Advertisements

A “cultura” chinesa de Luis Paulo Rosenberg

Pior do que o pastelão que está se tornando a contratação do chinês “Zizao”, desconhecido até em seu próprio país, foram as declarações infelizes de dirigentes corinthianos.

Mario Gobbi, envergonhado, deu-lhe a camisa e saiu pela esquerda.

Rosenberg, ao contrário, emplacou: “É a oportunidade da “República Popular do Corinthians” se aproximar da “República Popular da China””.

Deve ter sido traído por sua “incultura” histórica.

Comparar um clube de origem popular, e que sempre lutou por Democracia, sendo até um dos símbolos maiores da derrocada ditatorial brasileira nos anos 80, com o que se vê – ou não – num dos sistemas mais opressores do mundo, é acreditar demais na ignorância popular.

Ou, talvez, mostrar a verdade do que realmente pensam e desejam politicamente os dirigentes alvinegros, escancarada, cada vez mais, na maneira de agir no Parque São Jorge.

E, pior, que o símbolo utilizado para a tal “República do Corinthians”, que remetia exatamente à ditadura, não foi equívoco de quem o idealizou, mas a expressão das ideias de quem o encomendou.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: