Advertisements

Flamengo facilita a vida de ‘parceiros’ da cartolagem enquanto humilha funcionários mais humildes

Rodolfo Landim

Em clubes relevantes, principalmente os que possuem grande contingente de torcedores, conquistas esportivas costumam mascarar defeitos administrativos de seus dirigentes.

O Flamengo é passível de ser enquadrado nesse perfil.

É inadmissível o tratamento dispensado, recentemente, aos funcionários mais humildes e também às vítimas do episódio ‘Ninho do Urubu’.

Após prometer premiação ‘Y’ aos trabalhadores pelas conquistas do Brasileirão e da Libertadores, o rubro-negro pagou, em alguns casos, 90% a menos do previsto, ‘roubando’ ainda no desconto do Imposto de Renda, que deveria ser de 27,5% e foi cobrado em 43,63%.

As informações foram obtidas pelo UOL.

Em contra-partida, o treinador Jorge Jesus e seus compatriotas da comissão técnica foram agraciados com quantias milionárias, sem incidência de imposto.

É de conhecimento do leitor deste Blog do Paulinho que Jesus é ‘peixe’ de Kia Joorabchian, agente do submundo esportivo que tem fama de ‘generosidade’ com cartolas.

Por falar em ‘afamados’, a cartolagem do Flamengo também não possui indicativos pessoais, nos bastidores da bola, dos mais confiáveis.

Todos, de alguma maneira, se envolveram em obscuridades esportivas.

Jesus, sozinho, recebeu, além de seu salário gigantesco, mais de R$ 10 milhões em premiação, que, obviamente, trata-se, independentemente do mérito, de grande absurdo.

Porém, o custo rubro-negro foi bem maior.

Se o Flamengo não sonegou o Imposto de Renda e pagou o valor correto da alíquota, o montante destinado à Receita foi de aproximados R$ 2,75 milhões, mas, se repetiu com o treinador (o que é improvável) os cálculos utilizados com os mais humildades, a ‘mordida’ seria de R$ 4,3 milhões.

Trata-se, em qualquer avaliação, de má-utilização dos recursos do clube.

Não é porque o Flamengo atravessa tempos de ‘vacas-gordas’ que pode se dar ao direito de ‘rasgar dinheiro’ com os mais ricos e humilhar, como tem acontecido, os mais pobres.

Futebol, que costuma, em boa fase, facilitar esses desatinos, nem sempre é acompanhado de justiça e, eventualmente, mesmo que se faça tudo de maneira correta, as coisas podem desandar no que diz respeito a resultados.

O próprio Flamengo passou por isso, em tempos recentes.

Quem arcará com os excessos quando os caixas da agremiação, por determinado tempo, não suportarem a perda de receitas em caso de eliminações?

Tudo precisa ser planejado com responsabilidade, não deslumbramento.

Inclusive o respeito, que o Flamengo não vem tendo, com seus servidores mais fiéis, contrastante com a facilitação aos que, de alguma maneira, podem beneficiar, extra-oficialmente, os cartolas responsáveis pelos incorretos procedimentos.

Advertisements

Facebook Comments

2 comentários em “Flamengo facilita a vida de ‘parceiros’ da cartolagem enquanto humilha funcionários mais humildes”

  1. E fora a arrogância (“somos maiores que todos outros somados”)……insuflar a torcida contra a Rede Globo que sempre bancou e alavancou a imagem do Flamengo e por aí vai….

  2. Agora à pouco assisti no sportv apresentador e comentaristas babando para a competência do Flamengo, e no FOX Sport rádio então, se rasgaram todas……eita imprensa que se vende fácil!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: