Advertisements

O “golden shower” de Andres Sanches na reunião do Conselho do Corinthians

Era de se esperar, mas a tímida reação dos conselheiros do Corinthians diante de um Andres Sanches cada vez mais mentiroso e desrespeitoso com o clube, em meio à reunião extraordinária do Conselho Deliberativo, na noite de ontem, ainda constrange.

Poucos – os de sempre, foram capazes de contrapontos inteligentes, destacando-se, pela primeira vez, o ex-presidente Mario Gobbi, deixando o medo de lado e assumindo a capa oposicionista, questionando sobre a real dívida com a Odebrecht, sem, porém, obter resposta.

O que não o isenta de culpa, após anos de apoio a notórios golpistas (inclusive nas tratativas de construção do estádio), agravado pela condição, à época, de delegado de polícia.

Sanches, em seu discurso, teve a cara de pau de dizer que não mentiu, apenas “se expressou mal” ao explicar os acertos, sabe-se agora, inexistentes com a CAIXA e a Odebrecht.

“Foram acordos verbais”, disse.

Imagine-se você, inteligente leitor, financiando um imóvel no banco, um carro na concessionária ou até mesmo um liquidificador nas Casas Bahia.

Depois, dirigindo-se a qualquer um desses credores e, por não ter dinheiro para honrar o primeiro compromisso, propondo acordo, sem formalizá-lo no papel.

Daí para frente, sem a anuência dos citados, em vez de pagar a íntegra do boleto, decide, de vez em quando, quitar o que lhe der ‘na telha’.

Foi desta maneira, como se estivesse na sala de aulas da Universidade de Golpes de Caieiras, criando empresas fajutas em nomes de laranjas e praticando delitos ‘na praça’, que Andres Sanches explicou seus acordos com CAIXA e Odebrecht.

Com relação à construtora, o mandatário alvinegro foi ainda mais criativo, afirmando que quando disse ter quitado a dívida com a Odebrecht, tratava-se da responsável pela obra, não do CNPJ inserido no Arena Fundo, a quem o Corinthians ainda deve valores próximos de R$ 500 milhões pelos empréstimos pontes e debentures emitidos, bem superiores aos R$ 160 milhões fantasiados pelo presidente.

Diante desse quadro Dantesco, de absoluta esculhambação administrativa, moral e financeira, o Corinthians seguirá, tudo indica, até as próximas eleições, sob o comando de quem enriqueceu às suas custas, amparado por quem precisa do clube para sobreviver e pelos ‘invertebrados’ que bajulam um mecenas que rasteja aos pés de quem, frequentemente, o desmoraliza.

Advertisements

Facebook Comments

1 comentário em “O “golden shower” de Andres Sanches na reunião do Conselho do Corinthians”

  1. ATÉ QUANDO ESSE ESPANHOL MAFIOSO DA VILA DOS REMEDIO VAI MENTIR PRA ESSE CONSELHO VENAL E OMISSO ????????

    NINGUÉM BASEADO APENAS EM CONVERSA RESOLVE PAGAR O QUE ENTENDE TER SIDO ACORDO QUANDO SE TRATA DE BANCO. NEM O CORINTHIANS COM TANTA GENTE INCOMPETENTE E SACANA. PAGARAM MENOS PORQUE É O QUE TINHA PRA PAGAR. PORQUE É ISSO QUE CONSEGUEM PAGAR. PORQUE ESSA ARENA DO JEITO QUE FOI PROJETADA FINANCEIRAMENTE É IMPAGAVEL. QUANDO É QUE ESSE ESPANHOL VAI TER CORAGEM DE ASSUMIR QUE COM A QUEDA DO MAIOR BANDIDO DA HISTÓRIA DO PAÍS AS COISAS SAIRAM DO TRILHO E NÃO TER COMO ARCAR COM O PAGAMENTO DO ESPANHOLÃO DE ITAQUERA?????

    A CAIXA JA SOLICITOU A ANULAÇÃO DA RJ DA ODEBRECHT ALEGANDO FRAUDE. A CAIXA DEPOIS DA VIRADA PARA O GOVERNO BOLSONARO NÃO TA PARA BRINCADEIRA, ACABOU A PALHAÇADA, NÃO VAI AMOLECER PRA NINGUEM MUITO MENOS PRO ESPANHOL.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: