente fracos. Normalmente, árbitros deste porte querem escalas, são bajuladores dos dirigentes, aceitam explicações de como se comportar durante a contenda, costumam tremer com pontapé na porta do vestuário, com gritos e ameaças dos torcedores e, por ai vai.

32ª e inicio da 33ª Rodada da Série A do Brasileirão- 2012

Sábado 20/10

Palmeiras 2 x 0 Cruzeiro

Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (FIFA-RJ)

Não teve problema, trabalho aceitável

Corinthians 1 x 1 Bahia

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (ASP-FIFA-GO)

Wilton deu pequena oscilada, rapidamente se acertou, sinalizando a penalidade praticada pelo defensor Danny Morais, da equipe baiana, em cima do corintiano, Guilherme.

No conjunto, não ocorreram lances que pudessem complicar a atuação dos representantes das leis do jogo, sendo assim; trabalho aceitável.

Domingo 21/10

Flamengo 1 x 0 São Paulo

Árbitro: Leandro Pedro Vuadem (FIFA-RS)

Sinalizou corretamente a penalidade máxima cometida pelo flamenguista Wellington Silva no são-paulino Denílson;

– a penalidade foi chutada por Luiz Fabiano na mão do goleiro oponente.

Rematando

Por ter sido pouco exigido, Leandro Vuadem, apresentou trabalho cabível.

Atlético-MG 3 x 2 Fluminense

Árbitro: Jailson Macedo Freitas (BA)

Apesar de não apresentar condições para atuar em partidas importantes, por deixar, como deixou, de sinalizar faltas em episódios fortíssimos que gerou reclamações por parte dos litigantes.

– No lance da presumível anulação do tento da equipe mineira, – em meu entendimento, Jailson Macedo Freitas acertou,

– ao marcar a irregularidade cometida pelo atleticano Leonardo Silva,

– logo após a cobrança da falta favorável a sua equipe,

Explico:

– Quando da formatação da barreira pela equipe carioca,

– Leonardo Silva se interpôs entre seus componentes,

– assim que árbitro autorizou, levemente, o zagueiro atleticano,

– iniciou movimento de força corporal entre os componentes da barreira, objetivando abrir brecha para passagem da bola,

– no entanto; Ronaldinho Gaucho, chutou a redonda por cima da barragem,

– para o lado direito do goleiro do Fluminense, ocorre que;

– após a partida da bola, o árbitro trilou seu apito,

– para sinalizar a falta cometida por Leonardo Silva,

– concomitantemente, na trajetória, a bola, caiu dentro da meta do Fluminense.

– os atleticanos ameaçaram comemorar o gol e reclamaram,

– prevaleceu a posição do árbitro.

Complementando

Na interpretação de alguns, Jailson não se ligou que a bola tomou outra direção, por este motivo, ele, errou.

Esta corrente de interpretadores esquece que estando à bola na posse do ataque de uma equipe, dentro da área oponente e, o goleiro da equipe atacante, de dentro de sua área, agride o adversário, o árbitro vendo, pode e deve sinalizar a falta penal.

EM TEMPO:

Se o fato ocorrer no costado do árbitro, cabe ao assistente se fazer presente; ou seja, deve acionar a bandeirinha, chamar o árbitro, apontando a irregularidade.

Exercício

Não nos esqueçamos que durante o treinamento das equipes, ocorrem simulações com objetivo de burlar os representantes das leis do jogo.

Ponte Preta 1 x 0 Santos

Árbitro: Guilherme Ceretta de Lima (ASP-FIFA-SP)

Pouco exigido, Trabalho aceitável.

33ª Rodada                                                                                                              

Quinta Feira 25/10

Fluminense 2 x 1 Coritiba

Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (Quadro Especial-GO)

Não foi exigido, trabalho aceitável

Ponte Preta 1 x 0 Cruzeiro

Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (Quadro Especial-GO)

Trabalho aceitável.

DECÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO DO ESPORTE

Baseando-me na lei que isenta os dirigentes da responsabilidade financeira, convenço-me, que estamos distantes da almejada higienização na gerência dos clubes, das confederações, das federações e, entidades paralelas.

POLITICA

Concordo:

HOMENAGEM

FINALIZANDO

“Quase todos os homens são capazes de separar diversidades, mas, se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder”.

Abrahan Lincoln

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo,

Acorda Brasil

SP-27/10/2012

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.