Para garantir “taxinhas” departamento médico do Corinthians coloca jogador em risco de morte

Chega a ser irresponsável a atuação do departamento médico do Corinthians na contratação do atacante Adilson, ex-XV de Piracicaba.

Tudo para facilitar um esquema de recebimento de comissões que beneficiaria desde alguns conselheiros até um conhecido comentarista de televisão.

Foi diagnosticada no jogador uma patologia cardíaca denominada “coração hipertrófico”, ou seja, um excessivo crescimento do musculo no órgão.

Situação esta idêntica a do atleta Serginho, do São Caetano, que morreu jogando futebol, e que pode ocasionar até a morte súbita do esportista.

Segundo avaliação do cardiologista Dr. Marcelo Sampaio, especialista no assunto, responsável por todos os exames de atletas brasileiros que estarão presentes na Olimpíadas de Londres, o risco de morte em situações como a diagnosticada é, de fato, muito grande.

Diferentemente dos “doutores” Gravas e Runcos da vida, o currículo acadêmico do Dr. Sampaio é exemplar.

Além de ser Chefe do Laboratório de Medicina molecular do conceituadíssimo hospital Dante Pazzanesi, é vice Diretor do hospital Oswaldo Cruz, ambos em São Paulo.

Dr. Sampaio chegou a dizer, em entrevista que você pode conferir abaixo, durante o programa “Blogueiros”, da rádio MidiaCast, no último dia 26 de abril,  que jogadores com “coração hipertrófico” correm risco permanente de morte.

É uma aposta com o destino que pode prejudicar não apenas ao atleta, como também para o clube, com a única finalidade de garantir as vantagens de alguns parceiros ávidos pela negociação.

Além, é claro, de ser o fundo do poço para um departamento médico já tão desqualificado por ações de seu etílico “comandante”.

http://blogdopaulinho.com.br/2012/04/27/podcast-do-blogueiros-especial-com-dr-marcelo-sampaio/

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.