Advertisements

Palmeiras negocia com banco do “Valerioduto”

O professor Belluzzo continua brincando com fogo no Palmeiras.

Reuniu-se com executivos do Banco BMG – conhecido pelo Valerioduto – visando realizar uma parceria semelhante a que possui com a TRAFFIC.

Sabemos bem o que dá negociar com essa gente.

A situação política do clube é ruim, mas Belluzzo precisa colocar a cabeça no lugar, procurando alternativas melhores, com parceiros decentes.

Se ligar com a bandidagem não resolverá o problema.

Muito pelo contrário.

Tornará o abismo ainda mais profundo.

Facebook Comments
Advertisements

44 comentários sobre “Palmeiras negocia com banco do “Valerioduto”

  1. JONAS

    HAHAHA, o sujeito já está acostumado a andar com a bandidagem não é de hj!!!
    Será que el não vai convidar o Sarney ou o Quércia pra serem parceiros do Clube tb? O Lula não dá certo, afinal é Corinthiano.
    Incrível como tem gente que não enxerga a verdade.
    Como diz o dito popular: “Me diga com quem andas, que eu te digo quem és.”

  2. Davi

    Vc é um irresponsável!!!! lave a sua boca para falar do BMG!!! vc poderia pelo menos ler os autos sobre o valorioduto, é um absurdo esse tipo de jornalismo que vc pratica!!!

    Paulinho: Absurda é a corrupção. E disso, o BMG entende bem…

  3. Marcos ** Fora Andrés e Cambada !!! **

    E agora Gustavo Leite , existe moral pra tirrar sarro das contas de água e luz não pagas ???

    Seu time está no mesmo caminho ….

  4. Velho Casca

    Paulinho , você poderia relatar ao sr beluzzo quais seriam as “alternativas melhores” que você cita .

  5. Gustavo Leite

    Paulito, não é pq o banco BMG foi usado pelo Valerioduto, que todos os clientes que são correntistas também são ladrões ou então serão prejudicados …. menos …

  6. Marcos ** Fora Andrés e Cambada !!! **

    Quando é com seu time ….

    E aí Gustavo , é bom ser vidraça de vez em quando , não é ????

  7. Ricardo

    Traffic, WTorre, BMG………digas com quem andas e te direi quem és………..isso pra não voltar ao passado (Parmalat)……..

  8. Ortega

    Post light……Se fosse com o “taxinha”…
    Seja menos imparcial Paulinho…..

    Abs.,

    Ortega

  9. Marcos

    A diferença é que o time dele esta quebrado, mas o elenco é mediocre. Ja o seu esta quebrado mas tem jogador que ganha 2 mi por mes.

  10. Alex Palestra

    Eu só gostaria de fazer uma perguntinha básica pro Belluzzo.
    Se ele faz nas empresas dele, o mesmo tipo de economia que ele faz no meu querido Palestra??
    Qdo.o Kleber Gladiador estava jogando no Palmeiras e fomos Campeões Paulista em 2008, pq ele deixou o cara ir embora?? Sendo que Cosme, o Kleber se identificou com a Torcida, Clube, Fez juras de amor e tal…Ai o Grande e Renomado Belluzzo deixou escapar o rapaz, pelos seus dedos!! E agora fica falando na imprensa o que é RIDÍCULO, que não se cança de tentar o Kleber?? Acho que o Belluzzo pensa que os palestrinos são burros né…Era essa economia que eu gostaria de perguntar a ele?? Pois agora o preço triplicou…e ele ainda renovou por mais 1 ano, ou seja, agora tem contrato de 6 anos com o Cruzeiro.
    O Belluzzo foi a maior DECEPÇÃO DO PALMEIRAS!!!!
    E mais um clube que mantem o Salvador Hugo Palaia, não pode ir pra FRENTE NUNCA!!!

  11. Alex Palestra

    É muito triste, melancólico, esta múmia do Mustafá levantar da tumba. Culpa do Belluzzo e de sua equipe de patetas inúteis, chefiados pelo perdulário Cipullo. Só peço a Deus que tenha piedade de meu amado Palmeiras e que apareça uma nova geração de dirigentes, jovens e com nova mentalidade. Estes que ai estão, desde os anos 80, situação e oposição, são podres, egoistas, péssimos sob todos os conceitos, arrogantes, se acham donos deste enorme, gigante legado, nós envergonham com gritos alucinados ( Vamos matar os Bambi ). Palmeiras, meu amor, você não merecia gente tão pequena você é muito grande..

  12. José Roberto

    O Taxinha, do curica, também é professor. Professor de roubo, sacanagem, estelionato…

    Hj em dia qq um pode ser professor, até mesmo os curicanos.

  13. Roger Aquino

    Você sabia, que a maioria esmagadora dos aposentados do Brasil, que tem empréstimo consignado o tem com o BMG? Então concluo, que todos os aposentados são pilantras. Para com isso cara.

  14. Alviverde/SP

    O Prof.Dr.Belluzzo está se perdendo por amor EXCESSIVO ao Palmeiras…deve colocar o seu intelecto um pouco longe de sua paixão.

  15. Francisco Terra

    JONAS. Espere aí amigão. Se voce fosse convidado na sua área para trabalhar com Quercia, Serra, Lula, ou até mesmo Collor duvido que vc não iria.
    Não é porque ele trabalhou com Quercia, hoje é conselheiro do Lula que ele é mau.
    Vamos todos separar o joio do trigo.

    FRANCISCO TERRA. BRAÇO FORTE. MÃO AMIGA.

  16. Francisco Terra

    E o que a Parmalat fez de tão errado ?
    Ah sim, foi a maior parceria clube empresa já vista no planeta…

    FRANCISCO TERRA. PALMEIRENSE NATO.

  17. Bernardo

    Não entendo a sua lógica de só ligar empresas do Valerioduto ao Palmeiras. O BMG patrocina o Cruzeiro e o Atlético-MG e você não disse que os Perrela e o Kalil estão envolvidos com “autores de maracutaia”.

    A Visanet (atual Cielo), operadora nacional da Visa, também esteve envolvida no Valerioduto e você não citou nada quando apareceu o nome deles na camisa do Santos.

    Se vai assumir o papel de bastião da moralidade, tem que saber apontar todos os casos com isenção.

  18. Francisco Terra

    Alex. O Palaia só está no Palmeiras por causa de uma aliança política. Ou seja ele é um mal necessário.
    Voce sabe que o Palmeiras tem vários grupos políticos, e a do Palaia é conhecida como Turma do Asilo, composta por muitos conselheiros, sendo uma das mais numerosas.
    E como os conselheiros votam e aprovam ou reprovam contas, etc, o Belluzzo foi obrigado a se aliar ao Palaia.
    Quanto ao Kleber, na época o Palmeiras não tinha grana e a Traffic não quis comprar.

    FRANCISCO TERRA. A ENCICLOPÉDIA PALMEIRENSE.

  19. Bernardo

    Alex, acho que você não acompanhou de perto a saída do Kleber ou se esqueceu dos fatos.

    O Palmeiras sempre quis comprar 40% a 50% dos direitos federativos, pois nunca teve o dinheiro para comprar os 100%. Já os ucranianos só aceitavam vender 100% e não queriam vender metade nem reemprestar.

    Nisso surgiu o Cruzeiro, que ofereceu o mesmo valor que o Palmeiras por 50% e mais os direitos do atacante Guilherme para inteirar os 100%. Por isso eles levaram e o Palmeiras ficou sem.

    Até mesmo neste blog já li que os mesmos que criticam a atuação da Traffic no clube também criticam a ausência da parceira nessa negociação. Tirando a opinião dúbia, não adianta reclamar que a Traffic não intercedeu pois não é o perfil de atleta de interesse deles (eles que correm o risco financeiro da operação, então é fácil falar “compra esse, compra aquele” sem ter o seu na reta).

  20. JONAS

    Caro Francisco Terra,
    Eu não iria. Duvide se quiser, mas ainda existem pessoas que prezam por seus pricípios neste país. Ainda mais no caso do Belluzzo que certamente recusando determinados “trabalhos”, não morreria de fome.
    E pra falar o português claro, Pxxx não anda com freira.

  21. Sten

    Participou nos governos Sarney e Quercia, ainda por cima é amigo do Lula? Eita figurinha honesta hein.

  22. POLLO LOCO

    SE INVEJA MATASSE NÃO TINHA MAIS PALMEIRENSE NO MUNDO!

    [youtube=http://www.youtube.com/watch?v=V2Jcj5KItgo&hl=pt_BR&fs=1&]

  23. JOE O CÂNDIDO

    ************ULTIMATO*************

    JOE DECLARA:

    AO RESQUÍCIO, DA OUTRORA CHAMADA PLÊIADE DO BEM.

    CAPITULEM A MINHA SOBERÂNIA.

    AO NAVEGAR POR ESTE LÍDIMO ESPAÇO, DISSE QUE IRIA MALBARATAR OS ÍMPOSTORES. VEJAM QUE ESTE EMBATE, TEM UM VENCEDOR JOE.

    NA MELHOR EXPRESSÃO DE MINHA LONGÂNIMIDADE.
    VENHO EXTERNAR MEU PEDIDO PARA QUE OS DEMAIS RENDAM-SE. ACEITEM O MEU JUGO.

    SEM MAIS,

    JOE BASTIÃO DA VERDADE.
    DE FIDE.

  24. Bernardo

    Não foi não. O BMG é sempre criticado aqui por ligações com o Corinthians, e uma vez foi criticado por gerir um fundo de atletas no Atlético-MG que seria administrado pelo Luxemburgo.

    Nunca foi criticado o patrocínio do BMG aos Cruzeiro e Atlético-MG, nem a ex-Visanet (atual Cielo) no patrocínio do Santos.

  25. Fernando

    Veja a verdade sobre o “Grande Belluzzo”:

    “Plano Cruzado
    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

    O Plano Cruzado foi um conjunto de medidas econômicas, lançado pelo governo brasileiro em 28 de fevereiro de 1986, com base no decreto-lei nº 2.283, de 27 de fevereiro de 1986,[1] sendo José Sarney o presidente da República e Dilson Funaro o ministro da Fazenda.

    As principais medidas contidas no Plano eram:

    * congelamento de preços de bens e serviços nos níveis do dia 27 de fevereiro de 1986;
    * Congelamento da Taxa de Cambio por um ano em 13,84 Cruzados = 1 Dólar e 20,58 Cruzados = 1 Libra
    * reforma monetária, com alteração da unidade do sistema monetário, que passou a denominar-se cruzado (Cz$), cujo valor correspondia a mil unidades de cruzeiro;
    * substituição da Obrigação Reajustável do Tesouro Nacional ORTN, título da dívida pública instituído em 1964, pela Obrigação do Tesouro Nacional (OTN), cujo valor foi fixada em Cz$106,40 e congelado por um ano;
    * congelamento dos salários pela média de seu valor dos últimos seis meses e do salário mínimo em Cz$ 804,00, que era igual a Aproximadamente a US$ 67,00 de Salário Mínimo
    * como a economia fora desindexada, institui-se uma tabela de conversão para transformar as dívidas contraídas numa economia com inflação muito alta em dívidas contraídas em uma economia de inflação praticamente nula;
    * criação de uma espécie de seguro-desemprego para aqueles que fossem dispensados sem justa causa ou em virtude do fechamento de empresas;
    * os reajustes salariais passaram a ser realizados por um dispositivo chamado “gatilho salarial” ou “seguro-inflação”, que estabelecia o reajuste automático dos salários sempre que a inflação alcançasse 20%

    Além de Dilson Funaro, outros economistas participaram da elaboração do Plano, como João Sayad, Edmar Bacha, André Lara Resende e Persio Arida. No dia 16 de janeiro, João Sayad, Persio Arida, André Lara Resende, Oswaldo de Assis e Jorge Murad votaram a favor do Plano, Dilson Funaro, João Manuel Cardoso de Mello, LUIZ CONZAGA BELLUZZO, Andrea Calabi e Edmar Bacha acharam-no muito arriscado. Com a recusa da maioria, João Sayad, Ministro do Planejamento, afirmou que iria pedir demissão. Jorge Murad convenceu o seu sogro José Sarney a adotar o Plano Cruzado, apoiando Sayad, Persio Arida, Andre Lara Resende e Jorge Murad, a favor do Plano.

    Uma vez adotado, o plano logo conquistou maciço apoio popular.

    A hiperinflação criou tumultos no dia-a-dia das pessoas, nas tarefas do cotidiano. Então, de repente a gente acorda no dia 28 de fevereiro de 1986 e fala assim: acabou a inflação, a moeda é outra, corta zeros, tudo agora vai ser diferente, tem uma “tablita” para você pagar suas contas e cobrar as dívidas dos outros, e tudo é diferente. Os preços vão ser tabelados. Está aqui a tabela.[3]

    Assim, mesmo os seus opositores iniciais acabaram por apoiá-lo com entusiasmo. Todos reivindicaram para si a paternidade do plano, enquanto fez sucesso, mas quando mostrou suas deficiências, seus “pais” passaram a rejeitar o “filho”.”

    Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Plano_Cruzado

    ” Plano Cruzado ainda é discutido em juízo
    São Paulo, 21 de Janeiro de 2008 – Até hoje, ainda há ações em tramitação na Justiça de cidadãos que foram a juízo pedir a devolução do empréstimo compulsório instituído na época do Plano Cruzado II ou “Cruzadinho”. Lançado em 1986 como ferramenta de controle da inflação pelo governo de José Sarney, o plano elevou, por exemplo, em 60% o preço da gasolina e outros combustíveis e em 80% o dos automóveis, dois dos produtos sobre os quais incidia empréstimo compulsório. Outro: viagem internacional. O escritório Neves Bezerra Advogados Associados é responsável por quase 200 mil ações do Touring Clube do Brasil, que patrocinava as ações dos associados. “Há clientes que ainda não receberam o devido”, afirma o advogado Eurivaldo Neves Bezerra. O advogado diz que aqueles que entraram com ação referente ao consumo de combustível, por exemplo, vêm ganhando, em média, de R$ 800 a R$ 2 mil e o empréstimo compulsório sobre carro tem devolvido entre R$ 5 mil e R$ 12 mil por automóvel. O Decreto 2.288/86 estabeleceu, por exemplo, que o compulsório seria equivalente a 28% do valor do consumo de combustível ou corresponderia a 10% a 30% do valor de compra do automóvel – o montante variaria de acordo com o ano de fabricação do veículo. A norma previa também que o compulsório poderia ser resgatado no último dia do terceiro ano posterior ao seu recolhimento, acrescido de rendimento equivalente ao da Caderneta de Poupança. Ações na Justiça Hoje não é mais possível entrar com ação judicial para pedir a devolução do compulsório. O período para ingresso na Justiça acabou dez anos após a entrada em vigor da medida, segundo a advogada Maria Elisa Novais, do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec). Maria Elisa afirma que em 1992 a entidade chegou a entrar com ação civil pública para que seus efeitos valessem para todos, mas esse tipo de ação não foi aceito. Então, o Idec passou a entrar com ações individuais em nome dos associados. “Já faz mais de 20 anos que ocorreu o compulsório e ainda falta gente receber”, diz. A advogada afirma que todas estão em fase de execução (definição do valor e pagamento). ” O Supremo Tribunal Federal já se manifestou favoravelmente aos contribuintes. De acordo com a Constituição Federal, o empréstimo compulsório é um dinheiro que o governo pode tomar, para atender a despesas extraordinárias ou no caso de investimento público de caráter urgente, mas tem que devolver e corrigido”, alega. No Paraná, as ações que pedem a devolução do compulsório sobre o combustível com base em decisão favorável à Associação Paranaense de Defesa do Consumidor (Apadeco) estão suspensas. Segundo o advogado Matias Angelo Gonzaga, do Gonzaga & Moretti Advogados, a ação da Apadeco abrangeria todo o Paraná. “A Justiça Federal do Paraná foi favorável à entidade e bastaria que os cidadãos entrassem com execução individual”, diz. A suspensão ocorreu porque a União entrou com ação rescisória no STF. “Em 2004, o Supremo foi favorável à União por considerar que haveria grave lesão aos cofres públicos, se a ação a favor da Apadeco fosse cumprida”, afirma Gonzaga. As ações da banca Gonzaga & Moretti são algumas das que estão suspensas. O economista Luiz Gonzaga de Mello Belluzzo, chefe da assessoria econômica do Ministério da Fazenda na época do Cruzadinho, lembra como foi a instituição do compulsório. “Na época, houve grande discussão entre a equipe para decidir sobre quem recairia esse choque. E resolvemos aplicar o empréstimo sobre bens de maior valor para não prejudicar o consumo dos mais pobres”, diz. Belluzzo explica ainda que o dinheiro recolhido ia para o Fundo Nacional de Desenvolvimento, criado para financiar o investimento em infra-estrutura como energia elétrica, estradas e portos. “Boa parte desse dinheiro foi transferida para o BNDES e Finep (projetos tecnológicos). Mas o programa foi encerrado porque o governo decidiu ir em outra direção”, alega. “Muita gente recebe a devolução até hoje”, admite o economista. (Gazeta Mercantil/Caderno A – Pág. 9)(Laura Ignacio)””

    Fonte: http://indexet.investimentosenoticias.com.br/arquivo/2008/01/21/357/Plano-Cruzado-ainda-e-discutido-em-juizo.html

  26. JONAS

    Deixa ele acreditar em Papai Noel, Duende, Belluzzo, Fada do Dente, Parmalat, Boitatá e por aí vai.
    Mais um “diferenciado” no país não vai mudar muita coisa.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: