Anúncios

Polícia Federal tentou prender André Negão na sala da Presidência do Corinthians

No dia 22 de março de 2016, a Polícia Federal, no âmbito da “Operação Lava-Jato”, visitou a residência do vice-presidente do Corinthians, André Luis de Oliveira, vulgo André Negão, para leva-lo, coercitivamente, à depor sob acusação de receber R$ 500 mil em propina da Odebrecht.

O alvinegro, porém, acabou preso, por conta da posse de duas armas de fogo, sendo liberado após pagamento de fiança.

Mas o vexame poderia ter sido ainda maior.

Primeiro porque o pedido inicial do MPF, enviado ao juíz Sérgio Moro, era de “Prisão Preventiva” nº 5010479-08.2016.4.04.7000/PR (o que indica a certeza do órgão sobre as ações), mas o magistrado decidiu pela condução coercitiva, esperando pelas delações premiadas e por novas provas (que agora estão escancaradas).

Depois, porque a Polícia Federal, avisada que André Negão frequenta a academia do clube pela manhã, esteve no Parque São Jorge, à 06h do dia 22/03, ocasião em que subiu até a Sala da Presidência alvinegra na tentativa de detê-lo.

Diz documento, assinado pelo delegado federal Daniel Mostardeiro Cola, da Equipe 11 da PF:

“Certifico que a Equipe 11, composta pelo DPF Daniel Mostardeiro Costa, EPF Hugo Sanches e APF Celio Gilberto Koehler, compareceu no endereço localizado na Rua São Jorge 777, 5º Andar (Sala da Presidência) – Tatuapé – São Paulo – SP, às 06h, do dia 22 de março de 2016, não tendo localizado André Luis de Oliveira”

Ou seja, o Corinthians escapou, por pouco, do constrangimento de ter seu vice-presidente, no exercício do cargo, saindo do Parque São Jorge detido pela Polícia Federal.

A diretoria do clube escondeu a informação, absolutamente relevante, de toda a coletividade alvinegra.

Nem o ex-presidente, Alberto Dualib, expulso do Corinthians por corrupção, chegou perto de tamanho vexame.

No mesmo dia, a PF tentou também encontrar André Negão no bairro da Vila Maria (local em que, por diversas vezes, foi detido por contravenção penal ligada ao “Jogo de Bicho”), em sua antiga residência, sendo informada por morador atual que o alvinegro, havia dois anos, se mudou para o bairro do Tatuapé, no luxuoso apartamento (comprado após a construção do estádio de Itaquera), avaliado em mais de R$ 1 milhão, local em que, finalmente, foi encontrado.

POLÍCIA FEDERAL INFORMA QUE ESTEVE NO PARQUE SÃO JORGE PARA DETER ANDRÉ NEGÃO

POLÍCIA FEDERAL INFORMA QUE ESTEVA NA VILA MARIA PARA PRENDER ANDRÉ NEGÃO

MANDADO DE CONDUÇÃO COERCITIVA AUTORIZADO PELO JUIZ SERGIO MORO (COM PEDIDO DE PRISÃO PREVENTIVA DO MPF nº 5010479-08.2016.4.04.7000/PR)

INDICAÇÃO, NO PEDIDO DE PRISÃO, DO CRIME ATRIBUÍDO A ANDRÉ NEGÂO (RECEBER R$ 500 MIL), COM NÚMERO DE TELEFONE DO DIRIGENTE EXPOSTO (AMPLAMENTE CONHECIDO E IDENTIFICÁVEL POR AMIGOS E JORNALISTAS):

DECLARAÇÃO DE ANDRÉ NEGÃO APÓS SER LIBERADO DA SEDE DA PF

Anúncios

Uma resposta to “Polícia Federal tentou prender André Negão na sala da Presidência do Corinthians”

  1. tavares41 Says:

    Um Inocente sem duvidA Senao estaria preso!!!!

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: