Advertisements

Adicional de sofrimento

Por ROQUE CITADINI

http://blogdocitadini.blog.uol.com.br/

Quando assumiu a Presidência do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) o incriticável Carlos Nuzman pediu duas coisas para transformar o Brasil em uma potência olímpica mundial: tempo e dinheiro.

Dinheiro não faltou, recebendo verbas aos borbotões da Lei Piva, do Orçamento e de empresas que abastecem de recursos as confederações de esportes olímpicos: Petrobrás, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Correios, Infraero, só faltou o INSS investir nos tais esportes olímpicos. Realizou, no Brasil, um sem número de eventos, de natação, boxe, atletismo, judô etc, com largo orçamento público. Chegou à sua consagração com a realização do Pan-Americano de 2007 no Rio, inicialmente “orçado” em R$400 milhões, mas com custo total de quase R$4 bi ao País. Sobraram medalhas e esperanças. Sem nenhum desrespeito aos atletas, continuo achando o PAN uma versão dos Jogos Abertos do Interior com gente falando espanhol.

Além de dinheiro que teve de sobra, tempo também não faltou, pois lá se vão mais de 15 anos de reinado sem críticas. Temos atletas que nem nascidos eram quando Nuzman assumiu. Além dos maus resultados que temos tido nestes Jogos, é preciso destacar o sofrimento da mídia que cobre as Olimpíadas.

Como parece existir uma “norma secreta” – vinda da Lua, de Marte ou de Vênus, não sei – que impede qualquer crítica ao desempenho brasileiro, nossos jornalistas ficam numa incômoda situação: por um lado, são condenados a um “silêncio obsequioso”, não podendo fazer a mínima crítica ao COB ou a Nuzman, e, por outro, tem que exaltar “conquistas” que, na verdade, são grossas derrotas.

É elogio para um 18º lugar, aplausos pelo fato de estarem participando, exaltação pelo esforço.

As frases que mais ouvimos, além do tradicional “com certeza” dos atletas, são: “chegar até aqui já é uma vitória”, “só disputar já é como ganhar uma medalha”, “vale pelo esforço”, “isso é um sonho realizado”, “estou muito feliz em estar aqui”, “este centro olímpico é uma maravilha”.

Agora, o fato de não poderem criticar, tudo bem, mas calma, pois o telespectador não pode ser acusado de nada. Na SporTV, por exemplo, o bom locutor Luiz Carlos Júnior, em todas as competições do Brasil, vem com o seu bordão “Vale muito sua torcida”. Peraí, vamos com calma, a derrota não é por falta de torcida. Se fosse assim, a China ganharia tudo. E um tal comentarista de natação, que a cada desclassificação de um atleta brasileiro, descobre uma estatística enaltecedora: “seu tempo foi melhor do que o do Pan-americano”, “sua marca superou a do Troféu Maria Lenk”.

Santo Deus! E daí? A tão falada geração de ouro da natação, ainda está de porre pelo Pan-2007.

Diante de números tão acachapantes, onde as poucas medalhas só vêm por muito esforço pessoal ou através de alguns esportes coletivos com tradição alheia ao Comitê Olímpico, só espero que, terminadas as Olimpíadas, a imprensa dedique a mesma dose de espírito crítico com que está habituada a abordar os dirigentes de Futebol para julgar o COB e companhia.

Está mais do que na hora de se romper o cordão de proteção dos dirigentes olímpicos mantido pela mídia tupiniquim.

Facebook Comments
Advertisements

15 comentários sobre “Adicional de sofrimento

  1. Roberto

    Parabéns ao Roque, pela coragem de fazer uma critica, que embora apropriada, resvale no que atualmente é tido como politicamente incorreto.
    A sociedade, tem o habito, de oferecer uma complacencia aos atletas olimpicos, semelhante a que se tem aos religiosos, ao bombeiros, aos deficientes, etc.
    Nao tenho duvidas, de que é um assunto delicado, e o terreno é pantanoso, mas evita-lo, serà extremamente danoso às futuras geraçoes.

  2. Claudia

    Queria muito que o Citadini fosse presidente do meu Timão, muita gente iria tremer… dentro e fora do Parque São Jorge. Abçs

  3. rafaela damascena

    Paulinho, muito acertada a critica do Citadini. Pode se fazer diversas competições grandiosas como o Pan,mas enquanto não deram condições aos atletas de esportes menos expressivos como o boxe, por exemplo, não teremos bons resultados. Outro dia estava vendo na ESPN como foi o Pré Olimpico de boxe e os lutadores não tinham sequer sapatilhas para lutar, eles lutavam e iam correndo para o vestiário ceder as sapatilhas para o proximo lutador. Esse é o esporte olimpico no Brasil, e ainda querem trazer as olimpíadas pra cá. Vai entender esse COB de eventos grandiosos e resutados pífios.

  4. Mauricio

    Olá Paulinho,
    Você me desapontou agora com a publicação dessa notícia, pois ela tinha continuidade e criticava uma publicação completamente sem noção do Juca Kfuri, do qual o Citadini é Fã assim como você é, porém o Citadini criticou quando achou que deveria, e tenho certeza que sabe de que matéria estou falando e mais certeza tenho de que também não concorda com o que o Juca publicou, infelizmente você não quis criticá-lo em seu Blog. Gosto muito do seu trabalho, porém temos que critica quando não concordamos, mesmo que sejam pessoas que gostamos, ninguém é acima do bem e do mal.
    PS.: Por favor tire o link do Blog desse Vitor Birner de Blogs indicados, o cara é São Paulino e só sabe falar bem do time da Vila Sonia e mal do corinthians!!! Muito diferente de você e alguns poucos que conseguem mostrar pontos fracos do clube que torce e não fazer de tudo para esconder.
    Abraços,
    Mauricio

  5. André

    Até que emfim o Citadine escreveu algo que presta. Quando ele para de falar do SP ele fica um pouco mais inteligente.
    Parabens pelo texto que retrata fielmente o que esta ocorrendo nessas OlimPIADAS.

  6. Renato

    E o engraçado é que os atletas brasileiros chegam em sétimo, oitavo…e os locutores vibram com a quebra do recorde sul-americano. Pode?

  7. Marcelo Kaja

    Não sei se o Nuzman é ou não boa pessoa, mas desde que assumiu o COB, não esqueçam que antes ele dirigiu a CBV(Voley) e com ele o Volei disparou tanto em qualidade quanto em massificação, o número de medalhas dobrou,(até atlanta96 eram 39, hoje são 80) até então tinhamos participações pífias. Na ultima olímpiada terminamos em 16 lugar, à frente de muitos países que contam com muitos mais recursos.
    Quanto ao patrocínio estatal, é importante sim, já que qual empresa privada irá patrocinar, por exemplo o Handebol, pois em qual TV ou jornal aparece alguma imagem de campeonato de Handebol, e o Handebol só começou a aparecer no cenário mundial após o patrocínio da Petrobrás, e estamos melhorando tanto, que até jogadores já estamos exportando.
    Já que o patrocínio estatal incomoda tanto, porque o Corinthians, Palmeiras, São Paulo e outros grandes clubes de futebol, não montam equipes de outros esportes, creio que apenas o Flamengo apóia esportes olímpicos fora o futebol, por sinal trabalho muito bem feito na gávea.
    Quanto à crítica ao locutor do SporTV, queriam que ele falasse o que – “não torçam”, “desliguem a TV”…. se o tempo foi melhor que no PAN-07, qual o problema de dizer isso, ou queriam que o tempo fosse melhor que do Phelpes, e outra, quando o Corinthians joga, os torcedores, não torcem, não vibram, quem sabe se não tivessem torcido não teria caído à série B. Eu vibro e torço, tanto para o meu time quanto para o Brasil, se ganha ou não é outra história.
    Para finalizar, a olímpiada ainda não acabou, muita coisa ainda irá acontecer, e se olharmos os números agora, os EUA estão levando uma lavada da China, a Rússia então, nem se fala….
    Ahhh o Citadini é aquele que um dia disse que o Gil era melhor que o Kaká, então tá então.
    Abraços Paulinho

  8. Carlos Oliveira

    Pergunte pro Citadini se ele é a favor de uma grana estatal pra salvar os falidos clubes brasileiros. Além da Timemania e congêneres.

    Ele é contra a proteção dada pelo governo ao esporte olímpico, porque gostaria de morder o seu naco para o futebol brasileiro, o mais importante e lucrativo esporte nacional, diria ele. Mas quem é louco de jogar dinheiro na mão de dirigentes corruptos abomináveis?

    E outra, até concordo com crítica dele em relação ao protecionismo do mais importante grupo de mídia do país. Mas não foi a mesma Rede Globo/Sportv que fez vista grossa aos desmandos da MSI nos últimos anos?

    Não é a mesma que faz para os atuais dirigentes? Postura chapa branca é comum por aqueles lados…

  9. Carlos Oliveira

    Aliás a Globo faz de acordo com os seus interesses.

    Perseguiu durante um tempo o Ricardo Teixeira e CBF. Fez reportagem no Globo Réporter. Todo mundo lembra.

    Depois que a CBF negociou com exclusividade o Campeonato Brasileiro e outras competições para a Globo e seus braços na TV fechada, ela simplesmente se calou. Parou de perseguir a turma da CBF.

    O que vale é lucro. Atende aos seus interesses, isso é o que importa.

    Vale para o futebol, esportes olímpicos, etc…

    Paulinho, em 2012 a Record terá exclusividade na transmissão das Olimpíadas/Londres. Veremos a postura da Globo.

  10. Paulo

    Pela primeira vez esse cidadão falou alguma coisa inteligente, só esqueceu da parcela de culpa de nossos governantes, que acham que o esporte nas escolas não é necessário.

  11. Anderson Viana

    Vai acontecer a mesma coisa nas ocasiões em que a Globo simplesmente ignorou algumas competições que não tiveram sua transmissão, como Copa do Brasil, que só foi dar atenção após o Corinthians ganhar em 95 e o SBT garantir a maiores audiências de sua história. Ou mesmo o Mundial de Clubes pela Band, em que a Globo simplesmente ignorava em sua programação. Postura lamentável, mas deve ser repetida em 2012…

  12. Sten

    Marcelo Kaja, o Brasil esta entre as dez maiores economias do mundo, como que ficar em 16 lugar nos coloca a frente de paises com mais recursos?
    O que acontece é que ficamos atras de muitos paises com menos recursos, tanto financeiros quanto humanos. Falta seriedade e vontade politica ao nosso Comite Olimpico, lembro que os atletas que la chegaram foi por “paitrocinio” e praticamente todos os atletas brasileiros medalhistas em esportes individuais vieram de familias de classe média ou alta.
    Em paises desenvolvidos a formação esportiva começa na escola, praticamente todas as escolas publicas nesses paises possuem piscinas, quadras e outros elementos fundamentais como boa alimentação e estrutura de incentivo a pratica esportiva. Já no Brasil, mais de 70% das escolas publicas sequer tem quadras poliesportivas, e as existentes estão sucateadas e abandonadas, faltam equipamentos e profissionais para a formação de atletas no Brasil. Como é que o Brasil se tornara potencia esportiva deste modo, da forma como são conduzidas as coisas por aqui isso NUNCA ira acontecer, eventualmente aparecera um novo Guga, mas por méritos proprios e por apoio de uma familia bem estruturada socio-economicamente.

  13. paulo

    soh digo uma coisa….o brasil estah cada vezmais ridiculo….sob todos os aspectos……dah ateh nojo……e ai vem um babaca ha 15 anos no poder do cob….ficando em hotel 7 estrelas em pequim…enquanto judoca nao tem dinheiro(1500) pra pagar inscricao pra vir pras olimpidas ou pugilistas tendo q dividir sapatilhas….ou como a fabiana maurer..tendo q por do bolso pra poder levar as varas pra competir e treinar lah….affff

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: