Advertisements

Candidatura de Ezabella no Corinthians repete fórmula eleitoral de Andres Sanches

Felipe Ezabella, Raul Corrêa da Silva, Sergio Alvarenga e Fernando Alba

O grupo “Corinthianos Obsessivos”, agora renomeados “Corinthians Grande”, lançou o ex-diretor de esportes terrestres da gestão Andres Sanches, o advogado Felipe Ezabella, como candidato à presidência alvinegra.

São também postulantes ao cargo: Andres Sanches, Roque Citadini, que polarizam a disputa, além de Romeu Tuma Junior.

A candidatura de Ezabella, financiada pela BDO/RCS, empresa do ex-diretor financeiro alvinegro Raul Corrêa da Silva, é um espécie de desdobramento da “Renovação e Transparência” – que comanda o Timão há dez anos, porém com grupo mais restrito, quase sem vínculo com o clube, apenas com os ex-presidentes (Sanches, Gobbi e Andrade), a quem assessoraram, até então.

Para dar um ar de “coisa nova” ao grupo, Ezabella repete os procedimentos do período “pós Dualib”, em que o então “arareiro” Andres Sanches (é assim que a justiça o trata) teve biografia reescrita por brilhante trabalho do “artista” Luis Paulo Rosenberg, passando a ser tratado como “grande empresário”

No caso do “Corinthians Grande”, contratou-se a Universidade do Futebol, consultoria que tem por objetivo apresentar as mais fantásticas propostas, no intuíto de ocultar o passado de seus membros (ligados a diversas questões problemáticas da atual gestão), agregando, por conta das supostas “soluções”, o maior número de pessoas preocupadas com a deplorável situação financeira e administrativa do clube.

Porém, os eleitores, que frequentam o Parque São Jorge ou informam-se pela internet sabem que, além de Ezabella, fazem parte de sua chapa:


  • Raul Corrêa da Silva

Ex-diretor financeiro de Andres Sanches e Mario Gobbi, ocasião em que instituiu a política de não pagamento de impostos, procedimento alheio ao conhecimento dos conselheiros, “maquiado” (segundo acusação formal do atual diretor de finanças, Emerson Piovesan) em “Relatório de Sustentabilidade” auditado por seus ex-funcionários, que levou o clube e quatro de seus dirigentes (ele, inclusive) a serem processados, criminalmente, por sonegação fiscal.

Raul Corrêa é a assinatura mais frequente (superando o numero de avais de presidente e ex-presidentes) nos contratos firmados entre Corinthians e Odebrecht, investigados pela “Operação Lava-Jato”.

  • Fernando Alba

Ex-diretor das categorias de base do Corinthians, participou das gestões Andres Sanches e Mario Gobbi, instituindo a politica de fatiamento de direitos de atletas do clube com empresários de futebol.

Alba somente não se tornou diretor de futebol profissional do atual presidente, cargo que lhe foi prometido por Roberto Andrade, por conta de desacordos comerciais com o vice André Negão, que, por conta disso, acabou vetando a indicação;

Dono de uma pequena rede de estacionamentos, após a passagem pelo Corinthians, o dirigente diversificou os negócios, entrando no mundo da intermediação de atletas, sendo muito querido pela diretoria do Atlético/PR

  • Sergio Alvarenga

Ex-diretor Jurídico do Corinthians, Alvarenga ainda influência (comanda), oficiosamente, o departamento, além de estar colocado no estratégico cargo de presidente da Comissão de Ética e Disciplina, com objetivo de abafar as denúncias, várias, que cercam a gestão “Renovação e Transparência”, razão do apelido “Engavetador Geral dos problemas de Andres Sanches”.


Os ‘obsessivos”, “Corinthians Grande”, brigam com Andres Sanches pelos mesmos votos, talvez a ele possam se aliar antes do registro oficial de candidaturas, mas pouco incomodam os candidatos oposicionistas, estes com eleitores que anseiam mudanças na administração.

Facebook Comments
Advertisements

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Open chat
Olá, seja bem vindo ao Blog do Paulinho ! Deixe aqui suas dúvidas, sugestões e denúncias. Todas as mensagens serão lidas
%d blogueiros gostam disto: