Justiça corrige arbitrariedade da Comissão Eleitoral do Corinthians

Paulo Li e Romeu Tuma Junior

Recentemente, a Comissão Eleitoral do Corinthians inventou uma regra: prazo até 10 de setembro para o associado alvinegro estar adimplente com as mensalidades, se quisesse votar ou ser votado nas eleições marcadas para o próximo dia 28 de novembro.

Tratava-se, porém, de arbitrariedade.

O estatuto do clube fala em dois meses antes do pleito, ou seja, até o dia 28 de setembro.

Por conta disso, dois sócios, Júlio Cesar Duarte de Oliveira e Moacir Sebastião de Oliveira conseguiram, na Justiça, liminar garantindo-lhes o óbvio direito.

O responsável pela lambança foi o ex-delegado Romeu Tuma Junior, que não é propriamente conhecido pelo respeito e capacidade de interpretação das leis.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.