Advertisements

A dignidade de Osiris Lopes Filho

Da FOLHA DE SÃO PAULO

Por JUCA KFOURI

——————————————————————————–

Quantos homens públicos neste Brasil renunciaram ao poder e às mordomias por questão de princípios?

——————————————————————————–

NÃO CONHECI Osiris Lopes Filho, que morreu na quinta-feira passada, aos 69 anos. Falei com ele só uma vez e por telefone, para convidá-lo a participar de um programa de entrevistas que eu tinha na televisão. Corria o ano de 95 e seu gesto de renunciar ao posto de poderoso secretário da Receita Federal já fazia parte da história.

Inconformado com a liberação do que ficou conhecido como “voo da muamba” da seleção brasileira tetracampeã, Osiris Lopes Filho preferiu se demitir e honrar o nome de seu pai e o que deixou aos filhos. Como recordar é viver, recordemos, recorrendo ao texto de abertura da estupenda reportagem feita por Fernando Rodrigues, nesta Folha, quando a seleção deixava os EUA: “A seleção chega hoje às 7h em Recife com uma bagagem cheia de equipamentos eletroeletrônicos. Time e comissão técnica compraram nos EUA geladeira, máquina de lavar, videocassete e sela para cavalo. A Folha acompanhou o embarque de toda a bagagem da seleção. Foram necessários dois caminhões e seis caminhonetes.

“Primeiro seriam dois caminhões com carroceria de cinco metros. Depois, mandamos vir um maior, com carroceria de oito metros, pra poder caber tudo”, disse Gilbert Hayes, funcionário dos organizadores da Copa encarregado de dar apoio à delegação brasileira. “Acompanhei os suecos e os americanos. Posso dizer tranquilamente que os brasileiros têm o maior volume de bagagem”, disse Hayes à Folha. Muitos volumes não apresentavam identificação.”

Leia, agora, o que dizia a reportagem de Leonardo Souza, 14 anos depois, também nesta Folha, sobre uma das consequências daquela farra: “Passadas três Copas, o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, teve sua primeira derrota definitiva na Justiça num dos processos relacionados ao “voo da muamba”, quando a seleção trouxe dos EUA 17 toneladas de bagagens e compras após a vitória na Copa. (…) Teixeira é acusado de ter transportado ilegalmente equipamentos para sua choperia El Turf. (…) No mês passado, Teixeira perdeu em última instância, no STJ. (…) O auditor Sá Freire disse que a “fraude fiscal” cometida por Teixeira foi comprovada quando, em 1995, o presidente da CBF fez uma importação de novo equipamento para a choperia, cuja fatura comercial informava o peso da mercadoria em 1.480 quilos.

Porém a Infraero havia pesado equipamento com 886 quilos. “Essa diferença [de peso] foi para encobrir o equipamento trazido ilegalmente no voo da seleção”, disse Sá Freire. A Receita Federal deixou de arrecadar ao menos US$ 1 milhão em impostos (…). Diante dos funcionários da Receita, Teixeira ameaçou devolver as medalhas de condecoração que os atletas haviam recebido do então presidente Itamar Franco. O secretário da Receita Federal à época, Osiris Lopes Filho, que orientara os funcionários da alfândega a realizar a fiscalização de praxe (que prevê a taxação de valores acima de US$ 500), demitiu-se pelo episódio.”

Osiris Lopes Filho, ao menos, não terá de ver a Copa-14 no Brasil, comandada pelo mesmo cartola.

Facebook Comments
Advertisements

7 comentários sobre “A dignidade de Osiris Lopes Filho

  1. euclydes zamperetti fiori

    E agora os pseudo-s honestos de ontem, estão nu puder e cometem ladroagens maiores, associando-se com Ricardo Teixeira, Sarney Renan Calheiros , Marco Pollo Del Nero, Nuzman e demais cumpanheiros.
    Acorda, Brasil
    zamnperetti fiori
    cidadão e,
    ex-árbitro de futebol

  2. cesar nero

    Parabéns paulinho pelo blog que sempre busca chegar mais perto da verdade e com notícias realmente que interessam.

  3. euclydes zamperetti fiori

    Os canalhas de nossos politicos filiados em tds os partidos, salvo rarissimas exeções, swão laddões e sabedores q. o futebol é o maior espetaculo de agregação das massas, fora evidente as varias denominações relisiosas, disse religiosas, uma vez q. a Fé é individual e devemos respeita-la, estas denominações são conduzidas por verdadeiros 171,q. contam com o aplaudir dos canalhas de nossos pseudo-s representantes nas casas legislativas e nos executivos, fora os q. ocupam efetividade no funcionalismo publico em seus varios setores, incluso o judiciário.
    Acorda, Brasil
    zamperetti fiori
    cidadão e,
    ex-árbitro de futebol

  4. Tomas

    Se é para colocar um texto do Kfouri, coloque o abaixo.

    Ou você não tem coragem de admitir que ERROU ao publicar aquela nota sobre os boxeadores cubanos?

    Aliás, isso não seria surpresa já que eu já havia mandado uma crítica e ela foi deletada.

    Desagravo a Tarso Genro

    O pugilista cubano Erislandy Lara disse, na quarta-feira passada, por telefone, ao repórter Jamil Chade, de “O Estado de S.Paulo”: “Sinceramente, até hoje não entendi o que ocorreu e porque voltamos à Cuba”.

    Assim manifestou sua incompreensão sobre os motivos que levaram o Brasil a deportá-lo de volta à Cuba durante o Pan-2007.

    Hoje, no entanto, no “Esporte Espetacular” da Rede Globo, ele foi claríssimo ao dizer ao repórter Bruno Laurence que quis voltar à Cuba e que o presidente Lula, pessoalmente, lhe ofereceu asilo — algo inusitado e que o próprio Lula poderia ter contado ao país.

    Lara parece não bater bem e fica impossível saber quando fala a verdade.

    Quem sabe seu companheiro de infortúnio, Guillermo Rigondeaux, esclareça, agora que também fugiu de novo de Havana.

    Por enquanto, no entanto, é justo que se diga, o ministro da Justiça, Tarso Genro, merece ser desagravado por todos que o criticaram veementemente, este blogueiro devidamente incluído.

    Porque Lara já demonstrou não saber o que quer nem o que fala nem mesmo em situações calmas, como a atual, razão pela qual dá para imaginar sua confusão mental num momento de tensão.

  5. CONTRA A IMPUNIDADE

    Precisamos lembrar ao senhor Paulinho, dono do blog, que nós torcedores e trabalhadores que pagam impostos e suas contas em dia; nós que participamos de eleições e tentamos nos fazer representar da melhor maneira possivel, estamos INDIGNADOS com a demora referente ao processo de apuração e punição dos responsáveis pelo caso do gás na semi-final do campeonato paulista de 2008.
    Mesmo após o JORNAL LANCE ter divulgado que durante as escutas telefônicas no caso da máfia dos ingressos, foram encontradas/criadas provas ( gracações de conversas ) do envolvimento de torcedores e dirigentes da Sociedade Esportiva Palmeiras, estranhamente notamos “morosidade” no processo.
    Gentilmente solicitamos ao caro jornalista, que nos informe, cobre, investigue.
    Nós não queremos de forma alguma ter gente desta espécie vestidos de representantes mascarados de pessoas de bem em nosso meio.

    QUE SE INVESTIGUE, QUE JULGUEM E PRINCIPALMENTE QUE PUNAM OS RESPONSÁVEIS.

    NÃO A IMPUNIDADE !!!

    PS. Obrigado Juca Kfouri por se alistar no exercito dos que querem a VERDADE, agradecemos a mencao do caso toda segunda-feira no Linha de Passe da ESPN.

  6. João Lira

    Esse Osíris era professor na UnB. Um cara hiper grosso e antipático. Que bom que pelo menos na Receita ele fez algo decente. Que Deus o tenha.

  7. Rafael

    Meu primo (de 2º grau) foi quem embarreirou as bagagens no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. Ele era agente da Polícia Federal e braço direito do Osiris.

    Além do Ricardo Teixeira trazer aquela chopeira, o Branco trouxe uma típica cozinha modelo americana completa (geladeira, fogão, armários, etc…). Houve até quem disesse que o Ricardo Teixeira trouxe uma Mercedes.

    A história que esse meu primo conta é a seguinte:

    Quando a seleção chegou no aeroporto e foi constatado a quantidade de bagagens e que elas não passariam pela alfândega, ele travou tudo. Pediu que elas passassem pela alfândega.

    Quando o Ricardo Teixeira soube disso ele correu atrás de quem fez isso, encontrou esse meu primo e pediu que ele liberasse as bagagens.

    O Ricardo Teixeira se dirigiu dessa forma para ele (cheio de marra):

    -Você não tem como liberar essas bagagens não? Acabamos de ganhar a Copa do Mundo?

    Meu primo disse o seguinte a ele:

    -Com essa quantidade de bagagem, nem se fosse o Papa eu liberaria. Só vai ser liberado depois que passar pela alfândega e pagar os impostos.

    Assim criou-se a maior confusão, e com isso começou a atrasar os outros voos internacionais que chegavam depois desse.

    A imprensa sabendo disso começou a divulgar nos noticiários.

    Até que teve uma hora em que o presidente da República, o FHC, ligou para o aeroporto pedindo para falar com quem estava “criando essa confusão toda”.

    O FHC falou com meu primo por telefone e mesmo após pedido do presidente da República ele não liberou as bagagens sem passar pela alfândega.

    Logo depois dessa ligação o Osiris ligou para esse meu primo pedindo, muito contra a sua vontade, que liberasse as bagagens, porque a situação já tava ficando meio complicada naquela altura do campeonato.

    O meu primo disse o seguinte ao Osiris:

    – O senhor conhece a minha maneira de trabalho e sabe que não aceito isso. Eu não vou liberar as bagagens.

    O Osiris meio que implorou para que liberasse as malditas bagagens.

    Mas o meu primo disse o seguinte:

    – Tudo bem, vou liberar, mas tem uns outros voos que estão com as mesmas irregularidades. Se eu liberar esse, vou ter que liberar os outros voos.

    O Osiris continuou conversando com esse meu primo e enfim ele liberou as bagagens, muito P da vida.

    O caso foi abafado e a imprensa parou de noticiar o ocorrido.

    Pouco tempo depois o meu primo recebeu uma ligação do Osiris. O Osiris disse que o presidente da República mandou para ele, através do Osiris, um comunicado dizendo que ele seria transferido para Manaus.
    O meu primo, que estava à 6 meses de se aposentar, disse o seguinte ao Osiris:

    – Você acha que eu vou para Manaus? Da maneira em que eu trabalho vão mandar me matar quando chegar lá!

    Assim, meu primo pediu para sair do aeroporto, foi transferido para a área administrativa da PF e se aposentou.

    A esposa desse meu primo até se prejudicou nessa história da muamba, porque ela era também agente federal e ficava no aeroporto do Rio. Só que como ela tinha pouco tempo de PF, sacanearam ela e transferiram ela para o aeroporto internacional de São Paulo.

    Curiosamente esse meu primo hoje é vizinho de prédio de nada mais nada menos do que ….. RICARDO TEIXEIRA!!!!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: