Advertisements

Propina de R$ 466 mil paga pela Odebrecht ao codinome ‘Parreira’ teria ligação com o Corinthians ?

O Blog do Paulinho revelou, ontem (08), que a Polícia Federal conseguiu identificar alguns nomes de intermediários que receberam pagamentos indevidos da Odebrecht.

Parte desse dinheiro foi destinado a dirigentes do Corinthians, que facilitaram a vida da construtora no negócio ‘estádio de Itaquera’.

Polícia Federal identifica dois novos recebedores de propinas do estádio do Corinthians

Existem, porém, outros mais, que os investigadores estão encontrando dificuldades para desvendar.

Um destes apelidos chamou-nos a atenção.

Em setembro de 2014, pagamento de R$ 466 mil foi entregue às mãos de um tal de ‘Parreira’, na Rua Iguatemi nº 150.

O período, pouco após a Copa do Mundo realizada no Brasil, coincide com os repasses tornados públicos, em delações, a dirigentes do Corinthians.

Outra estranha coincidência é o endereço.

A sede da BRL Trust, responsável pela gestão do Fundo que administra as contas do estádio de Itaquera, é na mesma Rua Iguatemi, só que na numeração ‘151’, assim como a de outras empresas envolvidas no rolo, entre as quais Arena Itaquera S/A, Jequitibá Patrimonial, etc.

No numero ‘150’, local em que a propina foi entregue, localiza-se o hotel São Paulo Iguatemi, que, dizem, tem um café bem frequentado por empresários locais.

Será que a Polícia Federal se atentou a essas coincidências ?

Se não, trata-se de uma boa oportunidade para realizar novas diligências e confirmar, talvez, se os R$ 466 mil teriam sido destinados, de fato, à cartolagem alvinegra.

É bem indicativo, também, o fato do destinatário do dinheiro possuir apelido ligado ao futebol: ‘Parreira’, nome de ex-treinador do Corinthians e da Seleção Brasileira.

Levando-se em consideração os dirigentes alvinegros que participaram mais ativamente das tratativas com a Odebrecht, se confirmada a ligação de ‘Parreira’ com os pagamentos indevidos a cartolas do clube, quais destes, na opinião do leitor, poderia se tratado como ‘treinador’, aquele que, possivelmente, deu instruções ao negócio ?

Andres Sanches ? Rosenberg ? Raul Corrêa da Silva ? Vicente Cândido ? André Negão ? Roberto Andrade ? Mario Gobbi?

Segundo Andres Sanches, quem realizou toda a engenharia financeira com a Odebrecht e também cuidou das questões administrativas foi o então vice-presidente Luis Paulo Rosenberg, com aval dele e a participação especial dos demais.

Advertisements

Facebook Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
Powered by
%d blogueiros gostam disto: