Advertisements

Flávio Bolsonaro desconsiderou norma de Tancredo sobre compras e vendas por governantes

Da FOLHA

Por ELIO GASPARI

Filho do presidente comprou mansão de quase R$ 6 milhões com financiamento do Banco de Brasília

Flávio Bolsonaro comprou uma casa de R$ 5,9 milhões com R$ 3,1 milhões financiados pelo Banco de Brasília, cujo maior acionista é o governo do Distrito Federal. Com uma renda familiar declarada de R$ 37 mil mensais brutos, deverá aguentar uma mensalidade de R$ 18 mil. Poderá viver sem pedir auxílio emergencial.

O doutor ganhou fama de empreendedor com uma casa de chocolates da Kopenhagen e em 16 anos fez 20 transações imobiliárias, muitas delas quitando parte dos pagamentos em dinheiro vivo. Filho do capitão Jair Bolsonaro, elegeu-se deputado estadual no Rio em 2002, aos 21 anos, e senador em 2018.

Flávio Bolsonaro descumpriu uma norma, explicitada por Tancredo Neves em 1963: “É norma ética consabida que o governante não compra nem vende nada”.

Era pura sabedoria. Lula deu-se mal porque usufruiu o sítio de Atibaia e discutiu a compra de um apartamento no Guarujá. Juscelino Kubitschek foi muito mais longe, adquirindo um apartamento na avenida Vieira Souto.

Na “nova política” dos Bolsonaro faltam os pilares da cultura histórica de Tancredo. Nela, abunda aquilo que o presidente americano Joe Biden acaba de chamar de “pensamento de neandertal”. Rachadinhas podem ser coisas da Idade da Pedra.

A repórter Malu Gaspar mostrou que na “nova política” acontecem também golpes da modernidade, como a utilização de informações vindas do coração do governo para se ganhar um dinheirinho fácil no mundo do papelório.

Às 17h15 de quinta-feira, dia 18 de fevereiro, terminou uma reunião no Palácio do Planalto. Dela participaram o presidente Bolsonaro e, por ordem alfabética, os ministros Augusto Heleno, Bento Albuquerque, Braga Netto, Luiz Eduardo Ramos, Paulo Guedes e Tarcísio de Freitas. Nela o capitão manifestou seu desconforto com o presidente da Petrobras.

Às 17h35, uma mão invisível do mercado operou uma aposta de R$ 2,6 milhões na baixa nas ações da Petrobras. Passados nove minutos, outra, de R$ 1,4 milhão. Nunca haviam acontecido operações desse tamanho em tão pouco tempo. Às 19h (85 minutos depois da primeira aposta), Bolsonaro anunciou que “alguma coisa” aconteceria na Petrobras. Malu Gaspar mostrou que até as 17h15, quando terminou a reunião do Planalto, aconteceram 41 transações com algo mais de 2.000 apostas. Depois que a reunião terminou, em apenas 39 minutos foram negociadas 2,5 milhões de apostas.

Quem conhece o mercado estima que o dono, ou os donos, da mão invisível embolsaram algo como R$ 18 milhões com a queda do valor da ação da Petrobras no dia seguinte.

À primeira vista, os órgãos de controle do governo poderão desvendar essa salada de números. Contudo, durante o governo Bolsonaro o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação soltou um edital prevendo a compra de R$ 3 bilhões de equipamentos para a rede pública de ensino.

A Controladoria-Geral da União, órgão de controle do governo, sentiu cheiro de queimado. Afora os indícios de direcionamento, 355 colégios receberiam mais de um laptop por aluno. Quarenta e seis ganhariam mais de dois e um deles, em Itabirito (MG), teria direito a 30 mil. Cento e dezoito para cada aluno.

A CGU funcionou. O edital foi suspenso e logo depois cancelado, mas até hoje ninguém explicou como e por quem foi produzido o jabuti. Nem em pizza deu, deu em nada.

Facebook Comments
Advertisements

Um comentário sobre “Flávio Bolsonaro desconsiderou norma de Tancredo sobre compras e vendas por governantes

  1. Renato oliveira

    Gostaram, bosonaristas e olavetes? Governo de papai Bolsonaro também tem corrupção. O povo precisa de cultura e educação. E a humanidade precisa de uma nova consciência e uma nova civilização.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: