Presidente do Santos e o calote no boteco (documentos)

Odir Cunha e José Carlos Peres

No dia 10 de dezembro de 2017, o então candidato á presidência do Santos, José Carlos Peres, ao lado do vice, Orlando Rollo, assumiram compromisso de bancar evento “boca livre” ao “Somos Todos Santos”.

A festa aconteceu na Básico – Longe e Espetaria, localizada em Santos, e custou R$ 15.500,00, discriminados em Nota Fiscal como consumo de “porções diversas e bebidas”.

A combinação era de Peres e Rollo racharem as despesas.

Logo ao final do evento, Rollo pagou R$ 7.750,00, restando outros R$ 7.750,00 a serem quitados pelo atual presidente do Peixe.

Passados sete meses, após diversas tentativas de cobranças, o dono do estabelecimento, Sidney Garcia, sócio e conselheiro eleito do Santos, perdeu a paciência e ingressou na Justiça com ação de cobrança contra José Carlos Peres, fato este noticiado, ontem, pelo UOL.

O Blog do Paulinho mostra hoje os documentos, entre os quais a Nota Fiscal, que embasam o procedimento judicial.

Um vexame que serve para demonstrar bem o nível dos atuais gestores de um dos clubes mais conhecidos do planeta.

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.