Advertisements

A fratura de Eduardo


O lance é impressionante.

A entrada do zagueiro Martin Taylor em Eduardo da Silva criminosa.

Só um milagre pode recuperá-lo para a carreira.

Meu amigo Vitor Birner não tem a mesma opinião.

Disse-me que o zagueiro não é violento e nem cartão amarelo havia tomado ainda em 12 partidas disputadas.

Que acontecem inúmeras entradas dessa no Campeonato Inglês.

Pode até ser que a intenção não tenha sido de quebrar, mas é difícil não acreditar que ele não teve a intenção, no mínimo, de fazer uma falta violenta.

O que já seria motivo para puni-lo severamente.

A reação do atleta após atingir Eduardo me faz crer nessa hipótese.

Mas quebrou um colega de profissão.

E tem que ser punido.

Advertisements

Facebook Comments

22 comentários em “A fratura de Eduardo”

  1. Esse zagueiro do Birmingham deveria pagar o tratamento do Eduardo e ficar fora até que o brasileiro voltasse a jogar.
    Isso se ele voltar a jogar.
    Sei não mas acho muito difícil do Eduardo voltar a jogar e mesmo que jogue o cara vai pensar 20 vezes antes de entrar numa dividida.
    O que o zagueiro do Birmingham fez foi algo muito grave.
    Ele quase arrancou o pé do Eduardo fora.
    Uma pena que ainda existam animais como esse Taylor jogando futebol.

    Paulinho: A entrada foi muito dura, realmente

  2. Bom Dia Paulinho;
    Você leu o comentário de seu ídolo, Victor Birnner sobre este lance?
    Ele disse que foi uma fatalidade.
    Gostaria que você comentasse.
    Este jogador inglês é indecente e um grande covarde.
    Sds
    Marcelo Barbosa
    BH/MG

    Paulinho: Como você deve ter notado nossas opiniões são diferentes nesse caso

  3. Se foi tíbia e perônio (apenas) se recupera. O Reasco teve esses ossos quebrados e ficou uns 7 meses fora e voltou. Torço pela recuperação do Eduardo Silva. Quanto ao lance, sem ver não dá para comentar (só pela foto), pois às vezes o jogador vai para pegar a bola, o outro a toca, e acaba sofrendo o choque. Mas deveria pegar uma pena de, no mínimo, 180 dias.

    Paulinho: Mas o pé no alto é dificil de explicar

  4. Bom dia Paulinho.
    Fiquei estarrecido com o acontecido. Nunca ouvi falar desse brasileiro aqui no Brasil, mas já tinha visto um jogo dele pelo Arsenal.
    Acredito que ele volte a jogar futebol sim, vai depender muito “dele”.
    Agora, esse senhor, Martin Taylor deveria tomar um gancho de 1 ano de afastamento. Escrevi no Blog do Benja que queria a sua exclusão do futebol, mas acho severa demais, ninguem deve ser impedido de executar sua profissão, se é que jogar futebol é profissão.
    Então retiro aqui o meu desejo de exculsãoe peço a punição de 1 ano, acho que ele assim, terá tempod e pensar na m… que fez.
    Não foi no calor do jogo… eram tres minutos do primeiro tempo!
    Não foi um acidente de trabalho… ele deu um carrinho consciente!

    Agora o Eduardo fica sem jogar, o Arsenal sem seu atacante e a Croácia sem seu jogador (ele é naturalizado) na Eurocopa!

    Punição severa e exemplar…
    Alem de justiça!

    Paulinho: Tem que ter uma dura punição

  5. Está na hora de acabar com o carrinho no futebol. Isso é recurso de cabeça-de-bagre para parar violentamente os mais talentosos. Chega!

    Paulinho: É bem por ai

  6. Paulinho,

    Até qundo será permitido pelos “velhinos” da dona FIFA o infame carrinho no futebol?
    Na minha opinião é só questão de tempo ou probabilidade, teoria dos jogos para os iniciados em probablidades e estatística, para ocorrer um lance com esse.

    Paulinho: Sem o carrinho o futebol tende a ficar mais bonito, com menos faltas

  7. Caro Paulinho, os nobres ingleses “criadores” do futebol, ao meu ver tem uma certa mágoa dos brasileiros, pois eles “inventaram” e nós reinventamos e somos melhores, mais criativos e geniais.
    Toda vez que eles acham uma perna brasileira na frente, pegam pesado. Os critérios das arbitragens na Europa também contribuem para essa violência e ainda falta consciência profissional e respeito com a integridade física dos colegas de profissão.
    Por isso concordo, em parte com o Rafael, o agressor deve pagar o tratamento e receber uma punição com afastamento do futebol. Trata-se ainda de uma questão ética e moral que só o tempo mudará. Forte abraço.

    CAUROSA – caurosa.blogspot.com.br

    Paulinho: Tem que ser punido com rigor

  8. Realmente… Uma imagem impressionante!

    Você poderia postar o vídeo do lance, Paulinho?

    Abração!

    Paulinho: Vou procurar

  9. Nossa, eu não tinha visto essas imagens, esse cara tinha que ter saido algemado do campo, isso é tentativa do homicidio…..sujeiro safado…..

    Paulinho: Ele errou feio

  10. Violento demais… mas foi preciso esperar algo de mais sério acontecer para que houvessem críticas. Me lembro dos carrinhos assassinos do Vampeta (que quebrou o Leandro Amaral), as cotoveladas do Rincón, as maldades do Antônio Carlos (esse sim, deveria ser banido, por racismo), e os hours-concours Junior Baiano e Argel… pode pôr mais gente na lista do limbo

    Paulinho: Aqui sempre que necessario elas são feitas

  11. Paulinho, é claro que o Birner não iria condenar a atitude do zagueiro. Ele foi contra uma punição mais branda ao Adriano, como poderia agora mudar de idéia. O Adriano foi covarde ao extremo e o pior apoiado por jornalistas onde o time do coração fala mais alto.

    Paulinho: Acredito que o Adriano tentou agredir, mas não consumou o fato

  12. Corrigindo o post anterior. O Birner foi a favor de uma punição mais branda ao Adriano.

    Paulinho: Uma punição pela tentativa, que foi o que aconteceu

  13. A cena é realmente chocante! Porém, não se trata de nenhuma novidade em se tratando de Campeoanto Inglês. Lances como esse são vistos rodada a rodada, mas sem contar com a fatalidade ocorrida com Eduardo da Silva, do Arsenal. Quanto ao zagueiro Taylor, do Birmingham, resta agora a culpa pela fatalidade e as enxurradas de críticas ao seu momento de imprudência. Mas cabe salientar que seu carrinho foi sem maldade ou exagero, mas acertou o atacante dos gunners em cheio. Taylor, como disse Victor Birner, não tomou, em 12 jogos pelo Campeonato Inglês, nem um cartão sequer. Nem amarelo! Assim como não tomaria se o árbitro da partida não tivesse viosto a fratura de Eduardo. É essa a maneira inglesa de jogar futebol. Gostem, ou não.

    Paulinho: Eu acho que ele não teve a intenção de quebra, mas acredito que entrou com o pé alto para pegar o jogador. Tem que receber punição

  14. Acabo de rever novamente a jogada. E reitero minha opinião colocada em post abaixo. Não considero ter havido maldade no lance. O que ocorre é que os replays intensos das tv´s e as fotos em close colocadas pela mídia de todo o mundo fazem a jogada parecer realmente violenta. Não que não seja, mas fica a impressão de que Taylor tinha a intenção de realmente acertar em cheio a atleta dos gunners, o que não acho que tenha ocorrido. Trata-se apenas de uma fatalidade ocorrida devido a imprudência do zagueiro, mas extremamente comum dentro dos campos de futebol ingleses. A tendência à espetacularização do fato pela imprensa é que gera esse clima de revolta e ódio ao atleta do Birminghan. Ele apenas foi reprodutor de um sistema de jogo que privilegia a força física, excessivamente às vezes. Mas força física não pode ser confundida com a maldade com que querem pintar o zagueiro.

    Paulinho: Reitero a opinião que lhe dei em seu comentário anterior. Abraço

  15. A retificação de Arsene Wenger, que havia dito que Martin taylor deveria ser banido do futebol, foi sensata. Nada mais coerente do alguém acostumado a lidar com o estilo inglês de jogar futebol do que reconhecer que não houve violência na jogada, e sim uma imprudência extremamentente comum nos campos da terra da rainha. O caso é diferente do caso do italiano Materazzi, que apela para a violência canalha e covarde que não deve ter espaço dentro, e também fora, das quatro linhas da velha bota. Um exemplo recente no futebol brasileiro que pode ser considerado violento, e não trágico como o lance ocorrido na Premiership, foi a cabeçada desferida pelo são-paulino Adriano no zagueiro Domingos, do Santos. Ao contrário de Taylor, Adriano foi para a jogada com a intenção de ser violento e de acertar o adversário, o que é gravíssimo e merecia severa punição, o que não ocorreu. talvez porque não tenha ferido gravemente seu oponente como no espisódio de ontem. É preciso que se tenha uma lesão do nível da de Eduardo para que haja indignação?

    Paulinho: O pé no alto do zagueiro causa a indignação

  16. O tal do Taylor foi, no mínimo, imprudente. Ele merece uma punição exemplar e ficar longe dos gramados o mesmo tempo em que Eduardo ficar.

    Paulinho: Tem que ser punido

  17. Arr, filho da puta ¬¬’
    Eu acho que deviam prender esse desgraçado, prender mesmo, uns 60 anos de prisão, pra ele pensar bem na merda que fez. No mínimo ele devia indenizar o Eduardo…

    Não dá pra dizer que foi sem querer, as travas no meio da tíbia do Eduardo denunciam, se fosse sem querer não acertava em cheio…

    CADEIA NESSE DESGRAÇADO!

    Paulinho: Foi no minimo inconsequente

  18. Paulinho,

    Corroborando com meu comentário anterior, vc vviu a entrada de carrinho do zagueiro argentino Ferrero do Botafogo no Cristian do Flamengo? Pois é , só não aconteceu a mesma tragédia por um detalhe. FORA O CARRINHO NO FUTEBOL!!

    Paulinho: Concordo

  19. Paulinho, pelo que entendi você acha que é necessario a agreção realmente acontecer para que a pena seja maior (caso adriano). Seguindo este raciocinio, deveriamos esperar o jogador (no caso Adriano) nocautear o adversário para ser punido? Continuando com este raciocínio, se a perna do brasileiro (no caso do jogador ingles) não tivesse sido quebrada a punição deveria ser menor do que a que será aplicada? Não adianta dizer que são casos separados, ambos agrediram o jogador em uma disputa esportiva. O povo clama por justiça no Brasil. Que a justiça não funciona e tal. Lembre-se que se vocês acham que o que o Adriano fez não foi nada, como é que poderam cobrar atitudes leais dos atletas, dirigentes, jornalistas, torcedores, etc.

    Paulinho: Adriano não agrediu

  20. Acho que deviam de extingüir o carrinho do futebol, carrinho mesmo que pela frente 10 metros pro lado do cara devia ser ilegal, afinal, não é raro casos de jogadores que se machucam sériamente, as vezes até param de jogar futebol por causa disso.

    //tibiamag

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: