Advertisements

A omertà dos cartolas

Da FOLHA

Por JUCA KFOURI

“Como na lei do silêncio dos mafiosos, os dirigentes esportivos têm a sua, impenetrável”

A OMERTÀ, o código do silêncio da Camorra, acoberta mais uma vez os malfeitos da cartolagem, para usar uma palavra do gosto de um certo ex-ministro, não por acaso do Esporte brasileiro.

Giovanni (como é tratado pelo ex-genro) Havelange renuncia ao COI para dele não ser expulso, e a entidade se dá por satisfeita. E cala.

A Fifa, que aproveitaria a bola dividida para botar para escanteio ex-sogro e ex-genro, ameaçada por uma guerra das comadres, aquela que revela as verdades, faz que vai, mas não vai e recua o half para evitar a catástrofe. E adia.

Ao menos por enquanto, fica tudo como está, o dito pelo não dito, com Havelange pedindo que o deixem em paz aos 95 dos acréscimos e ainda é chamado de pai por Parreira, não o das uvas, mas o das maçãs podres.

Por aqui, os fins são celebrados não importam os meios para atingi-los, em que o sucesso a tudo redime, em que pessoas aparentemente limpas se misturam aos porcos e acabam por comer do mesmo farelo, em festins verdadeiramente pornográficos.

Al Capone, Adolf Hitler, Benito Mussolini, Josep Stálin e Fernandinho Beira–Mar foram todos muito bem–sucedidos em determinados momentos de suas histórias pessoais. Nem por isso deixaram de ter o lugar no lixoda memória mundial que mereceram.

Na elite brasileira não é assim, e resta saber até quando.

Porque Havelange, Neves, Sarney, Collor e Barbalho; Maluf, Palocci, Silva e Queiroz; Teixeira e Cabral formam um timaço de gente bajulada.

Para não falar do banco (epa!) de reservas, composto por políticos em geral, apresentadores de TV em particular, publicitários e até biógrafos (vide os de Havelange), gente que acha que ética é coisa de filósofo, verdadeiros garotos-propaganda da mediocridade (e do álcool), cúmplices do deslize, atores desprezíveis, canastrões mesmo que só fazem atrasar o Brasil que as pessoas de bem desejam.

Todos muito bem-sucedidos.

Mas, lembremos: Havelange continua influente no comitê da Olimpíada do Rio, e Teixeira, no da Copa do Mundo, dois megaeventos feitos com o seu, o meu, o nosso suado dinheirinho.

E lembremos também, para não ficar uma impressão apenas pessimista: há muita gente de sucesso que é respeitada, influente e decente.

Triste é pensar que faz oito dias que o Magro morreu, um a menos na luta pela luz.

Facebook Comments
Advertisements

9 comentários sobre “A omertà dos cartolas

  1. Luciano Novais

    A luta do Juca é até certo ponto justa, deixa de ser quando ele usa a morte do Sócrates para convencer as pessoas de que ele é o bonzão e o resto é lixo.
    Sócrates era contra essa roubalheira mas não se metia nisso.

    Respeitem ao menos sua memoria e o deixe descansar em Paz!

  2. Pedro Gomide

    Conclusão: voces estão totalmente perdidos, igual a baratas tontas. Viva a Copa 2014, o grande sucesso do Brasil, da CBF e da FIFA!

  3. luizao

    É velha mania de acusar as pessoas…….. fazer ilações…..
    Todos os citados, nenhum deles, NENHUM, tem alguma condenação definitiva, consequentemente TODOS tem a presunção da inocencia, segundo a CARTA MAGNA DA NAÇÃO BRASILEIRA, A CONSTITUIÇÃO.
    Será que na hora da verdade ele vai dizer que “não quis ofender?”

  4. Thor_Palmeirense

    Paulinho

    Faltou um personagem brasileiro nesta lista nefanda.

    O Lulla ladrão o maior patrocinador da corrupção no Brasil.

  5. Thor_Palmeirense

    kkkkkkkkkk

    Como esses petralhas são previsíveis

    É só escrever a verdade sobre seu chefe mafioso que eles ficam nervosinhos, bando de lacaios kkkk

  6. louis

    graças a imbecis como vc o Brasil ainda vai viver anos nas mãos de pessoas corruptas e nefastas ,acorda idiota !!!!!!!!!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: