Advertisements

Coluna do Fiori

FUTEBOL: POLÍTICA, ARBITRAGEM E VERDADE

Fiori é ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol, investigador de Polícia e autor do Livro “A República do Apito” onde relata a verdade sobre os bastidores do futebol paulista e nacional.

http://www.navegareditora.com.br Email: caminhodasideias@superig.com.br

apito limpo

“Todos os homens são passíveis de errar; e a maior parte deles é, em muitos aspectos, por paixão ou interesse tentado a fazê-lo”

John Locke: foi um filósofo inglês

———————————————————–

Receita para abrandar a barra dos associados SAFESP

– Ínfima porção de independência

– Ínfima porção de Caráter

– Ínfima porção de audácia

Conchegue

Os ingredientes nas vossas mentes,

Fortifiquem

Um por todos e todos por Um

Exigindo

Convocação do presidente/vice e diretoria para exporem os motivos do não cumprimento do prometido durante a campanha eleitoral 2019;

Como principal

  1. a) Não contratação da auditoria para avaliar as gestões: administrativo-financeira de Arthur Alves Junior?
  2. b) Explicação referente à assinatura Aurélio Santa Anna Martins na representação enviada ao Delegado do 23º DP, intitulando-se presidente SAFESP “licenciado” e procurador?
  3. c) A continuada agressão ao ART 5º do Regimento Eleitoral 2014 cometida por Regildenia de Holanda Moura, temporariamente, no cargo de “presidente”?
  4. d) Outras questões

Lembrem-se

Por responsabilidade de boa parte dos integrantes da categoria, contumazes beijadores das imundas mãos dos superiores, políticos, judiciário, empresários e “religiosos”, pretendendo escala e projeção na caminhada,

A

Imagem da categoria nunca foi e não é bem vista junto ao público.

Concluindo

Chega de acobardamento e deslealdade. Respeitem-se para serem preservados.

————————————————————–

6ª Rodada da Serie A Brasileirão 2020

Sábado 29/08/20

Botafogo-RJ 0 x 2 Internacional-RS

Árbitro: Thiago Duarte Peixoto (SP)

VAR

Jose Claudio Rocha Filho (SP)

Item Técnico

1º – Acertou por ter se achegado até o monitor após atender o VAR, voltando a campo apontando a posição de impedimento do botafoguense Bruno Nazário, findado com a bola no fundo da rede adversaria.

2º – Entendo que por estar em cima do fato e interpretado que não ocorreu à falta do botafoguense Babi no oponente Patrick,

Somando

O continuar da contenda sendo a redonda tocada por dois ou três jogadores, chegando a Bruno Nazário decretar pro fundo da rede;

Thiago Duarte Peixoto

Portou-se igual a muitos dos seus consortes que nada assumiram ou assumirão;

Explico

VAR comunicou; assoprador foi até o monitor, voltou ao campo, contrariando-se, apontou a falta.

Apesar disso

Na reprodução do lance através VAR, analisei acerto da tecnologia, mas o irritante foram as demoras.

Se ligue CA-CBF!

Desde o primeiro momento Vocês desmoralizaram o VAR.

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 03 para defensores do Botafogo e 01 para defensor do Internacional

Domingo 30/08

São Paulo 2 x 1 Corinthians

Árbitro: Flavio Rodrigues de Souza (FIFA-SP)

VAR

Marcio Henrique de Gois (SP)

Item Técnico

Pouco exigido, duas faltas não marcadas,

Ressalto

A precisa participação da assistente 01: Neuza Ines Back (FIFA- SP) por ter validado o gol corintiano

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 03 para defensores são-paulinos

7ª Rodada da Série A – Quarta Feira 02/09/2020

Goiás 1 x 2 Corinthians

Árbitro: José Mendonça da Silva Junior (PR)

VAR

Paulo Roberto Alves Junior (PR)

Item Técnico

Trabalho aceitável dos representantes das leis do jogo

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 01 para defensor do Goiás e, 03para corintianos.

Santos 2 x 2 Vasco

Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC)

VAR

Heber Roberto Lopes (SC)

Item Técnico

Dois principais casos:

1º – Após cobrança de escanteio, lado direito do ataque vascaíno, bola sobrou para Felipe manda-la pro fundo da rede;

De pronto

Árbitro levantou o braço apontando impedimento

Via

TV, no ato: concordei;

Antes

Do restauro da refrega VAR conversa com árbitro de campo, após longa expectativa, diz ao árbitro que:

Perna

Direita de um santista dera condição ao vascaíno que o gol foi legalllll.

2º – Bola alçada para área santista, toca na cabeça do vascaíno Felipe Bastos, na sequencia, desviada na mão esquerda do santista Alison que estava com o braço aberto, árbitro nada marcou, jogo seguiu;

Até

Momento que goleiro vascaíno mandou bola para fora da linha lateral; neste ponto,

VAR

Comunicou o ocorrido, árbitro se achegou ao monitor, voltou ao campo, apontando corretamente a marca da cal;

Penalidade

Batida pelo atacante Cano, decretando o gol de empate da equipe vascaína

Item Disciplinar

Cartão Amarelo: 02 para santistas e 03 para vascaínos

————————————————————–

Tributo ao futebol da várzea e seus clubes históricos

Fundado em 05 de junho de 1978

Serrano Futebol Clube nasceu numa conversa entre cinco amigos que queriam formar um time de futebol. A conversa foi realizada no bar denominado “Bodinho”.

Partindo

Destas conversas, formaram a primeira diretoria, tendo como primeiro Presidente José Valdelício de Jesus, o Naná.

Demais

Membros fundadores e que fizeram parte de sua primeira diretoria foram: Cochê (Vice-Presidente), Osvaldo (Diretor), Chilica (Tesoureiro) e Bodinho (Secretário); Francisco das Chagas, o Chico, foi o padrinho do clube.

Primeiro

Uniforme foi “achado” no lixão por Naná – e era de um time denominado Vila São Jorge. Este jogo de camisas serviu para as primeiras disputas amistosas do clube, quando alguém as puxava elas se rasgavam,

Sendo assim

Os cinco amigos resolveram comprar um jogo de camisas do Vasco e o time passou a se chamar “Vasquinho”. Porém não foi muito longe, pois Bodinho teve a ideia de comprar um jogo de camisas, cujas cores eram pretas com golas brancas e o calção vermelho, assim o time voltou a se chamar Serrano Futebol Clube.

Depois

Disso, como Cochê e Chilica faleceram, Osvaldo e Bodinho foram embora do bairro, Naná ficou sozinho mantendo o nome do time vivo de 1979 a 1989 ocupando vários cargos como: Presidente, Diretor de Esporte, Tesoureiro e Técnico.

Em

1990 “Beto Bufão” assumiu o time e foi formada uma nova diretoria, que assim ficou formada: Presidente: Naná; Vice Presidente: Beto Bufão; Diretor Esportivo: Moreira; Tesoureiro: Pateta e outros colaboradores.

Origem do escudo

Em busca de uma identidade própria, o Serrano criou seu distintivo inspirado em dois clubes da cidade: O Santos FC e o Império Serrano. A escolha foi feita por cinco amigos, um deles torcedor do Império e quatro do Santos.

Equipe

De vinte e dois atletas que marcaram mais de trinta anos da história do Serrano F.C.

Goleiros: Aílton e Emiliano; Laterais (Direita): Nino e Baitola; Laterais (Esquerda): Pedrinho e Vivi; 4° zagueiro: Pateta e Ivanildo; Zaga Central: Paulão e Naná; Volantes: Zé Carlos e Wanderley; Ponta Direita: Caveirinha e Afonso; Ponta Esquerda: Aurélio Miguel; Meio Direita: Tição e Parceirinho; Meio Esquerda: Geraldo; Centroavante: Cacau e Kiochi.

Dentre

Esses vinte dois atletas, o que marcou mais no time do Bairro da Alemoa foi o goleiro Ailton. Era “baixinho”, mas parecia um gato, fazia defesas mirabolantes: Pulava muito, dificilmente rebatia uma bola.

Capacitado

Em uma excursão, realizada na cidade de Registro/SP, jogando contra a equipe do Bamburral, Tição, um dos craques da equipe, fez um dos gols mais bonitos na história do clube. Foi de puxeta e todos passaram a lhe chamar de craque, e era mesmo.

Trabalhando com a Comunidade

Em uma reunião realizada em meados de outubro de 2009, onde tiveram presentes Renato de Jesus Alves, Nivaldo do Patrocínio, Márcio Renato, Vanderson Almeida e Fábio Branco, foi discutida a ideia do projeto de escolinha de futsal para crianças e no início de novembro Renato e Nivaldo tiveram o primeiro contato com a diretora da Escola Municipal Oswaldo Justo, onde a mesma acabou aprovada, pois a cobrança dos estudantes era muito grande.

Meses

Passaram-se e mesmo assim mantendo contato com a diretoria da unidade de ensino. Esse tempo foi necessário para o clube organizar quase tudo, uma vez que o orçamento em caixa não permite que se fizesse grandes investimentos. Mas a Secretaria Municipal de Esporte (SEMES) doou o kit completo: cones, 40 coletes e 04 bolas para início das atividades.

Este

Projeto visa contribuir no desenvolvimento intelectual e físico das crianças estudantes da Escola Municipal Prefeito Oswaldo Justo, criando condições para a melhoria da qualidade de vida e o estimulo ao convívio social e coletivo, buscando assim resgatar valores esquecidos, construindo cidadãos conscientes de seu papel na sociedade, tendo conhecimento de seus deveres e direitos, cujos principais objetivos são:

– Promover o aprendizado em grupo, a cooperação e a parceria;

– Incentivar o futebol como alternativa as drogas e tempos ociosos, estimulando a vida saudável e prevenção de doenças;

– Proporcionar a oportunidade à participação em eventos esportivos e culturais como gincanas, festivais, torneios, campeonatos;

– Proporcionar a escolha por condutas adequadas em relação às pessoas e ao ambiente vivenciado;

– Combater a evasão escolar e a repetência;

– Estimular a prática regular de atividades físicas;

– Promover a descontração e o relaxamento físico e mental;

– Estimular o trabalho em grupo e a convivência comunitária

Posterior

Do sucesso das aulas, passado um mês do inicio da categoria masculino, iniciou-se também o projeto para as meninas entre 11 a 14 anos. Atualmente (em Julho/2010) existem 60 alunos inscritos no projeto.

SEDE E TROFÉUS

No início, o clube não possuiu sede e nem patrimônio. As reuniões dos jogadores eram realizadas em espaços cedidos, como em residências ou o bar do Bodinho. Jogos de camisa, bolas, material de treinamento e outros pertences eram “raridades” e ficavam guardados nas casa dos jogadores ou dirigentes.

Alguns

Anos se passaram e a diretoria se reunia provisoriamente no Bar Recanto dos Nordestinos. A Prefeitura chegou a ceder uma área, de frente para a Rua Bóris Kauffman, para o clube fazer seu campo. Mas não conseguiram dinheiro para aterro do local. O presidente, então, era o Sr. João Joviano dos Santos.

Atualmente

Apesar das dificuldades, a Vila Alemoa tem bons motivos para se orgulhar do Serrano. Em campo, a garra e as jogadas bonitas de jogadores como Robertinho, Aílton, Pateta, Caveirinha, Cacá, Nino, Naná e Paulão levaram o time para as primeiras colocações na 3ª Copa Cidade de Santos.

Por

Não possuir, ainda, um campo próprio, o clube manda seus jogos nos campos do bairro.

Sede

Própria, localizada na Avenida Marginal Anchieta, é orgulho a todos que acabam por se reunir, após uma partida de futebol, para aquele delicioso churrasco de confraternização, que só um clube “familiar” pode dar aos torcedores.

Endereço: Av. Marginal Anchieta, 170, Bairro Alemoa – Santos/SP.

Site oficial: http://www.serranofutebolclube.blogspot.com.

Findando

Agradeço a colaboração do amigo Edmir Antonio Cordeiro, ex-árbitro da Federação Paulista de Futebol (FPF).

/// /// /// /// /// /// /// /// /// /// /// ///

Aviso

Senhores dirigentes dos clubes amadores que queiram colaborar com este espaço deixem mensagens no site: http://blogdopaulinho.com.br, ou no whatsapp (11) 98402-3121, deixando número do celular para que eu possa dar retorno (lembrando que não se trata de matéria paga como ocorre noutros locais), ou seja, nada será cobrado, mas sim de conteúdo jornalístico com intenção de imortalizar a rica história das agremiações.

———————————————————-

Política

Religião, crime e voto

Bolsonaro dá prioridade à reeleição num Estado corrupto, pentecostal e criminoso

O capitão Jair Bolsonaro foi eleito presidente da República derrotando todos os caciques da política tradicional brasileira, apoiado em quatro pilares: antipetismo, combate à corrupção, liberalismo econômico e conservadorismo nos costumes. Na campanha, prometeu que, se fosse para adotar o pragmatismo da chamada governabilidade barganhando apoio por verbas públicas, preferia não assumir o cargo ao qual concorria. Sob a condição de ser promovida uma reforma política, que ele estava cansado de saber que não tinha a menor chance de ocorrer.

No governo tornou inviável a permanência do ex-juiz da Lava Jato, símbolo da bem-sucedida faxina nos costumes políticos, Sergio Moro, no Ministério da Justiça e Segurança Pública, substituindo-o por um fâmulo a quem prometeu uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). Tem feito o possível e o improvável para ter como adversário na eleição de 2022, à qual dá prioridade absoluta na gestão, o ex-presidente petista Lula ou qualquer poste ou aliado de esquerda que este apontar. Prepara uma cama de faquir para seu “posto Ipiranga”, que para evitar destino idêntico ao do magistrado paranaense não se incomoda em ser reduzido a “imposto Ipiranga”, negando, assim como fez com a pandemia de covid-19, os preceitos da estabilidade da moeda e da responsabilidade fiscal.

A pretexto da governabilidade por pelo menos oito anos, Bolsonaro correu para o abrigo do baixíssimo clero de seus dois anos de vereador no Rio e 28 como deputado federal, que passou a se denominar Centrão sob a liderança de Eduardo Cunha, que, na presidência da Câmara, defenestrou Dilma Rousseff da Presidência da República. Sem se perturbar com a circulação nas redes sociais de um vídeo de seu guarda-costas, general Augusto Heleno, que se lançou na vida artística da política entoando a paródia do samba de Ary do Cavaco, tornado sucesso por Bezerra da Silva, “se gritar pega centrão, não fica um, meu irmão”.

E adota qualquer atitude para escapar do inquérito do Ministério Público fluminense sobre a suspeita bem fundamentada de prática de peculato, corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa no gabinete de seu primogênito, Flávio, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj). E ainda mais com a extensão do crime ao próprio gabinete na Câmara dos Deputados, onde empregou Nathália, filha do investigado Fabrício Queiroz, seu colega na brigada de paraquedistas do Exército e amigo da vida inteira, com óbvias conexões com chefões da milícia e do crime organizado, como o capitão PM Adriano da Nóbrega. Para tanto se expõe a constrangimento impróprio para qualquer cidadão de bem, como as perguntas de repórteres sobre os motivos de depósitos de Queiroz e da mulher, Márcia Aguiar, de R$ 89 mil na conta da primeira-dama, Michelle. Perguntas a que tem respondido com a costumeira elegância, ameaçando esmurrar quem as faz ou chamando-o de otário e bundão.

A pauta dos costumes conservadores está exibindo nesta pandemia a terrível, mas nada evangélica, associação entre confissões pentecostais, o crime individual ou organizado e a corrupção, que não é inédita na política e na gestão pública brasileiras, mas nunca foi de tão explícito descaramento. A pastora e cantora gospel Flordelis Souza, acusada na semana passada pela polícia fluminense de ter usado sete filhos e uma neta para executar com 17 balaços o ex-filho, ex-genro e último marido, o também pastor Anderson do Carmo, mereceu a misericordiosa solidariedade de Michelle Bolsonaro nas redes sociais. O presidente achou por bem levar sua cabo eleitoral mais valorizada, mais uma pastora, Damares Alves, à própria live semanal para evitar a contaminação pelo sangue derramado da vítima do projeto reeleitoral, que une todos os personagens desse episódio sórdido. Parceira da assassina num plano de adoção de menores abandonados, a ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos disse que a homicida “enganou todo o Brasil”. Não dá para rir dessa piada tétrica. Para anular o desgaste dos flagrantes de sua relação com a criminosa, Bolsonaro envolveu os “300” que fizeram selfies com ele em Foz do Iguaçu.

O que dizer, então, de o quarto pastor deste texto, Everaldo Dias Pereira, frequentador das delações premiadas do propinoduto das empreiteiras corrupteiras, tê-lo batizado e aos três filhos parlamentares nas águas profanadas do Rio Jordão, na Terra Santa? Presidente nacional do Partido Social Cristão (PSC), pelo qual Wilson Witzel foi eleito e no qual o próprio capitão cloroquina militou, o espírito santo de orelha do governador afastado do Rio de Janeiro está preso. Exerce o papel de água no chope da comemoração de mais uma baixa entre eventuais oponentes do clã Bolsonaro em sua marcha rumo a novo triunfo.

Resta-nos rezar para o Messias salvar seu povo das garras dos sócios dessa conjura que torna o Estado que nos governa uma associação de gângsteres de púlpitos, traficantes de armas e drogas, assassinos de ofício e gatunos da gestão pública.

Como anda a coisa, só Jesus na causa nos salvará.

José Nêumanne: Jornalista, Poeta e Escritor – Publicado no Estadão do dia 02/09/2020

———————————————————-

Finalizando

“A estupidez é o combustível dos ditadores e dos falsos profetas!”

Carlos Henrique Mascarenhas Pires – Pensador

————————————————————-

Chega de Corruptos e Corruptores

Se liga São Paulo

Acorda Brasil

SP-05/09/2020


EM TEMPO: Excepcionalmente, a versão em vídeo da Coluna do Fiori não será publicada neste final de semana, retornando, normalmente, na próxima edição.


*A coluna é também publicada na pagina http://esporteformigoni.blogspot.com

*Não serão liberados comentários na Coluna do Fiori devido a ataques gratuitos e pessoais de gente que se sente incomodada com as verdades colocadas pelo colunista, e sequer possuem coragem de se identificar, embora saibamos bem a quais grupos representam.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: