CBF, COVID-19 e São Bento de Sorocaba

Ontem (26), desfalcado de 21 jogadores (15 deles diagnosticados com COVID-19, dois com sintomas, três no departamento médico e um suspenso), com apenas doze atletas disponíveis e precisando utilizar o goleiro reserva, Lucas Macanhan, como atacante na segunda etapa, o São Bento/SP, de Sorocaba, arrancou heroico empate, em zero a zero, contra o Criciúma pela Série C do Campeonato Brasileiro.

O jogo somente aconteceu porque a deplorável CBF, afamada ‘Casa Bandida do Futebol’, recusou-se a adiar a partida.

Por conta disso, os atletas do São Bento entraram em campo mascarados e protestaram.

O risco de estarem infectados, mas assintomáticos, e, por consequência, transmitirem o vírus a terceiros, era evidente.

Quando essa cartolagem criminosa será responsabilizada?

Eis a questão.

Porque, apesar do protesto e do feito notável, melhor teria feito o presidente do São Bento se não colocasse o time em campo e registra-se Boletim de Ocorrência.

Banco de reservas do São Bento com apenas uma opção, o goleiro Lucas Macanhan

Jogadores do São Bento protestam contra não adiamento da partida contra o Criciúma — Foto: Neto Bonvino/Bento TV

Jogadores do São Bento protestam contra realização de jogo pela Série C — Foto: Neto Bonvino/Bento TV

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.