Advertisements

O almoço de Dia dos Pais na casa dos Bolsonaro

Da FOLHA

Por MARCOS NOGUEIRA

Jair – Porra, Dudu, onde você se meteu? A comida está esfriando na mesa!

Eduardo (esbaforido) – Mal aê, dédi. A ligação do Flávio me arrancou da cama. O fader’s dei foi em junho, não foi? Deu um bãgue na minha cabeça.

J – Que porra é essa?

E – O dia dos dédis, lá na América. Aliás, velho, por que não mudamos a data aqui no Brezil? Para alinhar… o Trump é bem capaz de retribuir com um acordo de fritrêidi. Linha direta de comércio, na camaradagem.

– Não dá, talkey? Junho já tem o Dia dos Namorados, as associações de lojistas vão voar pra cima da nossa hemorroida.

E – Aí é que está, dédi. A gente acaba com o Dia dos Namorados, que é invenção do pai do governador comunista de São Paulo, e comemora o Valentaine’s Dei em fevereiro, bem mais primeiro mundo… Top demais.

– Boa, filhão, vou ver isso aí. Amanhã, na reunião com a Damares e o Ernesto, coloco essa cuestão.

Carlos – Paizão, por falar em hemorroida…

J – Ih, lá vem! Porra, Carluxo, estamos comendo!

C – É sério, pai. Não viu que tem um tratamento inovador para o Coronavírus, com ozônio?

J (bate a mão na mesa) – Filho, estou pela tampa com você. Enfia isso aí no c*, talkey?

C – Mas é exatamente essa a ideia, pá.

J – Já pro quarto, Carlos! Sem sobremesa! E sem Twitter!

C (sai da mesa cabisbaixo) – Caraca, pai, não é justo…

J – Nem mais um piu, talkey? Onde já se viu… Aqui é cloroquina, talkey?

Flávio – Pessoal, preciso de uma ajudinha…

E – Começou!

J – De novo, Flávio?

F – Olha só: vai vencer a prestação de uma casa que eu comprei lá pros lados de Jacarepaguá. Mas o crédito do meu celular acabou, não tenho como usar o apepê do banco. E eu estou aqui confraternizando com a família… não quero fazer a desfeita de sair agora. Alguém me quebra esse galho?

Jair Renan – Ih, ó o cara outra vez! É o golpe do zap!

J – Cala essa boca, pirralho! Pro quarto com o Carluxo!

JR (sai de cena) – Mimimi…

J – Flávio, você sabe que hoje é domingo, não sabe?

F – Caraca, é verdade!

J – Amanhã você pode resolver isso aí.

(coça o queixo) – Sabe o que é? Esqueci a senha do meu cartão. Alguém faz essa por mim? São só 40 mil.

– Eu não!

C (grita, do quarto) – Nem eu!

J – Eu também não, talkey?

F – Porra, vou precisar pedir de novo pro porteiro…

J – Michelle, o que tem de sobremesa?

Michelle (responde em libras) – Pudim de pão com leite condensado.

– Dudu, vai lá no quarto chamar os meninos… eles adoram pudim.

E (faz arminha com o dedo) – Esse é o meu dédi!!

Advertisements

Facebook Comments

1 comentário em “O almoço de Dia dos Pais na casa dos Bolsonaro”

  1. Bolsonaro! O coronavirus já matou 100 mil pessoas, infectou 3 milhões de pessoas, isso no Brasil. Foi você quem desacreditou a doença seu canalha. Você deveria estar na cadeia, você e seus generais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: