Advertisements

Palavra do Magrão

Ronaldo tem toda a razão

Por SÓCRATES

http://www.cartacapital.com.br/app/coluna.jsp?a=2&a2=5&i=4064

Talvez nem todos tenham entendido o desabafo de Ronaldo na entrevista coletiva após a conquista do título paulista pelo Corinthians. Além do exposto por ele, contudo, existem inúmeras razões para não ir aos estádios.

Ir a um jogo é exatamente como viver no Brasil. É dar de frente com todos os problemas e não ter com quem reclamar. É ficar impotente diante dos acontecimentos e muito mais irritado, sabendo que a maioria dos problemas poderia ser resolvida com um pouco de vontade política.

Como a política no Brasil é utilizada para interesses de minorias, estão realmente acabando com o espetáculo futebolístico. As torcidas violentas nada mais são do que a reação de uma torcida violentada. Caberia à imprensa fiscalizar, tentar fazer o futebol ser organizado, cobrar a solução dos problemas do cotidiano do torcedor. O que sentimos, porém, é uma conivência indecente entre boa parte da mídia e a cartolagem.

Em nossas vidas, as paixões são difíceis de ser administradas, e o nosso time é uma grande paixão. Quando se vai a um jogo, além de expor essa paixão, ainda se tem de passar por enormes carências; as mesmas do País: justiça, saúde, segurança e transporte, entre outras.

Compra do ingresso

Onde comprar ingresso? O torcedor fica feito “barata tonta”, sem saber para onde ir. Com dois dias de antecedência, é impossível saber o local e a hora de comprar ingresso. Quando se vai ao guichê, é a maior confusão, não existe organização na fila. Dificilmente uma mulher ou uma criança conseguem adquirir ingresso. Em grandes jogos, são abertos poucos guichês com filas enormes e, de vez em quando, abertos novos guichês. Não se respeita mais a fila anterior, diante de uma polícia totalmente despreparada. Ou seja, uma verdadeira guerra. E o tamanho do guichê ainda é minúsculo.

A imprensa deveria passar por esse sacrifício todos os jogos, para que tenha ideia do que é. Assim, quem sabe, colocaria a boca no trombone, na tentativa de resolver os problemas. Por outro lado, vá a um estádio desconhecido e verifique se existe a possibilidade de saber quais os locais e tipos de ingressos oferecidos. Será que é tão difícil distribuir mapas para a localização dos torcedores?

Transporte

Quem vai ao estádio de carro tem de deixá-lo bem afastado. Os estádios não são preparados, não possuem estacionamento. Paga-se um guardador, pago para não danificar o veículo na verdade, e pronto.

Quem não tem carro, a maioria, é transportado como gado: um torcedor em cima do outro, de nariz apertado contra os vidros. Nesse contexto, qualquer fabricante de sardinhas em conserva aprenderia como otimizar o espaço de suas latas.

Segurança

Como ir a um lugar, pagar e não saber como voltar para casa? Os jogos são muito violentos. Do lado de fora do estádio, a cavalaria tenta se impor e amedrontar os torcedores. Dentro do estádio, as escadas para acesso aos lugares ficam todas tomadas. Se for necessária uma saída rápida dos torcedores, será uma mortandade geral. São “organizadas” filas que muitas vezes terminam no nada.

Sob um sol escaldante, as filas ora disparam com crianças e senhores idosos tendo de correr, ora permanecem estanques durante um longo período. Não se pode esquecer que o torcedor deveria ser tratado como cliente-consumidor com todos os direitos inerentes a essa condição.

Conforto

Neste quesito, sem sombra de dúvida, somos os campeões. Nas partidas finais, como no domingo passado, são montados verdadeiros acampamentos dentro do campo. É barraquinha da imprensa, em tese a trabalho, e fios que não acabam mais. É necessário chegar quase três horas antes para assegurar um lugar.

Não existe uma programação, não existe espetáculo. O torcedor fica sem ter o que fazer. Não pode ir ao banheiro, senão corre o risco de perder o lugar. Mesmo nas cadeiras cativas não se consegue organização. Basta fazer o teste em uma final de campeonato, chegando quinze minutos antes a um lugar marcado. A desorganização é geral, com os torcedores sentados nos locais de passagem. E resta a pergunta: apelar a quem?

Higiene e saúde

As cercanias dos estádios são verdadeiras praças de alimentação a céu aberto. Os banheiros deveriam ser fiscalizados pela Secretaria da Saúde. Quem consegue utilizar os banheiros dos estádios? E por que ir a um local onde não se pode usar o banheiro?

Conclusão

Ronaldo tem toda a razão.

Facebook Comments
Advertisements

9 comentários sobre “Palavra do Magrão

  1. Augusto

    …bom, se è assim, è sò nao ir ao estadio… atè parece que o futebol è o verdadeiro sentido da vida…. ALIENADOS…

  2. beto

    Dr.Socrates o sr.deveria ter feito como ele, e fazer este comentário enquanto era jogador de futebol.

  3. Atlantis

    Ai meu Deus, já ouvi asneira demais…. td q foi dito pelo Sócrates blz, agora falar q o Ronaldo tem razão em reclamar é palhaçada… tá tirando todo mundo de idiota!
    Quem tem q reclamar são os torcedores, pobres coitados e não um cara milhonário, claramente calculista e q está lá por ele e não pela “fiel”.
    Vamos largar a mão der ser puxa saco!
    E deixar de fazer dos torcedores e leitores de trouxas!

  4. d'avila

    O mais louco é que ,quanto mais se desreispeita o torcedor,a disputa por ingressos ficam cada vez maiores.
    Será que somos um povo masoquista?
    Nem Freud explicaria isso!!! eu hein!!!

  5. Joao Psiricon

    uma das reclamacoes do Ronaldo foi o fato de ao terminar o jogo, inumeros jornalistas-fotografos-segurancas-bicoes entraram em campo, e mais da metade deles foi atras justamente do Ronaldo. Ele ganha seu primeiro titulo pelo clube e nao tem condicoes de comemorar pela bagunça que foi feita dentro de campo. Justamente a imprensa que cobra tanta organizacao dos dirigentes é a mesma que transforma uma comemoracao de titulo em um desfile de escola de samba.
    Ja passou da hora de proibirem jornalistas em campo, eles nao tem funçao la dentro, so atrapalham, nao trazem informacoes pertinentes (sempre as mesmas declaracoes decoradas de tecnicos e jogadores), enfim deveriam proibir este tipo de atividade. Hoje temos sala de imprensa apos o jogo onde todas as entrevistas podem ser dadas, sem atrapalhar o andamento das partidas.

    Ja que a imprensa cobra tanta organizacao, que comece tirando esses profissionais obsoletos de dentro do campo.

  6. MARCIO , o xará!

    Essas afirmações podem ser feitas diretamente ao ministério dos esportes, a CBF, clube dos 13, ou alguma comissão do senado federal. Ou , ainda, ás redes de tvs e rádios que são só elogios ao brasileirãããããoooo!

  7. fabioDS

    Você já foi impedido de comemorar algo na vida porque um idiota, seguido de outros tantos, para na sua frente enfiando o microfone na cara, vem e pergunta: Você está feliz?

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: