Carol Solberg, a liberdade de expressão e os quatro antidemocráticos

Por cinco votos contra quatro, o pleno do STJD absolveu Carol Solberg, que foi julgada pela manifestação ‘Fora Bolsonaro!’ em meio a uma entrevista à Sportv.

Reverteu decisão de 1ª instância, que, por três a dois, havia imposto ‘advertência’ à atleta.

Trata-se de vitória importante da liberdade de expressão.

É inadmissível que qualquer ser-humano seja proibido de manifestar-se politicamente, ainda que no ambiente de trabalho.

De fazer corar, porém, que existam quatro votos a favor da punição.

Os responsáveis foram: Alexandre Monguilhott, Eduardo Mello, Vantuil Gonçalves e Celio Salim Thomaz.

Sinal de que a periculosidade dos antidemocráticos, apesar das recentes sovas, nos EUA e nas urnas municipais brasileiras, não pode ser ignorada.

Vigilância, combate e, sobretudo, educação são procedimentos fundamentais para garantir que a Democracia sobreviva num país marcado, desde o Palácio do Planalto, por manifestações de truculência e incivilidade.

Facebook Comments
Advertisements

2 Replies to “Carol Solberg, a liberdade de expressão e os quatro antidemocráticos”

  1. Essa menina não fez nada de mais. Sabe o que acontecerá com ela se a ditadura militar voltar? Vão tortura-la, estupra-la e mata-la. Desculpem-me a expressão, mas estou acordando os leitores do blog para a realidade das coisas.

  2. Errou o tribunal. Atletas se quiserem se manifestar sobre política, ração de gato, sabor de salsicha, etc., que o façam fora das quadras. Além do mais foi uma vitória de Pirro, ela nunca mais terá espaço na tv ao vivo, nem pra mandar beijos pra família.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.