Advertisements

Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.brEmail:caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“O arrependimento é ineficaz quando as reincidências são consecutivas”

Marquês de Maricá: foi um escritor, filósofo e político brasileiro

———————————————————-

Reencontro do atual presidente SAFESP com precursor Arthur Alves Junior

Acontecido na convenção da ANAF realizada no estado de Pernambuco nos dias 04- 05 e 06 do mês Dezembro 2020,

De

Imediato não amistoso, contudo!

Conforme

Informação de fonte credibilíssima durante a conversa Arthur Alves Junior educadamente dirigindo-se para o jurisconsulto Aurélio Sant’Anna Martins, participou que:

Se

Colocava a disposição para todo e qualquer esclarecimento referente aos anos que presidiu a entidade

Como

Resposta O jurisconsulto disse:

Indo

Para São Paulo, contamos com sua vista.

Quero

Crer que as denúncias de malversações administrativo-financeiras praticadas por Arthur Alves Junior e diretoria, advindas do atual presidente SAFESP, sua vice, componentes da diretoria, somadas as proferidas por alguns associados, venham a ser esclarecida através contratação de auditoria independente, acrescidos ao profissionalismo dos seus integrantes.

Atinente

Aos problemas trabalhistas SAFESP, conforme informação, através pressão exercida pelo principal dirigente, funcionárias abriram mão de receber os 40% referente rescisão, aceitando o pagamento restante em suaves 36 parcelas, acordo oficializado na entidade representativa dos funcionários da categoria, deixando claro que o não pagamento de parcela devera geral processo no Juizado Especial Cível.

Aberração

O e-mail enviado pelo jurisconsulto que preside o SAFESP contraria a lei, determinando aos árbitros não associados, que se associem, não o fazendo, não receberão as taxas que lhes cabe;

Lembrando

Ao ocupante da cadeira de presidente SAFESP que é ilegal exigir que o árbitro seja sindicalizado! Pague os valores devidos e

Desde

Campanha eleitoral SAFESP; tenho curiosidade em saber o ano de sua formatura, nome do diretor e professores da escola de árbitros FPF?

Acordem árbitros do bem!

————————————————————

Continuação da 24ª Rodada da Serie A do Brasileirão 2020

Sábado 05/12

Santos 2 x 2 Palmeiras

Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (FIFA-SP)

VAR

Jose Claudio Rocha Filho (SP)

Item Técnico

Agiu corretamente por ter ouvido o VAR, indo até o monitor rever o desvio da bola ao bater na mão esquerda do braço do santista Lucas Verissimo postado acima do ombro, voltando ao campo apontando penalidade máxima favorável ao Palmeiras;

Penalidade

Batida por Raphael Veiga, transformada no gol de abertura do placar.

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 03 para santistas e 03 para palmeirenses

Cartão Vermelho: Exato por ter ido até o monitor, revisando a falta cometida por Zé Rafael, voltando e mostrando o cartão vermelho.

No

Todo; trabalho aceitável do árbitro e assistentes.

Domingo 06/12/20

São Paulo 1 x 0 Sport

Árbitro: Felipe Fernandes de Lima (MG)

VAR

Igor Junio Benevenuto de Oliveira (MG)

Item Técnico

Árbitro e assistente desenvolveram trabalho normal

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 04 para defensores do tricolor do Morumbi e 04 para defensores do Leão da Ilha

Contenda referente à 18ª Rodada Brasileirão 2020 – Quarta Feira 09/12

São Paulo 4×0 Botafogo-RJ

Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (MG)

VAR

Wagner Reway (PB)

Item Técnico

No instante que Rafael Foster defensor botafoguense adiantou o braço esquerdo para desviar a redonda,

Ricardo Marques Ribeiro

Nada apontou, jogo seguiu, Var o avisou, na primeira paralização, acertadamente, caminhou até o monitor, voltou apontando a penalidade máxima;

Batida

Por Reinaldo, transformada no terceiro tento da equipe tricolor do Morumbi.

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para defensores do clube da Estrela Solitária

Cartão Vermelho: Correto após rever a falta grave cometida por Marcelo defensor botafoguense no oponente Luan Silva

———————————————————–

Aviso

Não deixe de assistir, ao final da Coluna, a versão em vídeo de meus comentários, detalhando assuntos aqui tratados e abordando outros não inseridos na versão escrita.

———————————————————–

Política

Um país fora de foco

 

Enfim, tornamo-nos reféns de um governo obscurantista. Mas isso tem um preço…

Desde o início da pandemia de covid-19 ficou evidente que a saída estratégica para o problema é a descoberta da vacina e imunização em massa. Qualquer governo mais informado certamente estaria se preparando para esse momento. Não foi o que fez Bolsonaro e pagaremos um preço por isso, não só na economia, mas em vidas humanas.

Infelizmente, na cabeça de Bolsonaro convergem dois movimentos fatais. O primeiro é a negação da covid como doença destruidora; o segundo, uma visão obscurantista da vacina manifestada na ênfase em seus perigos e efeitos colaterais, assim como no pavor da obrigatoriedade, uma discussão inútil.

Bolsonaro já declarou que achava melhor investir em remédios contra a covid-19 do que em vacinas. De fato, destinou pouco mais de R$ 1 milhão para a pesquisa e gastou 15 vezes mais do que isso comprando hidroxicloroquina da Índia ou financiando pesquisas com um vermífugo chamado Anitta.

O ministro da Ciência, o astronauta Marcos Pontes, afirmou que as possibilidades eram animadoras. Vive no espaço, assim como Bolsonaro vive numa realidade alternativa.

Antes de definir seus planos sobre a vacina, Bolsonaro levantou a questão da obrigatoriedade. Ninguém, exceto o cachorro Faísca, receberia a vacina contra a vontade.

O Brasil e quase todos os países talvez levem um ano para vacinar todo mundo. Como exigir obrigatoriedade de algo que ainda nem está disponível?

No campo das negociações, o governo teve uma posição rígida: concentrou sua compra numa só marca, a da Oxford/ AstraZeneca. Inicialmente, recusou a da Pfizer e quando instado a comprar a Coronavac também a rejeitou, por ser chinesa e “do Doria”, alegações absolutamente anticientíficas para analisar uma vacina.

A recusa inicial da vacina da Pfizer, que esta semana foi usada na Inglaterra, teve como argumento o fator logístico. A vacina precisa ser mantida a 70 graus negativos. A própria Pfizer já anunciou uma embalagem com gelo seco que conserva a temperatura da vacina.

Observando atentamente as manifestações de bolsonaristas na rede, creio que têm uma objeção singular à vacina da Pfizer. Uma deputada afirmou que certas vacinas podem alterar o DNA da pessoa. Um jornalista que apoia o governo afirmou que aceitaria as vacinas tradicionais que usam o vírus neutralizado, mas não recomendava a experiência com as outras. As outras, e aí está um argumento bolsonarista, são produto do avanço genético e usam a técnica de RNA mensageiro. Pode ter sido a objeção inicial à vacina da Pfizer.

Creio, entretanto, que Pazuello está negociando um pouco sem noção de detalhes, trabalhando com números. Ele mesmo disse na reunião com governadores que vai comprar todas as vacinas necessárias, se houver demanda. No universo bolsonarista, a demanda pela vacina ainda é uma dúvida, pois acham que os próprios preconceitos contra a ciência são generalizados.

O governo participou do consórcio mundial para garantir a vacina, poderia vacinar 50% da população, mas preferiu uma cota de 10%. Sempre calculando por baixo.

A única realidade com que se pode trabalhar hoje é a vacina comprada por São Paulo, que está pronta para distribuir. Nesse caso houve cálculo estratégico, preparação adequada. No entanto, o plano do governo de São Paulo esbarra na Anvisa, hoje um órgão dirigido por bolsonarista que frequenta manifestações antidemocráticas.

São Paulo marcou data, mas esta depende da Anvisa. O governo do Maranhão já percebeu o obstáculo e entrou no STF esperando dispensar a aprovação da Anvisa, desde, é claro, que a vacina seja aprovada por uma das quatro agências internacionais mencionadas numa lei específica. Ainda assim, se o governo der um cavalo de pau na sua visão obscurantista, talvez seja um pouco tarde para acompanhar o ritmo dos outros países.

Outros aspectos da logística também atrasaram. Seringas e agulhas não foram encomendadas a tempo e, segundo os produtores, não há como garantir a quantidade necessária de uma hora para outra.

Cedo ou tarde o Brasil conseguirá vencer o bloqueio mental de Bolsonaro e a consequente paralisia de seu ministro da Saúde. Mas alguns meses de pandemia significam vidas perdidas, casos de doença e internação. Significam paralisar projetos econômicos, bloqueio de avanços pessoais e congelamento de gestos de afeto, abraços e beijos, pela distância imposta pela pandemia.

Enfim, tornamo-nos reféns de um governo obscurantista. Um fotógrafo foi visto com lágrimas nos olhos no Palácio do Planalto. Ele acabara de cobrir uma solenidade, cheia de sorridentes ministros, em que Bolsonaro e a mulher, Michelle, abriam uma exposição do terno e do vestido que usaram na posse, em janeiro de 2019. O fotógrafo chorou porque conhece a situação do Brasil e, simultaneamente, é testemunha ocular do cotidiano de um governo de outro mundo.

Não há de ser nada. O Brasil agitou-se em 1904 numa revolta contra a vacina. É possível que se agite de novo numa nova revolta, desta vez a favor da vacina. A negação da covid-19, os embates contra a ciência, a desconfiança diante de vacinas que nos podem libertar da quarentena, tudo isso tem um preço para o governo, embora ainda não se possa quantificá-lo com precisão nem determinar a data exata do pagamento.

Fernando Gabeira: Jornalista e escritor – Publicado no Estadão do dia 11/12/2020

———————————————————-

Finalizando

“Um tirano precisa fingir a aparência de devoção excepcional à religião. Os cidadãos ficam menos preocupados quanto ao comportamento ilegal de um governante que eles consideram piedoso e temente a Deus”

Aristóteles: foi um importante filósofo grego

————————————————————

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-12/12/2020

Confira abaixo o programa “COLUNA DO FIORI”, desta semana.

Nele, o ex-árbitro comenta assuntos, por vezes, distintos do que são colocados nesta versão escrita:

*A coluna é também publicada na pagina http://esporteformigoni.blogspot.com

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: