Justiça bloqueia R$ 116 mil das contas do Corinthians para pagar produtora que se recusou a participar de “ilícitos” no clube

Em 2013, a produtora de teatro Cristiane Natale promoveu ação de reparação contra o Corinthians, após, sem justificativa (à época), ter sido afastada do teatro do clube, mesmo possuindo contrato que garantia-lhe a exploração do espaço.

A “forçada de barra”, descobriu-se depois, tratava-se de facilitação para a entrada da empresa OMNI, ligada a Andres Sanches, que hoje não apenas dá nome ao teatro como cuida dos setores mais lucrativos do clube.

Natale, à época, chegou a dizer que havia se recusado a participar de negócios “ilícitos” no Parque São Jorge.

O tempo passou e a Justiça, após diversos recursos do Corinthians, deu ganho de causa à produtora, que de R$ 30 mil iniciais (por conta de correções e demais adequações) receberá mais de R$ 100 mil.

Durante a semana, para viabilizar o pagamento, diante da recusa alvinegra em fazê-lo espontaneamente, o clube passou pelo constrangimento de ter R$ 116.059,55 bloqueados de sua conta, após infrutífera tentativa de penhora, diante do fato de todos os imóveis do Corinthians estarem vinculados aos pagamentos do estádio.

Para relembrar as acusações de Cristiane Natale contra o Corinthians basta clicar nos links a seguir:

Gestora de Teatro do Parque São Jorge acusa Corinthians de má-fé e de “reter” equipamentos de sua produtora

Corinthians passa vexame na Justiça e perde ação para ex-gestora de Teatro do clube, que recusou-se a participar de “atos ilícitos”

Corinthians terá que pagar R$ 100 mil para produtora que não quis participar de “algo ilícito” no teatro do clube

Advertisements
Anúncios

Facebook Comments

Esta entrada foi publicada em Sem-categoria. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.