Advertisements

Dicas de como enganar um juiz

 

São Paulo, terça-feira, 15 de fevereiro de 2000

 

CRIME ORGANIZADO
Dicas sobre como falar com juiz estavam em computador de advogado investigado, diz deputado
CPI afirma ter “cartilha” para acusado

MAURÍCIO SIMIONATO
da Folha Campinas A CPI do Narcotráfico encontrou uma lista no computador do advogado Arthur Eugênio Mathias, preso acusado de envolvimento com roubo de carga, na qual ele ensina seus clientes sobre como se comportar diante de um juiz em audiências.
O sub-relator da CPI do Narcotráfico em São Paulo, deputado Celso Russomano (PPB-SP), disse que na lista ele sugere aos seus clientes que chorem diante do juiz, afirmem que foram espancados pela polícia e se mostrem revoltados com os policiais.
“”É curioso que o próprio Arthur Eugênio Mathias se comportou dessa forma quando tentou chorar em seu depoimento que prestou à CPI”, disse o deputado.
Na “cartilha”, segundo a CPI, o cliente deve convencer o juiz de que não tem nenhuma ligação com roubo de cargas.
O acusado deve ainda “criar” uma história que sustente a negação de que ele (o acusado) não sabia que a carga era roubada.
Mathias é acusado pela CPI de ser um dos principais integrantes do esquema de roubo de cargas em Campinas (99 km de SP).
Uma das suspeitas que recaem sobre o advogado é o fato de ele defender diversos acusados de roubo de cargas em processos.
Mathias prestou depoimento em novembro do ano passado em Campinas. Quando chorou durante seu depoimento, foi repreendido pelo presidente da CPI, deputado Magno Malta (PTB-ES), que insinuou que o advogado estaria “”chorando lágrimas de crocodilo”.
A “”lista de comportamento” também foi passada ao Ministério Público de São Paulo, que auxilia a CPI nas investigações sobre o crime organizado. Técnicos do Ministério Público confirmaram a informação da CPI.
Além da lista, também foram encontrados no computador do advogado valores na frente de nomes de policiais de Campinas. Para a CPI, a relação indica suposto pagamento de propinas.
Mathias está preso no em Campinas desde dezembro do ano passado. Ele foi preso após determinação da Justiça de Igarapava, onde tramita um processo em que o advogado é acusado ser um dos mandantes de um roubo de carga.
Ele foi denunciado por Adilson Frederico Dias Luz, motorista que depois voltou atrás e disse que foi induzido por promotores e deputados a incriminar o advogado. Luz está preso em São Paulo.
Veja as principais dicas, segundo a CPI:
“”Desqualifique o depoimento que foi dado na polícia dizendo que estava transtornado e que foi muito torturado”;
“Diga ao juiz que você assinou diversos papéis, mas não sabe o que assinou na polícia”;
“Não fale gírias. Crie uma história falando de alguém inexistente. Diga que é tudo mentira e conte detalhes”;
“Diga que não sabia que a carga era roubada”;
“”Diga que até hoje sente dores no corpo devido às torturas. Neste momento, demonstre revolta e, se possível, até chore.”

Facebook Comments
Advertisements

2 comentários sobre “Dicas de como enganar um juiz

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: