Advertisements

Bolsonaro desafia CPI e comete crimes ao vivo na TV

De O GLOBO

Por BERNARDO MELLO FRANCO

Desafio à CPI

Jair Bolsonaro adotou uma estratégia ousada para confrontar as revelações da CPI da Covid. Dispensou o gabinete das trevas e passou a cometer crimes à luz do dia, com transmissão ao vivo na TV.

Ontem o presidente usou uma solenidade sobre turismo para sabotar medidas de proteção e humilhar o ministro da Saúde. “Acabei de conversar com um tal de Queiroga, não sei se vocês sabem quem é”, perguntou, com um sorriso irônico.

Em seguida, ele disse que mandou o ministro liberar do uso da máscara quem já se vacinou ou já se infectou com o coronavírus. A ordem vai na contramão das recomendações médicas e do discurso do “tal de Queiroga”.

Na terça, o ministro disse à CPI que sua primeira atitude foi exigir o uso da máscara na sede da pasta. “Hoje nós temos um Zé Gotinha de máscara e uma família inteira de Zé Gotinhas de máscara”, acrescentou.

A fala de Bolsonaro aumenta a desmoralização do ministro, que já rastejava para se manter no cargo. Mas o ataque ao uso da máscara não foi o único crime de ontem. O capitão também escancarou seu gabinete paralelo e insistiu na falsa tese da supernotificação de mortes por Covid-19.

O presidente se gabou de ouvir palpiteiros sem formação médica antes de tomar decisões sobre a pandemia. Chamou de “mente privilegiada” o olavista Arthur Weintraub, apontado como o coordenador do conselho de negacionistas.

Ele também repetiu a lorota fabricada para lançar dúvidas sobre os números da pandemia. Na quarta-feira, o Tribunal de Contas da União afastou o auditor que tentou dar ares oficiais à fraude. Num passe de mágica, ele riscou da estatística 115 mil brasileiros mortos pelo vírus.

Bolsonaro tem um truque conhecido: quando está sob pressão, diz qualquer absurdo para desviar o foco do noticiário. Entretanto os disparates de ontem parecem ser mais que uma nova cortina de fumaça.

Ao usar o púlpito presidencial para atentar contra a saúde pública, o capitão busca normalizar as ilegalidades apuradas pela CPI. Se ele comete crimes diante das câmeras, não haveria motivo para investigar os subterrâneos do governo. Cabe aos senadores não morder mais essa isca.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: