Advertisements

Resposta de Edgard Ortiz

 

Paulinho;

 

Sobre seu texto de 12/09 a meu respeito, crente que V. é jornalista que busca a verdade e prima por ouvir as partes, esclareço:

 

a)   Recebí, através de minha estagiária e assistente, Patricia, pedido de ofiala de justiça que cumpriu mandato em ação que patrocino como advogado (OAB 22008), para ajudar a seu parente,um garoto com 15 anos, jogando no São Ceatano, a fezer  um teste no Corinthians. Falei com o supervisor Vagninho que marcou a data. Pedi à Patricia, que falesse com ele sobre o teste marcado e que perguntasse se ele tinha empresário, uma vez que, sendo jogador do São Caetano, tal poderia ocorrer. Eu nunca ajudaria alguem que tivesse agente, é claro. Isso não seria decente. Nada mais aconteceu. Nem conheço o tal garoto. Não sei seu nome, onde mora, telefone, nem tampouco como foi o seu teste.  

 

b)   A única razão que me fez suspender provisoriamente o Projeto Itaquera, foi o de não prejudicar o Corinthians. Na altura em que uma comissão deveria decidir entre o projeto Seebla/Egesa e o nosso, fui informado que a compra do terreno na Marginal estava ameçada pela demora da decisão da comissão. Reuni-me com diretor da Egesa (Sr.Caiafa) e o Edgard Soares. Fizemos um acordo. Eu retiraria meu projeto e eles ficaram obrigados a adquirir e doar o terreno ao Corinthians (com cláusulas de impenhorabilidade e inalienabilidade), em ato simultâneo, o que não ocorreu e deu causa ao final das tratativas. É bom que V.saiba que nosso projeto voltou mais vivo do que nunca. Como bem dizem os italianos: “o tempo é um cavalheiro”. Não desisto nunca!

 

c)   Saiba também que, além de advogado, sou cronista esportivo (ACEESP 348). Daí a amizade com meus ex-colegas de trabalho e hoje grandes amigos, José Luiz Datena e Jorge Kajuru, que podem bem dizer quem sou e como costumo pautar minhas atitudes e maneira de agir.

 

d)   Saiba tembém que, a pedido do Andres, no início da atual administração, mudei totalmente o Site do Corinthians, sendo o criador da página “transparência”, inédita no futebol, onde o torcedor e a imprensa podem buscar todas as informações que desejam, inclusive para criticar, como V. faz sempre. No momento, cuido do lançamento (outubro) do nosso Site Internacional (inglês e espanhol). Vamos mostrar o Timão ao mundo todo. É a primeira vez que torno pública essa informação porque estou no Corinthians por pura paixão e não para tirar qualquer proveito. Não tenho cargo, carteira, cartão, nem e-mail do Clube. Sou apenas um modesto conselheiro quadrienal eleito democraticamente. Não tenho nenhuma outra pretensão ou interesse que não seja ajudar o Timão e o Coringão (é como chamo carinhosamente o nosso tão sonhado futuro Estádio). Isso basta !

 

e)   Por último, V. quase acertou. Seu empresário sim; só que do mercado imobiliário, há mais de 30 anos, e muito bem sucedido, graças a Deus. Meu telefone sempre foi XXXX.1134.

Ligue quando quiser.

 

f)    Finalmente, inspirado no que V. escreveu a respeito de jornalismo, lembro palavras do jornalista que foi meu pai: “Nem sempre a verdade aparece com facilidade. Muitas vezes, éstá escondida e temos que busca-la, mas sempre valerá a pena esse trabalho”.

 

Abraços e Saudações Corinthianas.

Edgard Ortiz

 

 

Comentário do blog:

 

Edgard Ortiz admite, no item “a” de sua resposta, o teor da reportagem publicada pelo blog no link abaixo.

 

http://blogdopaulinho.com.br/2008/09/12/rasgando-o-estatuto/

 

Diferente do que ele tenta nos posicionar, mantenho a informação de que sua secretária ligou para o atleta e perguntou se o garoto tinha empresário, mas a data do contato, ao contrário do que afirma, foi posterior ao teste realizado.

 

O telefonema está registrado no “bina” do garoto, assim como o número do celular de Edgard Ortiz.

 

A informação de que o Wagninho realizou os testes é verdadeira, difere apenas a maneira que foi contada.

 

O garoto foi procurado por Edgard Ortiz após ser dispensado por Wagninho em seu segundo teste.

 

O item “b” é ainda pior.

 

Admite ter realizado acordo com Edgard Soares.

 

Ortiz é antigo no clube e, como todos que lá estão, conhecem a ficha corrida do jornalista do cabelo pintado de amarelo.

 

Não há como explicar esse tipo de situação.

 

Fez acordo com Edgard Soares, perdeu a credibilidade.

 

Resumindo, Edgard Ortiz teve o seu direito de resposta.

 

Mesmo sem querer, confirmou o que foi publicado pelo blog.

 

Com pequenas faltas de verdade.

Facebook Comments
Advertisements

15 comentários sobre “Resposta de Edgard Ortiz

  1. oi

    nossa, pior mesmo soh se dizer advogado e escrever que o oficial de justica cumpriu o mandaTo…triste…

  2. ISRAEL (RIBEIRÃO PRETO-SP)

    Paulinho, o Edgard Ortiz é filho de Ribeirão Preto-SP, e conversando com amigos que militam na crônica esportiva de minha cidade, é figura muito benquista e carismática.Procure checar mais a fundo suas informações.Um abraço.

  3. eliandro

    Agora é crime você retirar um projeto em beneficio de outro? Você com essa conversa de “Mãe de Santana” está muito chato e impertinente

  4. Fábio Sallum

    Caro Paulinho,

    Meu nome é Fábio, tenho 26 anos, sou advogado, corinthiano e leitor assíduo de seus textos.

    Admiro seu trabalho investigativo e, diariamente, entro no seu blog para verificar as denúncias a respeito da política corinthiana.

    Em relação ao alegado pelo Edgard Ortiz em seu direito de resposta, o fato deste ter concordado em retirar o “Projeto Itaquera” da disputa, dando lugar àquele oferecido pela Seebla/Egesa, não tem o condão de indicar a ocorrência de negócio obscuro entre as partes, como você tenta fazer crer.

    É sabido – ostensivamente noticiado pela mídia – que o projeto trazido por Edgard Soares tinha preferência, em razão da relação custo/benefício e da localização do terreno.

    Desta forma, não vejo nada que possa desabonar a conduta de Edgard Ortiz, neste caso, por simplesmente deixar seu projeto de lado, a fim de não criar empecilhos para a aquisição do terreno situado na Marginal Tietê.

    Veja, eu não conheço o Edgard Ortiz, nem estou defendê-lo, visto que não duvido da história do jogador Wagninho, trazida por você anteriormente. Eu só entendo que, no caso do estádio, o fato de ter concordado com Edgard Soares em deixar, momentaneamente, seu projeto de lado, por si só, não o faz perder a “credibilidade”.

    Neste passo, é visível a sua tentativa de modificar a versão da palavra “acordo”, empregada no direito de resposta de Edgard Ortiz. É evidente que ele apenas concordo em retirar seu projeto, e não, como seu comentário tenta fazer crer, que ele tenha realizado alguma negociata com Edgard Soares.

    Assim, como leitor e admirador de seu trabalho, peço que tenha mais cuidado, pois, na tentativa de trazer à tona a verdade a respeito da política corinthiana, você acaba agindo com uma grande sanha, confundindo conceitos e satanizando certas pessoas, transformando-as em personagens que nem sempre refletem a realidade.

    Essa prática, que já vi se repetir outras vezes em seu blog, pode fazer com que você perca a seriedade e a credibilidade junto ao seu público.

    É apenas uma crítica construtiva. Se possível, me responda por e-mail, pois, apesar de alheio à política do clube, tenho muito interesse em tudo que nele acontece.

    Afinal, é um assunto que mexe com uma paixão muito grande minha, que é o Sport Club Corinthians Paulista.

    Um forte abraço,

    Fábio

    Paulinho: Caro Fábio, sei sobre o que estou falando. Ortiz me disse que o projeto de Edgard era ruim. Depois “repentinamente” mudou de opinião.

  5. celso

    Eu tenho uma opinião. Por mais que as pessoas lá se esforcem para transmitir credibilidade, você já tem uma opinião formada e não mudará nem por decreto. Em contra partida e pensando bem, o seu trabalho também é primordial, pois de alguma maneira afasta qualquer possibilidade de sacanagem com o clube por parte dos seus dirigentes. De qualquer maneira, como corinthiano, não gosto e não engulo notícias ruins à respeito do meu clube à todo momento. Prefiro o equilíbrio. E isso infelizmente você não proporciona, pois sempre ataca os dirigentes que lá estão. Eu e milhares de corinthianos nos sentimos de certa forma atingidos, pois só são notícias banais contra o nosso clube. O senhor só pretende começar a falar bem, quando o Citadini for o Presidente ? Eu não acho justo e nem um pouco democrático, independente de quem esteja no poder.

  6. Fábio Sallum

    Bom, mas se você tinha essa informação, devia ter publicado-a de modo claro.

    Pois, para quem lê o blog sempre e lê do jeito como foi colocado, fica a impressão de ser apenas uma “birra”, por ele ter concordado com Edgard Soares.

    Ainda assim, não vejo como essa mudança de opinião poderia desabonar a conduta de Ortiz, especificamente neste caso.

    Abraços.

  7. Leandro Santiago

    A única razão que me fez suspender provisoriamente o Projeto Itaquera, foi o de não prejudicar o Corinthians. Na altura em que uma comissão deveria decidir entre o projeto Seebla/Egesa e o nosso, fui informado que a compra do terreno na Marginal estava ameçada pela demora da decisão da comissão. Reuni-me com diretor da Egesa (Sr.Caiafa) e o Edgard Soares. Fizemos um acordo. Eu retiraria meu projeto e eles ficaram obrigados a adquirir e doar o terreno ao Corinthians (com cláusulas de impenhorabilidade e inalienabilidade), em ato simultâneo, o que não ocorreu e deu causa ao final das tratativas.
    ESSE FOI O ACORDO, ESTOU CORRETO?

  8. Eduardo

    Paulinho, boa tarde. Td bom?
    Pq vosso blog e o do birner sairam da lista de recomendações do blog do Juca?

    Abraços e parabéns pelo trabalho.

    Eduardo Hilton
    Valinhos – SP

  9. Luiz Amaro

    Paulinho, certa vez vc blogou um link onde vários jornalistas esportivo discorriam sobre a podridão da mídia esportiva. Pesquisei, mas não encontrei, gostaria que (se for possível) me enviasse via e-mail.
    e-mail.

    desde já agradeço…

  10. Eduardo Costa

    Acho que você sabe quem eu sou por conversas passadas, já que, conforme citado acima , minha empresa é a que está fazendo o site internacional do Corinthians, conforme explicitado pelo Edgard na sua nota. Nem a imprensa de minha cidade (São José dos Campos) ou as agêncas que trabalham conosco aqui e aí em São Paulo sabiam deste trabalho. Era sigilo total até agora.

    Antes que seu jornalismo investigativo pergunte -e já respondendo – de maneira totalmente gratuita para o Corinthians. Todos os acertos relativos à criação, produção, produtora de vídeo super-premiada, modelagens 3D, empresas de tradução juramentada, etc, estão correndo por conta exclusiva de minha empresa. Posso, inclusive, se você quiser, lhe dar nome, telefone e e-mail de cada pessoa envolvida neste projeto.
    O Corinthians não teve – e não terá nenhum gasto com este site que será uma doação de Corinthianos. Mas nao é pra isso que estou aqui.

    Mas meu post é prá falar do Edgard.
    Conheço-o , bem como toda sua família, incluindo os filhos – que são de minha geração. São todos gente do bem, batalhadores e vencedores, idealistas e apaixonados por várias coisas, em especial, pelo Corinthians.

    Apesar de ser seu leitor diário, sem querer deixei passar o post do garoto, senão teria comentado anteriormente. Foi o Edgard, numa de nossas várias conversas, que me falou de sua nota e contou-me a mesma história que contou a você.
    Não tenho nenhum motivo prá desacreditar por tudo que eu já o vi falar, brigar (e muito) e fazer em prol do Corinthians (só neste projeto do site são várias empresas e mais de 40 profissionais envolvidos, somente por paixão).
    Conforme ele citou, o Datena e o Kajuru – pessoas que você admira – podem falar dele melhor do que eu.

    Sobre o estádio, conheço a história e posso lhe dizer que, como corinthiano,no lugar dele , teria feito exatamente a mesma coisa.
    Motivo: Se a perda da compra e doação do terreno ocorresse por uma indecisão entre os projetos, para a torcida corinthiana iria ficar marcado que o clube deixou escapar uma oportunidade de ter seu estádio por culpa de uma só pessoa: Edgard Ortiz.
    Acho que esta é uma mancha que ninguém gostaria de carregar. Nem ele, nem eu e nem você.

    Se você chama isso de “acordo”, tudo bem. Eu chamo de esforço não querer ser chamado de Judas Iscariotes da história corinthiana.

    Em tempo, na nota dele aí acima, em nenhum momento ele diz que o projeto da Engesa era melhor que o dele. Ênfase na palavra provisoriamente… Basta ler: “A única razão que me fez suspender provisoriamente o Projeto Itaquera, foi o de não prejudicar o Corinthians. Na altura em que uma comissão deveria decidir entre o projeto Seebla/Egesa e o nosso, fui informado que a compra do terreno na Marginal estava ameçada pela demora da decisão da comissão.”.

    meu e-mail e telefones (no site de minha empresa você os encontra) estão à sua disposição para eventuais dúvidas.

  11. César

    (do Blog do Citadini)

    Faleceu o corinthianíssimo Lourenço Diaféria

    Faleceu, nesta terça-feira, Lourenço Carlos Diaféria; nascido no bairro do Brás, em São Paulo, em 28 de agosto de 1933.

    Jornalista, cronista, contista, autor de histórias infantis, e acima de tudo corinthiano, era casado e teve cinco filhos.

    Começou sua carreira jornalística em 1955, na antiga Folha da Manhã, hoje Folha de S.Paulo.

    Também foi cronista do Jornal da Tarde, Diário Popular e Diário do Grande ABC, além de ter atuado nas rádios Excelsior, Gazeta, Record, Bandeirantes e na TV Globo.

    Em 1977, durante o regime militar, foi preso e processado com base na Lei de Segurança Nacional pela autoria da crônica “Herói. Morto. Nós”, considerada como tendo sido ofensiva às Forças Armadas. O texto criticava a veneração ao patrono do Exército, Duque de Caxias, em oposição ao fato de um soldado PM de Brasília ter sido devorado por ariranhas em um zoológico, quando tentava salvar uma criança. O jornalista, indignado, escreveu que enquanto vários mendigos, igualmente aos pássaros, faziam suas necessidades na estátua de Caxias, os verdadeiros heróis da pátria morriam defendendo o povo, aliás, dever de todo militar que tivesse o senso do dever de um soldado. Ao longo de algumas semanas, a Folha deixou o espaço destinado ao colunista em branco, em repúdio à arbitrária prisão. Diaféria permaneceu detido vários meses no DOICod, órgão ligado à violenta repressão do período. Católico fervoroso, durante a prisão, dedicava-se à leitura de “A Cidade de Deus”, de Santo Agostinho, e à oração dos salmos bíblicos.

    Como escritor, é autor de “Coração Corinthiano” – notável história do nosso querido Timão -, obra de leitura e consulta obrigatória para corinthianos, esportistas e historiadores. Escreveu também “Um gato na terra do tamborim”, “A caminhada da esperança”, “O imitador de gato” e “Brás – Sotaques e Desmemórias”, entre outros.

    Em entrevista concedida em 2002, declarou: “Real ou imaginária, a memória do escritor é a matéria-prima para criar a vida e as memórias alheias.”

  12. Álvaro Leite Domingos

    “Recebí, através de minha estagiária e assistente, Patricia, pedido de ofiala de justiça que cumpriu mandato em ação que patrocino como advogado (OAB 22008), para ajudar a seu parente…”

    Não entendi nem essa frase, quanto mais o restante do texto.
    Para um advogado, filho de jornalista, ele escreve muito, muuuito mal.
    Além de erros ortográficos crassos, suas frases são muito confusas… não consigo imaginar esse cara redigindo uma petição inicial a um juiz ou algo do tipo, se não tem condições sequer de esclarecer de maneira simples e concisa um posicionamento ou uma conduta que veio a adotar nesse caso.

    Ao meu ver, ele só deu voltas e voltas sem explicar coisa alguma.
    Não conheço o Edgard Ortiz, nunca ouvi falar nada dele, nem sabia que ele era ligado ao Corinthians nem nada.
    Pra mim, ele só enrolou… mais ou menos como a Carla Dualib, em suas aparições midiáticas recentes.
    Difícil acreditar…

  13. fernando

    o pior que ele esta fazendo não é indicar jogador e nem abrir mão de seu projeto, é apoiar esta diretoria nefasta

  14. thiago koutzii

    paulinho, imagino q vc esta mergulhado num mar de afazeres, mas leia com mais atenção o que diz Fábio Sallum. faço das dele minhas palavras.
    venho desde que vc começou o blog e acompanho sua mudança de atitude, cada vez mais combativa e ao memso tempo, cada vez mais moralista, acusativa e particular.
    sua forma de responder as criticas , nunca assumir um errop e nem ser cordial (claro, só com quem tb é com vc) é cansativo.
    bom, creio q vc le isso várias vezes por dia, umas de maneira educada e ou não! leve em conta as educadas como seu leitor Fábio Sallum. ele nao é um leitor que valha a pena perder por destempero .

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: